Resenha: 2001, Uma Odisseia no Espaço, de Arthur C. Clarke

sábado, janeiro 17, 2015

Um dos maiores clássicos de ficção científica! Arthur C. Clarke transformou ficção científica em poesia ao escrever o roteiro junto de Stanley Kubrick e transformar em épico esta obra. Ligeiramente diferente do que foi mostrado nas telonas, o livro conta com mais detalhes a jornada da humanidade, desde os hominídeos primitivos até suas caminhadas no espaço.





O livro
Três milhões de anos atrás, uma tribo de hominídeos ancestrais segue sua vida pacata, quando percebem algo diferente na paisagem. Algo grande e reluzente aparece perto de seus abrigos. Um único indivíduo demonstra coragem suficiente para se aproximar do monólito para tocá-lo, o que inicia o desenvolvimento evolutivo que levaria à nossa espécie.


Este encontro é essencial para chegar ao estágio em que a humanidade possa desenvolver as ferramentas que levariam ao desenvolvimento de civilização, aprimorando tais ferramentas, tais utensílios, desde o momento em que aquele hominídeo primitivo usar de um osso como arma. A partir daí a humanidade alcança o espaço e o coloniza.

Chegamos em 1999. A raça humana está numa era de ouro da exploração espacial, tendo montado estações espaciais e bases na Lua. há uma intensa especulação sobre a existência ou não de vida fora da Terra, que aumenta ainda mais com a descoberta de algo que mudaria para sempre a visão do cosmos: um monólito enterrado em uma cratera lunar. Ele não emite luz, não reflete, está apenas ali, parado, como uma sentinela. Quando uma equipe de pesquisadores se aproxima dele, o objeto emite um estranho sinal, rumo a uma das luas de Saturno.

Em 2001, a nave Discovery One ruma a Saturno. Seus tripulantes são David Bowman e Francis Poole, junto de outros três astronautas em animação suspensa. É nela que está HAL 9000, sem dúvida um dos personagens mais instigantes do livro. HAL é uma inteligência artificial, responsável pelo funcionamento da nave e pela vida dos tripulantes. O melhor exemplo de ferramenta criada pela humanidade desde o osso usado pelos hominídeos.


A nave começa a apresentar estranhos defeitos, coisas que jamais deveriam acontecer, como um defeito na antena que mantinha a comunicação da Discovery com a Terra. Os diálogos de Bowman e Poole deixam claro que eles sabem que HAL está agindo de maneira estranha e que pode ter algo mais acontecendo com sua missão. É como se o computador central da nave estivesse escondendo alguma coisa, ou pior ainda, mentindo para eles.

Admito que estranhei quando li que a Discovery ia para Saturno e não para Júpiter. Mas isso muda nos livros seguintes e não interfere com a linha temporal de eventos que ocorrem depois disso. Clarke tem uma narrativa fluída, sem tropeços, bastante amigável até para quem não é muito fã de ficção científica. As explicações científicas não são complicadas e é possível acompanhar muito bem todos os eventos. O final, assim como no filme, é épico e emocionante, mas pode não agradar àqueles que curtem um pouco mais de ação.


Ficção e realidade
É interessante ver como 2001 trabalha a questão do astronauta no passado. Não temos seres humanoides superiores aparecendo em naves para construir pirâmides e que precisam de pistas de pouso. Temos um objeto escuro, reto, que apenas fica parado lá, aparentemente, fazendo nada, cujo funcionamento nós não entendemos. Mas este monólito, especialmente nos livros seguintes, apresenta atividade intensa, em grande parte incompreensível.


O livro permite compreender melhor que a jornada humana está dividida em três atos: a evolução dos hominídeos primitivos para a humanidade moderna, o conflito com a máquina e a jornada desconhecida que se aproxima. E o monólito está presente em cada um destes atos, dirigindo as cenas como um maestro misterioso e com desígnios desconhecidos, tal como uma divindade.


Pontos positivos
Exploração espacial
HAL 9000
Monólito

Pontos negativos
Alguns capítulos arrastados
Baixa representatividade feminina


Título: 2001, Uma Odisseia no Espaço
Título original: 2001: A Space Odyssey
1. 2001, Uma Odisseia no Espaço
2. 2010, Uma Odisseia no Espaço 2
3. 2061 Uma Odisseia no Espaço 3
4. 3001, A Odisseia Final
Autor: Arthur C. Clarke
Editora: Aleph
Páginas: 336
Onde comprar: Amazon


Avaliação do MS?
Quem é fã do filme, provavelmente é fã do livro. Sendo bem sincera, eu não curti tanto o filme por ele ser meio paradão para o meu gosto. Mas admiro muito seus grandiosos cenários e o cuidado com a ciência que foi tomado tanto no longa quanto no livro. É uma ficção científica obrigatória para qualquer fã do gênero. Cinco aliens para ele e uma forte recomendação para que você também o leia ou releia.


Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris