Resenha: Condado Maldito: Bruxas & Assombrações v.1, de Cullen Bunn e Tyler Crook

Condado Maldito foi uma grata surpresa no final de 2020. Um quadrinho que te leva em uma direção e depois para outra totalmente diferente, com toques de gore e um horror visceral pelas páginas. Publicado lá fora pela Dark Horse Comics entre 2015 e 2018, em 32 edições, o quadrinho será publicado pela DarkSide em parceria com a Macabra Filmes em oito edições especiais.





Parceria Momentum Saga e
editora DarkSide


O quadrinho
Começamos nossa jornada com Emmy Crawford, uma jovem que mora com seu pai em uma fazenda no pequeno e provinciano condado de Harrow. Este condado esconde um passado sombrio, perturbador e violento, pois os moradores condenaram uma bruxa à morte. Brutalmente espancada, esfaqueada, enforcada e queimada. Em meio a todo esse sofrimento, a bruxa faz uma promessa àqueles que a assassinaram. Algo que assombra as pessoas mesmo anos depois.

Resenha: Condado Maldito: Bruxas & Assombrações v.1, de Cullen Bunn e Tyler Crook


Os anos passam, a vida segue, Emmy vive seus dias até completar 18 anos. Tal como todo jovem do lugar, ela cresceu ouvindo os boatos e as histórias do condado, sem exatamente se preocupar com eles. Em meio à empolgação de seu aniversário, Emmy sente algo diferente: a sensação de que está sendo observada. Além disso, há os pesadelos que ela sente estarem conectados às estranhas criaturas que vivem na floresta em volta da fazenda.

É como ele disse… não sou um monstro, mas posso ser.

É muito fácil simpatizar com Emmy, pois ela é uma jovem que está começando a vida adulta, que tem seus sonhos e desejos, que também tem seus objetivos, mas acaba sendo levada para uma situação insólita além de qualquer compreensão ou explicação racional. Além de ter que enfrentar seus medos, terá que enfrentar o preconceito e a intolerância de pessoas que conheceu durante toda uma vida. Não importa se Emmy é gentil, querida na comunidade, pois assim que ela compreende o que está acontecendo ao ganhar poderes sobrenaturais, começará a ser julgada por todos.

Admito que quando comecei a ler Condado Maldito eu esperava que o roteiro seguisse de uma maneira e, felizmente, os autores conseguiram me surpreender. Não só Emmy é uma personagem interessante, mas os secundários também chamam a atenção e a forma como interagem com ela. Principalmente o Garoto Sem Pele que, por mais bizarro que possa parecer, mostra um viés inesperado na leitura.

Emmy


Este primeiro volume é bem introdutório, mas não quer dizer que não tenha muitas cenas perturbadoras de puro horror. Enquanto nos familiarizamos com os personagens e com o condado em si, que também age como um personagem, coisas estranham espreitam por Emmy na floresta. Gostei muito da forma como o enredo foi conduzido, mexendo com nossas perspectivas e na forma como terminou, pois eu não imaginei que seguiria aquele caminho.

A edição da DarkSide é em capa dura, papel especial no miolo e muitos extras no final, onde artistas como Jeff Lemire e Joëlle Jones dão suas visões à obra de Bunn e Crook. A arte de Crook, aliás, é show de bola. A atmosfera de horror está muito bem trabalhada e os personagens bem desenhados, principalmente as expressões faciais. Aliada a um bom roteiro de Bunn, temos um grande quadrinho. A tradução ficou com Jim Anotsu e está ótima. Não há erros ou problemas de revisão e diagramção no quadrinho.

Cena de Condado Maldito



Obra e realidade
Uma coisa bem interessante do quadrinho está em suas assombrações. Existem fantasmas assombrando a floresta por onde Emmy caminha, mas ele não são figuras translúcidas e etéreas. São seres incandescentes, o que dá uma aura mais mística e pagã do quadrinho. Os autores, aliás, souberam explorar o conflito entre fanatasimo religioso e paganismo muito bem, evocando grandes conflitos religiosos e ideológicos da história. Sem falar em toda a discussão sobre intolerância feita na figura de Emmy e em suas escolhas. Quem leu, entendeu a referência!

Cullen Bunn e Tyler Crook


Cullen Bunn é um autor de histórias em quadrinhos norte-americano. Tyler Crook é um ilustrador e colorista de quadrinhos norte-americano.


Pontos positivos
Emmy
Bem escrito
Cores e traços
Pontos negativos
Introdutório
Final em aberto

Título: Condado Maldito vol.1
Título original em inglês: Harrow County
Autores: Cullen Bunn e Tyler Crook
Tradutor: Jim Anotsu
Editora: DarkSide (selo Macabra)
Páginas: 160
Ano de lançamento: 2020
Onde comprar: na Amazon ou na loja da DarkSide com um brinde exclusivo!


Avaliação do MS?
Eu esperava uma coisa, recebi outra e muito melhor! Adorei seguir nessa jornada macabra ao lado de Emmy e entrar na floresta com tantos seres à espreita. As cores, os traços, o enredo, os extras, é um grande quadrinho que vai agradar e muito aos fãs de horror. Quatro aliens para Condado Maldito e uma forte recomendação para você ler também!



Até mais! 💀


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

1 Comentário

  1. Tenho os dois primeiros volumes aqui para ler e espero muito gostar. A proposta e arte dessa hq é maravilhosa!

    Bjs

    Imersão Literária

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.