10 coisas que você não sabia sobre Entrevista com o Vampiro

Entrevista com o Vampiro (1994) é um dos meus filmes favoritos! Adoro a atuação de Tom Cruise como o vampiro Lestat. O vampiro Louis concede uma entrevista ao jornalista Daniel Molloy, onde conta sobre sua vida pregressa, seu encontro com as trevas, a transformação em vampiro e a difícil convivência com Lestat, o vampiro que o transformou.

10 coisas que você não sabia sobre Entrevista com o Vampiro




Dirigido por Neil Jordan e com roteiro da própria Anne Rice (bastante modificado, aliás), Entrevista com o Vampiro teve 60 milhões de dólares de orçamento, faturando ao todo cerca de 224 milhões em bilheteria, tanto nos Estados Unidos quanto no resto do mundo. O filme logo se tornaria cult e amado por muitos fãs de vampiros.


👉Leia também: Resenha: Entrevista com o Vampiro, de Anne Rice


10. Desenvolvimento
O livro de Anne Rice foi publicado originalmente em 1976. Os direitos foram comprados pela Paramount Pictures em abril daquele ano, mesmo antes do livro ser lançado oficialmente. Mas o roteiro caiu em um limbo infernal e foi vendido para a distribuidora Lorimar e eventualmente caiu no colo da Warner Bros. O projeto ficou engavetado até que o diretor Neil Jordan foi sondado para dirigir a adaptação após o estrondoso sucesso de seu filme Traídos pelo Desejo (1992). Jordan admitiu ficar interessado no roteiro, mas se apaixonou de vez pela história após a leitura do livro de Anne Rice, cujo roteiro foi alterado pelo diretor para se adequar melhor à sua visão. Se o filme tivesse saído no final dos anos 1970, é provável que o papel de Lestat fosse de John Travolta!


9. Drácula, de Bram Stoker
Com os direitos vendidos lá em 1976, por que demorou tanto tempo para o filme sair? Havia certo preconceito com filmes de vampiros devido às produções mal sucedidas e de baixo orçamento que tinham deixado uma marca de filmes B sobre o gênero. Quando o estúdio ficou sabendo sobre o projeto de Coppola, eles pensaram em tentar mais uma vez. Mas esperaram para ver como ele se sairia nas bilheterias, em 1992. Com o sucesso e a febre dos vampiros pelo mundo, o estúdio deu o OK que Neil Jordan queria.


8. Tom Cruise
Quando Anne Rice escreveu o livro e imaginou o personagem Lestat, ela usou a imagem do ator Rutger Hauer como inspiração. Ao escrever o roteiro, ela queria o ator francês Alain Delon como Louis e o britânico Julian Sands para Lestat. Mas o tempo foi passando, o projeto não saía até que em 1993 o estúdio deu o OK para a produção. A escolha do astro e galã Tom Cruise desagradou Anne profundamente que não poupou críticas pela escolha. Mas Cruise sabia no que estava se metendo: ele leu todos os livros sobre Lestat, aprendeu piano, aprendeu esgrima e passou uma temporada em Paris e Nova Orleans para apreender o clima do livro. Ao assistir à atuação de Cruise na pré-estreia, Rice mudou de ideia e disse que o trabalho foi maravilhoso. Ela até ligou para o ator para pedir desculpas. Cruise recebeu 10 milhões de dólares pelo papel, mais participação nos lucros. Nada mal...


7. River Phoenix
Originalmente, o jornalista que entrevista Louis, Daniel Molloy, seria interpretado pelo ator River Phoenix, irmão de Joaquin Phoenix. Porém, River morreu algumas semanas antes do começo das filmagens. O ator Christian Slater foi então escalado para interpretar o jornalista por um salário de 250 mil dólares que Slater doou para obras de caridade em nome de Phoenix. Nos créditos finais, o filme tem uma dedicatória ao ator.


6. Kirsten Dunst
A atriz mirim na época impressionou o público no papel da menina Claudia, vampirizada por Lestat a fim de prender Louis ao seu lado. Ela foi descoberta por um caça-talentos, que se tornou seu agente. Quando ela foi para o teste do papel, ele estava ouvindo atrás da porta e a parou na saída. Eles entraram novamente na sala e ele disse aos produtores: "ela sabe fazer mais do que isso". Ele então mandou que ela fizesse o teste de novo. Deve ter funcionado, por que né? O beijo que ela deu em Brad Pitt na cena da sacada foi seu primeiro beijo, mas a atriz admitiu que detestou.


5. Brad Pitt odeia o filme até hoje
Chegou uma hora que Brad Pitt já estava de saco cheio do filme. Ele recebeu o roteiro apenas duas semanas antes do início das gravações. Foram seis meses interpretando aquele personagem melancólico e triste, usando lentes de contato bastante incômodas, passando horas num set escuro e passando frio pelas ruas de Londres e Paris. Um dia ele ligou para o produtor, o veterano David Geffen e disse: "cansei, já deu, não consigo mais. Quanto vai me custar para largar a produção?" E David respondeu: "40 milhões de dólares". Brad Pitt ficou.


4. Claudia dos livros X Claudia do filme
Rice ficou muito feliz com a atuação de Kirsten Dunst no longa. Claudia é uma personagem complexa, pois é uma mulher presa no corpo de uma criança, incapaz de se manter sozinha. No romance, Claudia tem apenas 5 anos, o que tornava difícil no longa colocar uma criança tão pequena com trejeitos tão adultos. Claudia foi inspirada na filha de Rice, Michelle, que morreu aos 5 anos, em 1972, devido a uma leucemia. Rice disse uma vez:

Tive esse sonho profético com a minha filha morrendo por causa de algo ruim em seu sangue. Um sonho horrível.


3. Homofobia
Consciente da homofobia tanto da sociedade em geral como do estúdio, Anne Rice precisou suavizar o tom homoerótico do livro ao escrever o roteiro. Em um determinado momento, ela escreveu Louis como sendo uma mulher e David Geffen até considerou a cantora e atriz Cher para o papel. De fato, Cher chegou a escrever uma música para o filme, com Shirley Eikhard, chamada "Lovers Forever", que foi rejeitada pelos produtores e depois lançada no álbum da Cher de 2013, "Closer to the Truth".


2. A fazenda
A casa de fazenda onde mora Louis é uma fazenda real chamada Destrehan Plantation, a oeste de Nova Orleans. Mas também foram usadas imagens filmadas na Oak Alley Plantation, na margem do rio Mississippi em Vacherie, Louisiana. Histórias locais dizem, por sua vez, que esta última é assombrada. Diz a lenda que a dona anterior, Josephine Stewart, ou sua filha, Louise, teriam perdido uma das pernas após uma gangrena. Uma das duas assombraria o lugar até hoje e há membros da equipe que alegaram ver uma figura espectral de longos cabelos compridos zanzando pela fazenda.


1. De pernas para o ar
Era preciso três horas de maquiagem para os atores ficarem prontos para a filmagem. E a técnica era bastante desconfortável. Tom, Brad, Kirsten e todos os outros atores que interpretavam vampiros tinham que ficar de cabeça para baixo durante meia hora, várias vezes, para que o sangue corresse para a cabeça. Assim os maquiadores podiam traçar com maquiagem as veias no rosto dos atores e dar aquele aspecto translúcido, fino e aterrorizante. Michèle Burke, chefe do departamento de maquiagem do filme, é ganhadora de dois Oscars da Academia, um por A Guerra do Fogo (1981) e o outro por Drácula de Bram Stoker (1992).

prometo me livrar dos corpos

Tem pra alugar no Amazon Prime!

Até mais!


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

1 Comentário

  1. Sybylla, você me deixou morrendo de vontade de rever o filme! Ou melhor, ler o livro, que eu nunca li. Sempre tive curiosidade a respeito da tradução feita pela Clarice Lispector aqui no Brasil. Beijo, beijo :*

    Não Me Mande Flores

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.