Análise do Inimigo: O Governo

sábado, maio 18, 2013

Um bom vilão é aquele que parece seu amigo. Aquele que também tem o poder sobre você de diversas maneiras e no qual você deposita uma fé quase que incontestável, pois afinal de contas, ele está lá para trabalhar por você, certo? Talvez então o Governo, de Arquivo X, seja um dos mais malignos da ficção científica e talvez seja aquele que não se pode derrotar, apenas desistir da luta.




Leia também:




Arquivo X era o seriado rei das conspirações nos anos 90. Ele mexeu com quase todas as mais famosas, como aliens visitando o planeta, aliens vivendo entre nós, aliens controlando o governo. O segredo do sucesso da série foi mostrar aos poucos toda a conspiração ao invés de entregar as cartas logo de cara e mexer com a nossa zona de conforto.

Não confie em ninguém
Quando o inimigo mais vil e leviano que existe é aquele que você mesmo elegeu e deu poder, devemos esperar que suas ações sejam grandiosas, bem financiadas e de longo prazo. É assim com o governo dos Estados Unidos em Arquivo X, o verdadeiro vilão de toda a série, capaz de manipular e matar sem dó para proteger seus objetivos.

Sabemos pouco sobre quem são as pessoas que de fato dirigem a conspiração, onde Mulder e Scully cavam e nunca chegam ao fundo. Quando a série começa temos alguns rostos que ficam conhecidos durante as temporadas, mas seus nomes e funções pouco são esclarecidas. O manda-chuva sempre parece ser o Canceroso, cuja marca registrada era o cigarro, sempre aceso e que aparece toda vez que alguma coisa precisa ser encoberta ou se alguém precisava morrer. Por várias vezes, ele mesmo foi vítima dos conspiradores, apesar de ter merecido depois do que fez com a própria família.

Mulder acredita que sua irmã Samantha foi abduzida quando ambos eram crianças. Essa crença é tão forte, que norteia sua profissão e sua carreira dentro do FBI quando ele se depara com os casos inexplicados jogados numa gaveta dos arquivos do Bureau. Mas os conspiradores querem vigiá-lo de perto e arrumam uma agente cética e cientista de formação, que lecionava na academia do FBI em Quantico para, se não atrapalhar o trabalho de Mulder, pelo menos desqualificá-lo pelo viés científico.


O problema para o governo e para a conspiração, é que mesmo sendo cética até o talo, Scully se torna a maior aliada do agente Mulder e ambos saem em busca da verdade. Coisas estranhas como plantações no meio do nada, abelhas, arquivos secretos do governo com dados de vacinação e amostras de pele são descobertos, mas pouco se sabe sobre suas funções. Todos esses pedaços juntos apontam para o governo como sendo o responsável por vigiar e sequestrar milhões de americanos desde o final da Segunda Guerra Mundial para alguma coisa, coisa essa que ninguém entende direito.

É apenas no filme Arquivo X - O Filme que temos mais informações a respeito dos homens que compõem o tal Sindicato, membros do governo, ligados aos militares e à Agência Federal de Emergências, que já possuem um plano para a invasão alienígena acontecer e assim controlar o Executivo ao declarar uma emergência nacional. O que de fato aconteceu é que os alienígenas, que fizeram contato nos anos 40, queriam recolonizar nosso planeta, pois eles já viveram por aqui e os membros do Sindicato pediram um tempo para os preparativos.

Na verdade, o que eles tentaram fazer foi uma vacina para repelir a forma viral dos alienígenas, tentando inocular a população através de comida transgênica, abelhas modificadas geneticamente e hibridização de genes humanos com alienígenas através das abduções de mulheres em idade fértil, como aconteceu com Scully. Mas de maneira geral, eles tentaram obter vantagens junto aos alienígenas assim como tecnologias e tentaram salvar as próprias peles, claro.

O Sindicato

No entanto, é difícil saber o que é verdade e o que é enrolação em Arquivo X, pois para proteger seus interesses, o Sindicato criava pistas falsas e matava sem dó quem quer que estivesse pelo caminho. Até mesmo seus aliados eram vítimas. Eles possuíam pessoas em cargos-chave do governo, podendo assim controlar qualquer informação que quisessem. Possuíam assassinos treinados, cientistas, agentes, recursos quase ilimitados. Seus contatos se espalham por várias partes do mundo e dentro das principais agências de defesa do governo. Como possui várias células de operação, era muito difícil desmantelá-lo completamente. Tanto que saía presidente, entrava presidente, e todos eles estavam lá, operando secretamente, sequestrando pessoas, matando e conspirando com os alienígenas, que também demonstraram alguma desunião ao longo das temporadas. Mas para a tristeza dos fãs, o governo acabou ganhando no final, com a saída de Mulder e Scully do FBI e o fim das investigações.

Pontuação
O principal perigo do Governo é que ele pode se desculpar por suas ações alegando a segurança nacional. Até onde é viável sacrificar os direitos inalienáveis de todo cidadão em nome de um bem maior? O segundo problema é que ele foi eleito pelo povo, este mesmo povo que acaba usado nas mãos de alguns cujos interesses são obscuros e os objetivos mais bizarros ainda. Este sem dúvida é um inimigo não só atual, como muito próximo. Portanto, cinco aliens malvados para ele.


O que achou destes inimigos? Deixe seu comentário, até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris