O que é dieselpunk?

quinta-feira, agosto 14, 2014

A ideia para este post veio do Twitter, logo depois que publiquei O que é distopia?. P.S.L. OFabuloso pediu que eu falasse um pouco sobre dieselpunk e fiquei surpresa de ver tanta coisa legal de um subgênero que pouco conhecia. Acho esse visual retrô muito bonito e bacana, mas ainda não tinha associado esse "futuro" retrô com dieselpunk.





Diesel é um óleo derivado da destilação do petróleo bruto usado como combustível, constituído basicamente por hidrocarbonetos. É um produto pouco inflamável, mais ou menos tóxico, pouco volátil, límpido, isento de material em suspensão e com odor forte e característico. Recebeu este nome em homenagem ao engenheiro alemão Rudolf Diesel que criou um meio mecânico para explorar a reação química originada da mistura de óleo e do oxigênio presente no ar.

Já o dieselpunk é um gênero que combina a estética da tecnologia baseada em diesel (e às vezes outros combustíveis) com influências do período entre guerras mundiais até, mais ou menos, 1950 e mescla tecnologia pós-moderna futurista com este combustível. O termo foi cunhado em 2001 pelo designer de jogos Lewis Pollak e por Dan Ross para descrever seu RPG Children of the Sun. Desde então, ele foi aplicado à uma grande diversidade de produções nas artes.


Ele é derivado do bem mais conhecido sub-gênero cyberpunk, que geralmente é associado aos anos 80. Na cultura ocidental ele se popularizou bastante, pois até os anos 50, a locomoção era quase que inteiramente movida por diesel. A presença do sufixo -punk representa uma contracultura de maneira a se opor à estética contemporânea. Ele difere do steampunk que foca numa ficção científica da era vitoriana.

Dieselpunk é carregado no estilo noir, aquele ar enevoado, perturbado pelo barulho dos motores e pelo jazz saindo dos bares e pubs. Foi dele que surgiu também o decopunk, numa alusão a art déco, em 2008. Muitos consideram que o dieselpunk seja a parte suja do steampunk, enquanto o decopunk, baseado no visual e tecnologia dos anos 10-20, seria a parte limpa, com um visual cromado e brilhante.

A principal inspiração é a Era Diesel, período que começa no momento entre guerras mundiais. Vai desde o fim da Primeira Guerra até o final da Segunda. Mas o fim desta era ainda é alvo de controvérsias, com alguns autores estendendo o período até o começo dos anos 50. Mesmo sendo um termo bem novo, vemos que vários elementos do dieselpunk já estavam presentes na cultura como nas artes, com o expressionismo abstrato, Art Deco, Bauhaus, o Construtivismo, o Cubismo, o Futurismo e o Surrealismo. O Jazz, o Blues e o cabaret.

Churchill estilo dieselpunk. 

Normalmente, o mundo imaginado aqui ainda tem a Segunda Guerra Mundial como se fosse uma Guerra Fria prolongada. A Quebra da Bolsa de 1929 não teria acontecido, garantindo os avanços tecnológicos e financeiros da sociedade ocidental no período. É um mundo onde o Japão não se rendeu e os nazistas prosseguem suas experiências na área da biotecnologia.

É muito comum vermos representações feitas neste período entre guerras sobre o futuro como sendo um lugar retrô, guardando características do passado, com as tecnologias que eram a sensação da época. Esta visão de futuro não acertou muita coisa depois de todas estas décadas, mas serviu de inspiração para autores e artistas que nos deram aventuras com estilo noir. Assim como na sociedade, as guerras mundiais trouxeram suas consequências em tecnologia - tanto benéfica quanto maléfica - e sociedade e o dieselpunk usa este fértil caminho para seus enredos.

Os mundos podem ser distópicos ou não, pós-apocalípticos ou não. Em alguns vemos o desenvolvimento de tecnologias espaciais, nucleares e até o melhoramento das tecnologias a diesel, sempre com ambientes semelhantes aos filmes da época. Este é um gênero para saudosistas e até para aqueles que estão começando na ficção científica e gostariam de ter algo mais próximo dos ambientes passados, sem detalhes técnicos tão profundos.


Obras de referência:

Livros: Dieselpunk, da Editora Draco talvez seja a obra mais importante em língua portuguesa. Guerra dos Mundos, de H. G. Wells e A Torre Negra (série) de Stephen King também são considerados dieselpunk.

Cinema: Capitão América, Sin City, trilogia MadMax, Sucker Punch, Brazil, Hell Boy, Capitão Sky e o Mundo de Amanhã. Toda a série Indiana Jones e os dois filmes de Batman, dirigidos por Tim Burton.

Televisão: Astro Boy,

Quadrinhos, graphic novels e mangás: Sin City, de Frank Miller. Full Metal Alchemist, de Hiromu Arakawa

Games: Final Fantasy VII, Fallout e BioShock, Bandits: Phoenix Rising, Crimson Skies e Command & Conquer: Red Alert.



Leia também:


The 10 Best Dieselpunk Movies


Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris