Resenha: A morte da Sra. Westaway, de Ruth Ware

Este foi o meu primeiro contato com Ruth Ware, a mesma autora de A mulher na cabine 10, e não sabia bem o que esperar. Adoro um bom thriller e enredos de mistério e este aqui tem uma protagonista feminina, então já me fisgou logo de cara. Aqui vamos acompanhar uma perigosa jornada no meio de uma família desunida e marcada pela presença poderosa da matriarca, a Sra. Westaway.





Parceria Momentum Saga e
editora Rocco


O livro
Começamos o livro acompanhando a jornada solitária de Hal Westaway, uma jovem que mora sozinha na região de Brighton, na Inglaterra, uma conhecida cidade turística. Hal volta para casal, um apartamento apertado na região do pier onde trabalha, carregando seu peixe com fritas para o jantar. Na porta se acumulam as contas. Todas elas cobrando meses de luz, aquecimento, água, atrasados. Hal está preocupada com tantas cobranças, paralisada na vida desde a morte da mãe, alguns anos antes, perto do seu aniversário de 18 anos.

Resenha: A morte da Sra. Westaway, de Ruth Ware


Hal lê tarô em uma cabine no pier e precisa juntar cada centavo para pagar o aluguel e comer. Magra, cabelo curto e preto caindo nos olhos, a vida não tem sido nada gentil com ela. Devo dizer que a forma como a autora conta todos os perrengues de Hal é bem angustiante. Não tem como não se compadecer, nem mesmo se identificar com a situação de Hal e de querer entender como ela chegou nessa situação. No meio das contas, mais um bilhete misterioso, com aquele que encontrou na cabine. Hal está enrolada em dívidas e precisa pagar ou as consequências serão desastrosas.

Eis que ela nota um envelope diferente na pilha de cobranças. É de um advogado dizendo que ela tem uma avó que faleceu recentemente e que lhe deixara algum tipo de herança. Aí pode estar a solução para todos os seus problemas financeiros, uma saída para o terrível labirinto de onde não consegue sair. Só tem um problema: seus avós morreram muitos anos antes. Será que Hal tem coragem de tentar dar o golpe nessas pessoas? Quais as consequências de tal ato?

Começa então um thriller intenso onde acompanhamos uma angustiada Hal se aventurando no seio da família Westaway. Nem é preciso ler muito sobre a dinâmica daquela família para perceber que tem algo muito errado entre eles. Primeiro o fato de nenhum deles amar a mãe e nem parecerem abalados pela partida dela. E segundo o fato de aceitarem Hal na família sem muito pestanejar. O que será que aquela mansão velha e desgastada esconde?

(...) a verdade era que as pessoas gostavam do tarô porque dava a elas a ilusão de controle, de haver forças orientando suas vidas, um para-choque para o destino aleatório e sem sentido. Mas gostavam de Hal porque ela era boa no que fazia.

Página 31


Cada personagem criado por Ruth é bem construído e irritante, pessoas com quem você pode esbarrar ali na esquina, complexas e com seus próprios segredos. Parece que cada um esconde algum segredo de família, ainda que essa família seja desajustada e esquisita em que ninguém teria vontade ou disposição de proteger alguém. A tal da Sra. Westaway aparece apenas em lembranças dos parentes, mas podemos ver bem o tipo de pessoa que ela era quando diz que a abertura de seu testamento "liberaria uma torrente". É como se ela quisesse que sua morte desencadeasse eventos com os quais não teve coragem de lidar ainda em vida. E de fato desencadeou.

Entre os capítulos, temos páginas de um diário de uma pessoa não identificada no começo, mas que fornece uma visão de dentro da casa quando a Sra. Westaway ainda era viva e como ela tratava os próprios filhos, que não aguentavam mais viver sob o mesmo teto com ela. Me identifiquei com Hal em vários momentos, pois eu também só tive a minha mãe durante a vida e sempre fomos nós duas contra o mundo. Essa sensação de impotência de Hal me é bastante famíliar e acho que isso me fez entrar na leitura de maneira intensa.

Gostei da forma como Ruth descreve os lugares e as situações. Tinha cenas em que eu temia virar a página, mas ao mesmo tempo não queria parar de ler. Mais um drama familiar, temos também um thriller investigativo, onde Hal assume a função de um investigador quando descobre alguns segredos em seu tempo na casa. A própria casa é uma personagem do enredo, já que guarda tantos segredos e é tão vividamente descrita pela autora. Ela é tão ou mais deprimente do que a imagem da capa mostra.

O livro tem capa macia e páginas amarelinhas, bem confortável de ler. Encontrei alguns errinhos bobos de digitação no livro, nada que possa atrapalhar a leitura. A tradução ficou na mão de Alyda Sauer e ficou muito boa.

Era sempre assim. Os céticos jamais se convenciam, e os que acreditavam não podiam ser convencidos do contrário.

Página 250



Obra e realidade
Gostei também da forma como a autora trabalhou a questão do tarô no livro. Longe de acreditar em misticismo, Hal admite que não crê no poder das cartas e diz aos clientes que as cartas não dizem nada que você não saiba. E ela até deixa claro para as pessoas a quem faz uma leitura que as cartas apenas reforçam uma resposta que a pessoa já tem dentro de si. Claro que existem pessoas que enganam as outras e conseguem tirar dinheiro com leituras mirabolantes, mas Hal não faz isso porque não acha justo com a outra pessoa. Não é porque ela não acredita no poder das cartas e da leitura que o pedido da pessoa não seja real e angustiante.

Ruth Ware


Ruth Ware, pseudônimo de Ruth Warburton, é uma escritora britânica de thrillers psicológicos.


Pontos positivos
Personagens bem construídos
Bem escrito
Histórias interligadas
Pontos negativos
Final em aberto


Título: A morte da Sra. Westaway
Título original em inglês: The Death of Mrs. Westaway
Autora:Ruth Ware
Tradutora: Alyda Sauer
Editora: Rocco
Páginas: 320
Ano de lançamento: 2021
Onde comprar: na Amazon!

Avaliação do MS?
Ainda que o final um tanto aberto e com algumas poucas resoluções tenha tirado um pouco o gosto do enredo e do thriller que fisga quem está lendo, gostei do livro no geral. A forma como os segredos são revelados trazendo mais um a reboque de fato te prendem na leitura. Se você é fã de dramas familiares e segredos ocultos há muito guardados, vai curtir esse livro. Quatro aliens para o livro e uma forte recomendação para você ler também!




Até mais!


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.