Análise do inimigo: Os Goa'uld

sábado, junho 08, 2013

Esta espécie parasita, egocêntrica e controladora tocou o terror na Via Láctea por muito tempo, se passando por deuses e exigindo adoração de seus dominados.. Aproveitando-se da tecnologia do Stargate, eles conseguiram escravizar populações humanas por milênios, tendo inclusive dominado a Terra por um tempo.



Leia também:



O filme de 1994 não explica como que o rapaz egípcio foi tomado por um alienígena que se tornou posteriormente o deus sol Rá. É apenas na série de 1997, Stargate SG-1, que os produtores explicam o que aconteceu, uma saída elegante para responder os "erros" do filme, que retrata a primeira viagem pelo aparato alienígena.


Ajoelhe-se diante de seu deus
Ficamos sabendo que no filme, o rapaz fora tomado por um parasita que precisa de outro organismo para viver. Os Goa'uld - filhos dos deuses no idioma deles - são implantados em raças humanoides, enroscando-se na coluna e tomando o controle do sistema nervoso central. Eles suprimem a personalidade de seu simbionte e assumem integralmente. Cada larva Goa'uld vive por milhares de anos, possui propriedades curativas, o que tornam seus hospedeiros virtualmente imortais.

Uma larva Goa'uld.

Eles se originaram no planeta P3X-888, de onde conseguiram infestar os Unas, outra criatura do mesmo planeta. Dali eles começaram a se espalhar pela Via Láctea, mas os Unas não eram bons hospedeiros. Foi então que eles descobriram a Terra, em suas viagens pelo Stargate viram que os humanos eram muito mais adequados para suas necessidades. Levas e mais levas de escravos humanos saíram daqui para centenas de planetas ao longo da galáxia para minerarem o naquadah, o mineral do qual os portais são feitos e que é empregado em quase toda a tecnologia dos Goa'uld, muita parte dela inspirada na tecnologia dos Antigos, os construtores originais dos portais.

Mas então, um dia, a mamata de Rá na Terra acabou quando uma revolução enterrou o Stargate e acabou com os séculos de dominação (lembra dessa cena do filme, os arqueólogos desenterrando o portal?). Mas mesmo assim, os Goa'uld continuaram dominado as populações humanas por aí, volta e meia fazendo seções de escolha para novos hospedeiros para suas larvas. Você sabe que alguém é controlado por um Goa'uld porque seus olhos brilham e a voz fica grave e gutural.

A nave pirâmide do primeiro filme.

Vários Goa'uld são conhecidos por nomes de deuses da mitologia egípcia. Rá morreu no filme, mas temos Apofis, Hathor, Ba'al, Seth e Osíris. Eles gostaram tanto dessa coisa de serem deuses - pois afinal possuem tecnologia avançada demais para os pobres mortais que os seguem e portanto eles acham que é magia pura - que suas naves, suas roupas, são todas baseadas nestas mitologias. Mais para frente na série, surgem outros Goa'uld menores, de outras mitologias como a japonesa e a celta.

Eles são egocêntricos, egoístas, arrogantes, buscam poder acima de tudo e odeiam ser contrariados. Eles já chegaram a perder batalhas por falta de cooperação entre si. Acham que a Terra deve se curvar diante de seu poder e fazem de tudo para nos conquistar, mas a Terra é protegida pelos Asgard, cujo tratado protege vários outros planetas contra a ameaça dos falsos deuses. O Jaffa, a guarda cerimonial fiel ao seu deus e por quem lutam e morrem, foi criada de uma maneira a forçá-los à adoração eterna: os Jaffa são uma espécie de incubadoras para novas larvas, em troca da "magia" dos deuses, de boa saúde e força acima do normal.

Ba'al, um dos mais perigosos Senhores do Sistema Goa'uld.

Se de início eles formavam um império coeso, com o tempo, e principalmente com a morte de Rá no filme, eles começam a decentralizar o poder, que acaba dividido em várias áreas de influência, formando assim o Sistema Goa'uld, formado pelos principais senhores ou deuses, onde os menores prestam obediência aos maiores. Seus senhores continuam interpretando deuses, escravizando e matando pobres seres humanos. Mas é bem comum que um lute contra o outro por conta de planetas e minas de naquadah. Sendo tão egoístas, não gostam de cooperar uns com os outros.

Com o tempo a gente percebe que mesmo sendo tão poderosos, existem movimentos contra os Goa'uld. O principal deles é o Tok'ra, larvas de Goa'uld que não concordavam com a escravização de seus hospedeiros e que desejavam partilhar de uma existência pacífica com eles. Sobreviver fora de um corpo é muito difícil, então o hospedeiro tem que consentir em dividir seu corpo com os Tok'ra. Eles não fazem uso da tecnologia para prolongar suas vidas e em geral se mantém dormentes, deixando a personalidade dos humanos livre para interagir. São os principais aliados dos humanos contra os senhores do sistema.

Deuses Amaterasu, Camulus e Yu, Goa'uld não egípcios. 

Pontuação
Os Goa'uld são orgulhosos, muito arrogantes e egocêntricos. Tais sentimentos, apesar de comuns em muitos vilões, é também perigoso, pois isso os torna suscetíveis aos seus próprios caprichos. A disputa pelo poder um do outro acaba tornando sua ameaça menos efetiva do que deveria, pois eles possuem muitos recursos e seguidores, poderiam facilmente derrotar seus inimigos se saíssem da frente do espelho um pouco. Eles são perigosos, por sua vez, porque são muito longevos, são ocultos em seres humanos e podem se infiltrar em uma comunidade facilmente com essa habilidade. A vaidade, por sua vez... Quatro vilõezinhos para eles.


O que achou deles? Deixe seu comentário.

Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris