Análise do inimigo: O Alien

sábado, junho 01, 2013

Não existe um alienígena mais vil, resistente, assustador e babento que o Alien. Só de jogar a palavra alien no Google, o primeiro resultado é dele. Alien, o Oitavo Passageiro, foi um dos primeiros filmes de ficção científica e horror que assisti e assisto sempre que posso a versão estendida para sofrer mais um pouquinho. Se deixarmos de lado Prometheus, veremos que o alien não é qualquer bichinho não.



Leia também:



A criação de HR Giger tem assustado toda uma geração. A ideia era ter um alienígena que não fosse benigno, tampouco que pudesse ser compreendido ou domesticado. Sua própria anatomia, uma característica marcante do surrealismo de Giger, cuja obra é marcada de erotismo, já nos mostra que este não é um bicho qualquer, mas sim uma das maiores ameaças à raça humana.

Eu morri!

Alien é uma interessante colagem de várias fontes de inspiração dentro da ficção científica, que combinadas criaram uma das mais rentáveis franquias da história, com filmes e jogos, além de uma legião de fãs. Com influências vindas de Gremlins, Moebius, HG Giger, O Planeta Proibido, Philip José Farmer, títulos de terror da EC Comics e na Segunda Guerra Mundial, surgiu uma criatura espacial totalmente hostil aos humanos, cuja única função é de incubadora.

Detalhes anatômicos. 

A 20th Century Fox resolveu financiar o filme por causa do sucesso de Star Wars e pelo crescente interesse em ficção científica. Mas ao invés de vermos os alienígenas coloridos, animados e divertidos de George Lucas, vemos um cenário lúgubre, obscuro e claustrofóbico, que sempre foi a receita de sucesso dos filmes. Uma tripulação adormecida, no rebocador comercial Nostromo, em seu retorno para casa, é acordada pelo computador de bordo ao receber um sinal desconhecido de um planeta-satélite não muito longe dali.

Ao descer próximo ao local do sinal, a tripulação descobre uma nave alienígena em meio ao ambiente hostil do planeta. E um dos tripulantes, ao investigar o conteúdo do que ele chama de bolsa, é atacado por uma criatura que ninguém nunca antes tinha visto, que continha sangue ácido e que por algum motivo misterioso amanheceu morto depois de soltar o tripulante da Nostromo. Uma das cenas mais icônicas do cinema ocorre: Kane janta com seus colegas, quando começa a passar mal. Em meio aos espasmos, uma criatura explode do peito dele e sai correndo do refeitório.

A rainha.

O que os tripulantes logo aprenderam é que a criatura era movida por instinto. Assim como muitos animais, tinha medo de fogo, porém aprendia rápido demais para o gosto de Ripley e seus amigos. A própria estrutura da criatura mostrava a dificuldade de enfrentá-la:

  • carapaça super resistente aos extremos ambientais
  • sangue ácido
  • olhos protegidos na cabeça
  • agilidade
  • flexibilidade
  • rapidez

É um inimigo perfeito em quase todos os sentidos, já que requer medidas drásticas para ser aniquilado. Ripley só consegue se livrar dele quando abriu a comporta da nave de resgate da Nostromo, devidamente autodestruída, para o desespero da Weyland-Yutani, e pela consequente despressurização da nave, que envia o bicho para o espaço. Nos outros filmes da franquia, ela precisa recorrer a meios tão ou mais drásticos do que este.

Em Aliens, o Resgate, toda a colônia em LV-426 foi aniquilada na tentativa de estudar e apreender espécimens que estavam na nave caída. A incubação é um momento de troca de DNA entre o hospedeiro e o bicho encubado. Por isso que todos os aliens gerados de humanos acabam adquirindo algumas de nossas características, uma delas a inteligência, o que o torna ainda mais perigoso do que é. É também por este motivo que a rainha percebe que o melhor jeito de ir atrás de Ripley é entrando na nave que retorna para a Sulaco.

Em Alien 3, o alien é primeiramente encubado em um cachorro, onde ele acaba adquirindo algumas de suas características. Ele caça os prisioneiros de Fiorina Fúria 161 de maneira bastante eficiente, onde Ripley o compara a um leão, sempre perto das zebras. Ele é menor do que os colegas anteriores, por ter crescido em um organismo também menor, porém isso o torna mais ágil e mais forte. Outra medida drástica é necessária para eliminá-lo: mesmo jogando chumbo quente em cima, sua carapaça resistente o faz sair quase intacto da caldeira. Ripley ativa o sistema de incêndio e o choque térmico com a água fria acaba por finalmente matá-lo.

Aliens 3.

A estrutura hierárquica deles é bem simples. Eles estão estruturados em volta da rainha, que bota os ovos com os agarradores, que envolvem a face de seus hospedeiros e introduzem em seu peito o embrião do alien. Ele irrompe do peito do hospedeiro e depois cresce, se alimentando, até se tornar adulto. Os agarradores podem incubar rainhas ou os "zangões" e soldados que costumamos ver.

Eu sempre imaginei que por toda a sua biologia radical, o Alien tivesse vindo de um ambiente extremamente hostil, ou então tivesse sido construído como uma arma biológica pela raça que o isolou em LV-426. Encher uma nave de ovos alienígenas e ainda mandar um sinal para que todo mundo se afaste é drástico, não é? E Ripley, ao analisar o sinal, avisa que aquilo não parece um SOS. Aí chega Prometheus e acaba com a alegria do nosso coreto.

Cena do jogo Aliens: Colonial Marines, para PC, Xbox, Wii e Play 3 e online.


Pontuação

O Alien é perigoso porque ele nos usa para nascer. Ele pode ficar escondido em nossos corpos sem que a gente saiba e depois teremos um fim nem um pouco agradável. Eles não forma sociedades hierarquizadas com capacidade de gerar uma civilização, nem com capacidade de viajar pelo espaço, o que os desabonaria rapidamente. Porém, o fato de ser uma praga que se propaga de maneira muito rápida, por ser muito resistente e difícil de matar, o Alien se torna um dos inimigos mais temíveis para a raça humana. Ripley precisou morrer para que o embrião da rainha não caísse nas mãos da Companhia. Portanto, cinco aliens malvados para ele.


O que acha dos Aliens? Deixe seu comentário.

Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris