Análise do inimigo: As Sombras

sábado, abril 13, 2013

As Sombras, as Trevas ou simplesmente Shadows são as três formas que aparecem nas legendas da série Babylon 5. Optei por deixar Sombras apenas pela similaridade com a tradução da palavra e com o significado dado pelo autor, mas as três acima servem para nomear esta que é uma das raças mais obscuras e perigosas do universo ficcional.




Leia também:



O criador de Babylon 5 disse que deu o nome de Shadows para esta raça alienígena por causa da psicologia junguiana, que diz que a sombra é um dos arquétipos fundamentais da civilização. Um arquétipo seria uma memória de conjunto inata ou comum à toda a humanidade. O próprio Jung definiu sombra como sendo aquilo que alguém não tem desejo de ser.

O que você quer?
As Sombras são uma raça de alienígenas incorpóreos, ou seja, já abandonaram o corpo físico para atingirem um estado de pura energia consciente, e se utilizam de exoesqueletos com várias pernas pontiagudas, semelhantes à uma aranha, porém com seis pernas, para se locomover. Catorze “olhos” são visíveis na cabeça, que brilham em tons de vermelho e laranja. Não se sabe nada a respeito de sua forma original, nem quanto eles são. São muito antigos, sendo uma das primeiras civilizações em todo o universo a alcançar as estrelas e a mudar de forma física.

As Sombras, em seu exoesqueleto.

Seus poderes telepáticos são muito fortes. Eles conseguem causar um terror intenso em todos os seres vivos menos evoluídos (como humanos) apenas por indução mental. São extremamente inteligentes e ardilosos. Escondem-se das raças menores por manipulação de luz e se utilizam de emissários, como o Sr. Morden, para atingirem seus objetivos, manipulando as pessoas baseados em seus desejos mais íntimos. Morden era membro da tripulação da nave Ícaro, que foi investigar um planeta obscuro com ruínas de uma grande civilização em nome da Aliança Terra. Este planeta era Z'ha'dum, o lar ancestral das Sombras que sequestraram a tripulação humana e destruiu a nave, utilizando seus tripulantes para os mais variados fins.

Muitos milhões de anos atrás, as Sombras evoluíram, bem como outras raças muito antigas (chamados de Os Primeiros) e chegaram a um momento em que a nossa galáxia era pequena para todos eles. Enquanto a maioria destes Primeiros resolveu explorar os limites galácticos e o imenso espaço vazio entre elas, outros ficaram responsáveis por pastorear, por assim dizer, as raças menores para que chegassem à iluminação e pudessem um dia caminhar pelo universo com eles. Tudo ia bem, até que eles entraram em pé de guerra com uma das mais poderosas da série: os Vorlons.

As Sombras, aguardando a ordem de ataque.

Problemas ideológicos rapidamente surgiram nesta tarefa de cuidar das raças menores. Enquanto os Vorlons acreditam na disciplina e na ordem rígida, as Sombras fomentavam guerras e disputas entre estas raças, acreditando que a violência era o caminho mais rápido para a evolução da espécie. Chegam a atacar de propósito estas raças, para fazê-los evoluir. Civilizações podiam ser extintas desta maneira, rebatiam os Vorlons, mas para as Sombras era a sobrevivência do mais apto que prevalecia. Desta maneira, no futuro, teriam aliados poderosos para governar a galáxia e quem sabe, o universo.

Como duas crianças grandes em uma caixa de areia, a guerra entre ambos acabou por atingir as raças menores, vítimas de abusos de ambos os lados. Sabendo que a única fraqueza dos Vorlons era no embate contra telepatas, os Vorlons começaram a realizar mudanças na genética de várias civilizações, inclusive entre os humanos, para criar gerações de telepatas capazes de combate-los. Na Terra, por volta de 2100, surgem os primeiros casos e é assim criada a Psi Corp.. Cada civilização vê os Vorlons como seres celestiais e no caso da Terra, eles são vistos como anjos, pois já visitavam nosso planeta milhares de anos atrás.

Nave de ataque.

As Sombras dominam nanotecnologia e a biologia aliada à cibernética. Suas naves, que são praticamente seres vivos, emitem guinchos estridentes quando atacam e são comandadas por um indivíduo que age como o núcleo operacional. São muito robustas, com uma forma semelhante à dos exeoesqueletos que usam e são difíceis de destruir. Foi a forma que As Sombras acharam de usar os telepatas ao seu favor, usando-os como peças de naves, o que rapidamente extingue os poucos telepatas criados entre os Narn. Isso dá às suas naves grande capacidade de manobra e de prever ataques e movimentos inimigos, mas também as deixam expostas a ataques de telepatas mais fortes.

O exoesqueleto que os protegem, no entanto, é relativamente frágil e em uma ocasião são atacados por armas de energia. Fora isso, são fortes demais, em especial no espaço em combate direto. Como não pilotam suas próprias naves, mas se utilizam dos corpos de outras raças, podem produzir quantas esquadras quiserem. Tanto que não foram derrotados pela aliança criada entre as raças menores.

Pontuação
Uma civilização muito antiga, cujas pegadas estão espalhadas pela galáxia, que joga raças menores e menos evoluídas umas contra as outras para criar civilizações fortes com quem poderão se aliar e que além disso tudo tem grandes poderes mentais e são de pura de energia não é páreo para povos como os humanos. Mesmo os Minbari, os mais evoluídos das raças humanóides, tremem ao dizer o nome dAs Sombras. No final da guerra, eles é quem acabam indo embora da galáxia porque foram convidados a viver algo melhor. Ou seja, um inimigo de respeito, que não se deve enfrentar. Cinco carcarás sanguinolentos para eles.


Acha As Sombras assim tão horríveis? Deixe seu comentário.

Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris