TAG: Livros & blá blá blá

quinta-feira, junho 18, 2015


Tá parecendo semana das TAGs, neam? Mas eu adoro responder, gente! Sabe o meme do alien revoltado? Meldels, me segura, tem uma tag, vou lá responder! É isso. Acho as TAGs uma maneira de conhecer melhor o blogueiro e outros blogs também. Às vezes o assunto fica meio superficial ou distante, as TAGs nos aproximam um pouquinho mais. Essa TAG eu no Incriativos, mas ela é originária do blog Tiny little things.



10. Se você tivesse o poder, qual personagem de qual livro mudaria, ressuscitaria ou faria desaparecer?
Eu faria a Bella, de Crepúsculo desaparecer, assim como o cordão umbilical dela com o Edward.

Eu ressuscitaria Ned Stark, porque NÃO ME CONFORMO que esse sujeito tenha morrido de maneira tão ignóbil, em A Guerra dos Tronos.

E alguém que eu mudaria?? A Tris, de Divergente. Eu a faria independente do Quatro e mudaria o final da trilogia, com toda a certeza. A personagem merecia mais.

9. Se você tivesse que dividir sua alma em 7 livros, quais seriam?
Que pergunta difícil! Tem tantas obras com as quais me identifico... Vejamos:

O Mestre de Quéops, de Albert Salvadó
As Crônicas Marcianas, de Ray Bradbury
Americanah, de Chimamanda Ngozi Adichie
Corte Súbito, de Sandra Brown
Turma da Mônica - Laços, de Lu e Vítor Cafaggi
Old Man's War, de John Scalzi
Filha do Amanhecer, de Margaret George

8. Você já participou ou conhece algum grupo de leitura?
Nunca participei. Acho que a galera de ficção científica é tímida ou então tem lido pouco.

7. Você já sofreu algum tipo de bullying literário por causa de alguma obra que você gosta?
"Mas ficção científica não existe!", "mas isso é coisa de menino!", "nossa, mas você gosta daquele monte de alienígena e de explosão?", "ahhh, aposto que você nunca leu Asimov, deve ficar só aí nessas obras juvenis", "Poxa, queria te conhecer melhor, nunca encontrei uma mulher que gostasse de ficção científica". Estas são só algumas das coisas que eu já fui obrigada a ler e ouvir por gostar de ficção científica. Aliás, é bem comum que as mulheres e moças que curtam FC escutem esse tipo de bobagem.

6. De qual festa ou comemoração que aconteceu nos livros que leu gostaria de ter participado?
Os imensos jantares servidos no salão principal de Hogwarts! Eles pareciam tão divertidos e repletos de comida gostosa, na presença de amigos e em um ambiente mágico. Poxa, ainda estou esperando minha coruja!

5. Você considera algum livro da sua coleção como um troféu? (Foi difícil de conseguir ou foi uma conquista, um presente de alguém muito querido... etc.).
Não costumo endeusar os livros dessa forma. Tenho alguns muito importantes para mim, como The Evolution of Plants, que foi tão importante no meu mestrado e é um livro caro, mas eu o consegui e tenho no livreiro.

Outro que gosto muito é Colapso, de Jared Diamond, sempre gosto de consultar quanto preciso entender porque uma sociedade tem sucesso ou porque fracassa.

4. Qual livro você leu e gostaria de ler novamente?
Tenho vontade de reler toda a pentalogia de Ramsés, de Christian Jacq. Comprei os pocket books e eles estão ali no livreiro, ainda embalados, porque não tive tempo para pegar neles. Adoro romances sobre o Antigo Egito e esta é uma das melhores séries do período, ainda mais sobre um rei tão fantástico quanto Ramsés.

Curiosamente eu os li no computador. Lembro de ficar horas com os olhos grudados na tela e no fim mal enxergar de tanto que fiquei ali parada. Agora quero ler tranquilamente.

3. Qual é o seu maior medo no universo literário?
Que as pessoas deixem de ler os livros que queiram por preconceito com o gênero ou porque alguém falou que o livro não foi bom. Acredito que o livro é único para cada um. O modo como eu o vejo será diferente do seu modo, do modo do autor, do modo da vizinha. Apenas você pode dizer se o livro foi bom ou não segundo sua própria percepção e vivência.

Se eu digo numa resenha que ele não foi bom para mim, você pode confiar no meu taco, mas pode se arriscar e ver se foi isso tudo mesmo. O importante é ler, experimentar e virar a última página. Seja com um best seller, seja com um romance de banca.

2. Você gostaria que seus diários (ou suas memórias - para quem nunca escreveu um diário) fossem transcritos em um livro e publicados?
Mas NUNCA! E minha vida não é tão interessante assim para justificar a escrita de uma biografia. Credo!

1. Você já leu algum livro que mudou sua maneira de ver o mundo?
Dois são muito importantes para mim. Um é Americanah. Puxo muito a sardinha desse livro, mas é que ele é simplesmente poderoso. Ifemelu é uma personagem incrível e recomendo a leitura deste livro para todo mundo.

O outro é Só a Terra Permanece, de George Stewart, porque é uma distopia como poucas. É um livro muito sensível a respeito da perda e ganho de conhecimento. Quando só existem algumas pessoas vivas no mundo, vivendo do que restou da civilização, o que é importante ensinar para elas? São vários os dilemas aqui. Um livro fantástico.

Aproveito para taguear alguns bloguinhos para responder à tag, lá vai!

A Garota da Biblioteca
Meteorópole
aceita um leite?
Cabaré das Ideias
Habeas Mentem
Amanhã Procastino

Sinta-se à vontade para responder qualquer pergunta da TAG nos comentários ou no seu blog também. Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris