TAG da discórdia

Não sei bem como fui topar com essa TAG do canal Kabook TV e como adoro uma TAG literária, resolvi responder! Aqui a ideia é falar de livros que você não gostou, não quer ler ou que só você gostou e ninguém mais, causar confusão mesmo. E olha, não foi tão fácil assim responder como eu achei que seria!




Sinta-se à vontade para responder à TAG nos comentários ou no seu blog ou página do Facebook também.

Um livro que todo mundo amou, menos eu
Quando vi todo mundo falando tão bem de Uma coisa absolutamente fantástica, de Hank Green, fiquei bem curiosa para ler. E não consigo entender o que viram de tão legal. Muita gente vai se sentir atraída pelo livro por causa dos robôs gigantes, mas chega no final e você não tem nenhuma novidade sobre eles.


Um livro com protagonista insuportável/difícil de ler
Apesar de gostar muito do desenvolvimento dela nos livros seguintes, a Feyre de Corte de Espinhos e Rosas é a personagem feminina inteligente mais burra que já li em muito tempo. Pode dividir o tempo dela com a Mare, de A Rainha Vermelha. As duas não conseguem ver o que está bem na fuça delas, era irritante ter que acompanhar suas jornadas, pois era bem óbvio o que aconteceria depois.


Um livro que você deixou pela metade
As Crônicas de Nárnia, um volumão com todos os livros, que tem o Aslan na capa, sabe? Chegou uma hora que não deu mais. Nem sei se volto para ele. Tá certo que eu não sou o público alvo do enredo, mas ainda assim, mesmo que eu fosse criança ou adolescente, seria difícil de ler. Não dá mesmo.


Um livro que você se recusa a ler
Jogo do Exterminador, pela total antipatia que tenho pelo autor dele, o Orson Scott Card. Não adianta vir com papinho de que tenho que superar preconceito, quando tanta gente se recusa a ler livros escritos por mulheres apenas por serem de mulheres, enquanto o Orson é um homofóbico notório.


Um livro que você empurrou com a barriga
A Rainha Vermelha, de Victoria Aveyard. É outro livro que não entendo porque tem tanta fama, pois é uma trama previsível e facilmente reconhecível em outras tramas por aí. A menos que ela melhore muito nos volumes seguintes, não sei se quero continuar a série.


Um livro com um clichê ruim de engolir
Eva, de Anna Carey, é um livro tão insuportavelmente ruim que se tivesse só um enredo ruim seria o de menos, mas ele também trata de cultura do estupro da pior maneira possível: a protagonista, Eva, quase sofre um estupro e o quase namorado pergunta se ela queria transar com o estuprador. Ela então pra pedir desculpas do estupro que quase sofreu, abre uma frequência de rádio da resistência pra pedir desculpas pro bofe e mata um monte de gente. Essa foi de doer.


Um livro que você amou e mais ninguém
Gostei muito de toda a trilogia de Tearling, mas o último livro, O Destino de Tearling, parece não ter agradado a quase ninguém. Já eu achei uma maneira excelente de fugir dos estereótipos clássicos de livros de fantasia. Ela realmente deixa algumas pontas soltas, mas a autora inverteu vários estereótipos e isso já valeu a leitura.

Falei que a intenção era causar discórdia mesmo! Deixe suas respostas nos comentários.

Até mais! ♥️

Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

2 COMENTÁRIOS

  1. Oi Sybylla, tudo bem? Adoro acompanhar seus posts de "listas", sempre tiro referências de leitura para aumentar minha TBR.
    Mas eu acho que aqui você trocou os nomes dos autores ou dos livros. O Jogador Número 1 foi escrito pelo Ernest Cline. O Orson Scott Card é responsável pelo Jogo do Exterminador (Ender's Game). Não que o Cline seja lá flor que se cheire em seu livro também, mas era só pra fazer esse comentário.
    Beijos!

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.