Resenha: A telepatia são os outros, de Ana Rüsche

Este é um livro bem curtinho, que você lê rápido, mas que fica na cabeça por um tempo enquanto você tenta digerir o enredo e as implicações dele. Eu leria qualquer coisa que a Ana escrevesse facilmente, até bula de remédio. Aqui temos um enredo sobre conexões. Aquelas que estabelecemos uns com os outros e com o mundo ao redor.



Este livro foi uma cortesia da autora


O livro
Irene tem 50 anos e acabou de perder a mãe. Suas amigas acham que ela precisa sair um pouco de casa, tentar esquecer um pouco o luto e Irene aceita, apesar de ainda se sentir amortecida pela morte da mãe. Precisando buscar um novo rumo na vida, de se reinventar, de conhecer melhor o mundo e quem sabe ela mesma, Irene decide aceitar o presente de uma amiga. Sua amiga desistira de ir a um retiro no Chile e como estava com passagens e estadias pagas, repassou para Irene.

Resenha: A telepatia são os outros, de Ana Rüsche

Aos 50, as pessoas não se preocupam mais se você vai ser mãe, se você irá casar. Muito menos se terá crianças. Aos 50, tudo bem não ter namorado, ficar em casa sempre cuidado da própria mãe. Afinal, aos 50, as pessoas perguntam somente sobre a saúde da sua mãe.

Página 19

Irene é uma excelente personagem. Quando o livro acabou até senti falta dela. É uma personagem madura, que abriu mão de muita coisa na vida para simplesmente poder sobreviver e que se vê em um momento decisivo entre partir para novas experiências ou se manter no mesmo caminho de antes. É um momento de crise que abate a qualquer um, ainda mais em uma idade tão simbólica quanto 50 anos. Para uma sociedade que cobra nossa juventude a qualquer preço, foi muito salutar me deparar com uma personagem como Irene e me identifiquei muito com ela em alguns momentos.

Com passagem em mãos, Irene parte para essa aventura no Chile, sentindo aquele medo natural por viver novas experiências, em um lugar novo. É um programa de seis semanas com palestras, oficinas, meditações e Irene está animada e assustada ao mesmo tempo em conhecer novas pessoas. Lá no retiro, conhecendo e fazendo novos amigos, ela descobre que os membros da comunidade fabricam uma bebida que, ao ser ingerida, confere habilidades telepáticas à pessoa. As mentes uns dos outros podem se conectar.

Outros personagens se apresentam em seguida, como Lucía, já mais ligada à comunidade do que Irene. Os amigos que Irene faz neste período estão bem caracterizados e mesmo que seja um livro tão curto cada um tem o seu devido tempo para se apresentar e mostrar a que veio. Admito que teria preferido um livro que focasse em Irene e nos seus dilemas com a bebida e com os amigos. Em um livro tão curtinho teria sido melhor centralizar nela toda a ação do que esparramar entre os vários personagens. Um livro mais longo teria dado conta.

A felicidade é uma coisa cansativa.

Página 71

A escrita de Ana é uma força da natureza, combinando força e reflexão, poesia e leveza quando é necessário. Como eu disse no começo, leria qualquer coisa que Ana escrevesse, principalmente livros mais longos. É uma escrita que não cansa, você precisa virar as páginas imediatamente. Ana conseguiu tratar de telepatia, um tema tão "nova era" da era de ouro da ficção científica de uma maneira inovadora e moderna, sem soar ultrapassado. Tem que ter muito jeito com as palavras para conseguir isso.

A edição da Monomito é uma lindeza. Bem diagramada, com um trabalho gráfico muito bonito. Não encontrei problemas de revisão ou diagramação nele. Este é o primeiro livro da coleção Universo Insólito, que vai trabalhar temas de ficção especulativa.


Ficção e realidade
Estamos cada vez mais conectadas através da tecnologia. Temos internet na palma da mão e, por consequência, o mundo, acesso instantâneo às notícias e ainda assim parecemos solitárias e isoladas em nossas bolhas. Será que a capacidade de ler a mente das pessoas poderia afastar esse sentimento ou apenas o aprofundaria?

Ana Rüsche

Ana Rüsche é uma escritora, professora e pesquisadora brasileira.


Alguns caminhos somente possuem ida, a água somente corre uma vez.

Página 32


Pontos positivos
Irene
Poético e psicodélico
Bem escrito
Pontos negativos
Personagens demais
É curto


Título: A telepatia são os outros
Autora: Ana Rüsche
Editora: Monomito
Ano: 2019
Páginas: 120
Onde comprar: na Amazon!


Avaliação do MS?
A escrita da Ana é uma mistura de potência poética com narrativa psicodélica. Leria qualquer coisa que a Ana escrevesse, até bula de remédio. Um livro sobre conexões, sobre como nos conectamos com as pessoas e com o mundo, com nós mesmas. Manda mais, Ana! E muito obrigada pela dedicatória. Quatro aliens para o livro e uma forte recomendação para você ler também!


Até mais!


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.