Análise do inimigo: Os Wraith

sábado, abril 06, 2013

Os Wraith de Stargate Atlantis são um caso típico de um encontro casual e sem intenção entre humanoides e insetos que acabou em treta. Um dos spinoffs de Stargate, a série foi cancelada na quinta temporada sem termos visto se a galáxia Pégaso finalmente se viu livre da ameaça dos Wraith, que são inteligentes, são muitos e se alimentam da força vital dos humanos.




Leia também:



Quando os Ori provocaram uma peste entre os Antigos, seus rivais milenares, estes optaram por fugir da Via Láctea, já que se encontravam em um número bastante reduzido e se estabeleceram em uma galáxia do grupo local chamada Pégaso. Lá eles pousaram a nave-cidade de Atlantis sobre o oceano de Lantea e construíram uma rede de Stargates bem parecida com a rede da nossa galáxia. O que eles não esperavam era encontrar o inseto Iratus.

Há muita coisa sobre os Wraith que você desconhece
Em suas explorações pela pequena galáxia Pégaso, onde semearam planetas com Stargates e populações humanas prósperas, os Antigos acabaram se deparando com um inseto hostil e perigoso. Ele agarra o pescoço da vítima e drena sua energia vital, paralisando pernas e braços e só larga dela quando morre. Ele se regenera rapidamente quando alimentado e é extremamente resistente, pois pode hibernar por longos períodos, como os carrapatos.

No entanto, após milênios de encontros casuais com os Antigos em suas explorações, os insetos Iratus tiveram seu material genético misturado ao DNA humanoide, o que acabou gerando os Wraith, humanoides com características de insetos, porém com a capacidade de construir uma civilização, tecnologia, naves espaciais e enfrentar seus criadores. Todas as características do Iratus passaram para eles: resistência, longevidade e principalmente força.

rainha Wraith
Rainha Wraith, logo depois de se alimentar de um humano.

Logo veio uma guerra com os Antigos, até então a raça dominante do pedaço. Mesmo com uma tecnologia bastante superior, os Antigos tinham por natureza (o que sempre trouxe problemas) uma política de não agressão, tampouco de interferência em outras raças. Por isso, eles nada fizeram para impedir o surgimento dos Wraith e nem a guerra. Vendo que o conflito se encaminhava para algo mais sério, uma delegação com poderosas naves de guerra foi enviada para tentar estabelecer um tratado de paz. Todas as naves foram destruídas e em menor número, os Antigos recuaram de suas posições cada vez mais até ficarem isolados em Atlantis, cujo Stargate era a única ligação com a Via Láctea e com a Terra.

Assim como o Iratus, os Wraith proliferam por ninhadas e ovos, e nascem aos milhares. Após um bombardeio que durou cem anos sobre a cidade, os Antigos resolveram evacuar a pouca população que restava para a Terra, afundar a cidade no grande oceano (lenda de Atlântida, percebeu?), esperando que algum dia os humanos descobrissem uma maneira de voltar para lá. Pronto, isso foi o equivalente a pagar um rodízio completo para a galera da faculdade. Os Wraith caíram sobre as populações humanas como uma peste, alimentando-se até se fartarem.

É assim que os Wraith se alimentam...

Percebendo que as populações humanas em Pégaso estavam diminuindo demais, os Wraith deixaram um pequeno efetivo em suas naves e entraram em hibernação profunda, esperando que os povos crescessem para voltarem a se alimentar. Mas eles não esperavam que uma delegação vinda da Terra chegaria à cidade que estava prestes a ser totalmente inundada pela água, milhares de anos depois, com a falha de seus escudos. Os humanos do Comando Stargate conseguiram colocar a cidade na superfície, mas ao saírem em missão por outros stargates se depararam com os Wraith.

A organização social deles é bastante simples. Cada nave-colmeia possui sua rainha que dá origem aos zangões, que agem como guardas e são comandados telepaticamente pelos líderes, que efetivamente controlam as naves, partem em missões, tomam as decisões e acatam às ordens da rainha, e fazem as colheitas de humanos. A energia vital dos humanos é capaz de sustentar um Wraith por décadas, às vezes por centenas de anos e em determinados casos, por milhares. São muito difíceis de matar e se estão feridos, basta sugar a energia de um ser humano, que tudo volta como era antes. Seu órgão de alimentação fica na mão direita, uma característica herdada do Iratus. Eles possuem todos os órgãos digestivos comuns a humanos, mas eles não funcionam, suprimidos pela genética do inseto. Tanto que uma vacina chegou a ser testada para trazer um humano de um estado não natural... mas é certo mudar a natureza de um indivíduo só por que ele é seu inimigo?

wraith
Um líder Wraith com dois zangões controlados telepaticamente.

Um Wraith pode transferir energia vital para outro corpo, como aconteceu com o coronel John Sheppard, cuja vida e juventude foi devolvida por um líder Wraith em um momento em que precisaram ajudar um ao outro para escapar de uma prisão. Por serem telepáticos, eles conseguiram descobrir que a Terra é o planeta com maior população humana já vista e decidem tomar Atlantis para começar uma invasão em massa. E eles quase conseguem.

Pontuação
Os Wraith são um inimigo admirável. Muito fortes, resistentes, metem medo, sugam a energia vital das pessoas e com isso vivem milhares de anos, o que já é suficiente para destruir planetas inteiros e civilizações. Tiram do ser humano o seu sossego e a liberdade de ir e vir, sendo transformado em alimento para a colônia. O problema deste comportamento é que eles precisam manter sempre uma população humana na conserva para emergências, ou seja, eles não podem nos destruir, assimilar ou esfolar vivos, já que sua sobrevivência depende também da nossa e da nossa capacidade de reprodução para manter o estoque. Por isso, eles não recebem cinco malvadinhos na nossa escala.


Conhecia os Wraith? Deixe seu comentário. Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris