10 livros com protagonistas inspiradoras

Existem muitas mulheres inspiradoras na literatura. Às vezes é através destes livros que mulheres e meninas têm um primeiro contato com temas como opressão, liberdade, feminismo, rebelião, coragem e perspectivas. Pensando nisso, fiz uma listinha singela com dez livros cujas protagonistas são inspiradoras, corajosas e desafiadoras.


10 livros com protagonistas inspiradoras





Lembrando que esta lista é pessoal! Se ficou alguma protagonista de fora que você goste, não foi de propósito. Deixe o nome e o livro dela nos comentários. Vamos lá!


O ano da graça, de Kim Liggett
Em um mundo que odeia as mulheres, vive Tierney. Todas as jovens, ao completarem 16 anos, são enviadas para um tipo de acampamento onde elas devem "se livrar da magia" que enlouquece os homens. Mas Tierney logo percebe o que está acontecendo, tenta avisar às outras garotas, mas poucas lhe dão ouvidos. Tierney é uma jovem forte, que luta com as armas que têm à disposição para unir as garotas contra a opressão terrível que sofrem.
Resenha!


A telepatia são os outros, de Ana Rüsche
Irene não é nenhuma jovenzinha e as pessoas adoram lembrá-la disso o tempo todo. É cobrada por não ter marido, por não ter filhos. Depois da morte da mãe, Irene sente que precisa de algo. Precisa viver. Assim ela aceita o presente de uma amiga e parte para um retiro no Chile. E Irene sentirá todo tipo de emoções nessa jornada louca em que se meteu, conhecendo novas pessoas e novas substâncias também.
Resenha!


A sombria queda de Elizabeth Frankenstein, de Kiersten White
Quando lemos o livro Frankenstein, a personagem Elizabeth não tem voz. Mas aqui a autora deu-lhe uma vida inteira para contar. Admito que em um primeiro momento ela parece uma chata, talvez até uma interesseira, mas na verdade Elizabeth estava apenas tentando sobreviver a uma família estranha e a um garoto mais estranho ainda, Victor. Elizabeth não deixará nada de fora em sua versão dos fatos!
Resenha!


Um caminho para a liberdade, de Jojo Moyes
Alice Wright parecia ter se casado com um príncipe encantado, mas o encanto acaba logo. A moça inglesa vai parar no interior do Kentucky, morando com um sogro insuportável. É quando um projeto de uma biblioteca no lombo de cavalos para levar a literatura a locais de difícil acesso é instalado e Alice, amazona experiente e uma amante de cavalos, se torna voluntária para percorrer estradas de terra, no meio da floresta, voltando cansada e suja, mas feliz para casa todas as noites.
Resenha!


Circe, de Madeline Miller
A poderosa feiticeira de A Odisseia, de Homero finalmente tem sua voz revelada e sua história contada pelas hábeis mãos de Madeline Miller. Reconstruindo o mundo mágico e brutal de sua época, Circe nos conta sua história desde os tempos em que morava com os deuses, como vivia pelos cantos da corte da família e como acabou exilada em uma ilha por ter seus poderes percebidos pelos deuses.
Resenha!


A única mulher, de Marie Benedict
Apesar de ser um livro ficcional, a protagonista desse livro é uma mulher real, a atriz e inventora Hedy Lamarr. A autora recriou os passos de Lamarr até ela inventar o equipamento que levaria grandes invenções do mundo moderno: a telefonia celular, wi-fi e bluetooth. Acompanhamos Lamarr desde sua vida em Viena e sua estreia nos palcos, o escândalo de seu primeiro filme onde simula um orgasmo, o casamento com um aristocrata e sua chegada a Hollywood.
Resenha!


As Crônicas das Sombras, de Frances Hardinge
Makepeace mora em uma vila puritana numa época de grande agitação política na Inglaterra durante a Primeira Guerra Civil. Ela sofre com pesadelos horríveis e terá que enfrentar muitos perigos para descobrir o que está acontecendo. Se no começo ela parece uma criança assustada, Makepeace cresce vertiginosamente a ponto de tomar o controle do rumo de sua vida e dar uma volta por cima sobre todas as tribulações de sua vida.
Resenha!


Jane Eyre, de Charlotte Brontë
É preciso compreender Jane em seu mundo. O livro pode até parecer datado para os nossos olhos, mas para sua época de lançamento apresenta uma protagonista que quer ser dona de si, capaz de sustentar. É uma mulher complexa, cheia de emoções e pensamentos, ideias próprias. Tudo isso num mundo que regrava a vida da mulher desde seu nascimento, um lugar onde o projeto de vida delas era apenas se casar e ter filhos. Jane não quer abrir mão do amor, mas quer em seus termos.
Resenha!


O Ceifador, de Neal Shusterman
Citra é uma personagem que cresce muito na trilogia. Neste mundo onde as pessoas se tornaram, praticamente, imortais, é preciso controlar o crescimento populacional. Assim existem os ceifadores que escolhem vítimas aleatórias para matá-las. A questão sobre os ceifadores é que o essencial para esta função é não gostar de matar. E Citra é escolhida justamente por isso. Porque alguém que gosta de matar, geralmente, é um psicopata.
Resenhas!


Trilogia Daevabad, de S.A. Chakraborty
Nahri começa como uma ladra e depois se eleva em uma heroína de seu povo. A autora fez a personagem crescer e ascender nesta trilogia mágica baseada na cultura árabe e islâmica. É interessante notar que, no começo da trilogia, Nahri não acredita em magia, mas depois de chegar a um reino mágico, percebe que há todo um mundo fantástico oculto dos olhos comuns. Um mundo muito complicado, aliás, onde ela descobre segredos profundos sobre sua própria família.
Resenhas!

Tem mais alguma indicação? Até mais!


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

2 COMENTÁRIOS

  1. AMO 'A Sombria Queda de Elizabeth Frankenstein'! A maneira como sua trama é construída me conquistou muito (mas não dava para ser de outro jeito, vindo da autora de A Saga da Conquistadora). Jane Eyre também é uma favorita, resiliente e sempre fiel a si mesma. Ainda preciso terminar de ler a Trilogia Daevabad, o primeiro livro me conquistou demais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, Daevabad é TU-DO! Preciso conversar com alguém sobre essa trilogia!

      Excluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.