Resenha: Sisters of the Vast Black, de Lina Rather

Esse é um ebook que estava no meu Kindle faz um tempinho. Mas foi em uma lista que sugeria space operas para ler na pandemia que reencontrei o ebook perdido. Aqui nós temos as irmãs da Ordem de Santa Rita em missão no espaço profundo à bordo da nave Nossa Senhora das Constelações Impossíveis (Our Lady of Impossible Constellations). Mas não será uma missão fácil!





O livro
Muitos e muitos anos atrás, a Terra enviou ordens religiosas ao espaço de maneira a levar a palavra de Cristo às colônias distantes. Uma dessas ordens é a Ordem de Santa Rita, em uma missão interestelar à bordo da Nossa Senhora das Constelações Impossíveis, uma nave orgânica que respira e se reproduz. As irmãs, diferente da realidade, têm autorização para realizar casamentos, batizados e dar os últimos sacramentos, além de ouvir confissões.

Resenha: Sisters of the Vast Black, de Lina Rather


O universo criado por Lina é vasto e bem apresentado, ainda que seja uma novela de apenas 160 páginas. Conforme acompanhamos o dia a dia das irmãs, vamos descobrindo que uma guerra longa e violenta quase destruiu a Terra e seu Governo Central. As colônias acabaram se tornando um lugar seguro para se viver para muita gente, ainda que paire o medo recorrente de um novo conflito.

As irmãs foram muito bem retratadas e gostei muito de Irmã Gemma e Irmã Lucia que, mesmo com dúvidas e tendo sua fé abalada algumas vezes, sempre souberam onde seus corações deviam ficar. E vamos falar dessa nave orgânica?? Que nave! Uma das rotinas de Gemma e Lucia é a de manter a nave bem alimentada, hidratada e funcionando, com seus ovos bem acomodados. Mas as irmãs estão em um dilema moral: se a nave é um ser vivo, ela deve ser tratada como se fosse uma pessoa consciente? As naves orgânicas podem cruzar com outras naves e botas ovos em seguida, e a Nossa Senhora das Constelações Impossíveis parece estar liberando feromônios no espaço, chamando um parceiro. E aí? Deixar ou não cruzar?

Estamos todos dispersos e sozinhos por aqui, a menos que tentemos ser melhores. Não devemos ser brutais apenas porque o universo é.

(tradução livre)

Enquanto isso, a nave recebe um chamado de uma colônia que quer que as irmãs celebrem um casamento e um batismo. Enquanto se dirigem para lá, Irmã Lucia teme pela sanidade da Madre Superiora, uma mulher cheia de segredos, que se comunica apenas pela linguagem de sinais. Admito que chegar ao final da novela e descobrir os segredos da Madre foi bem empolgante. Tudo se encaixa e faz sentido. E a colônia tem um papel importante no enredo. As irmãs são muito bem recebidas, abençoam o lugar e o bebê, o primeiro cidadão neste novo assentamento.

A dinâmica dessas irmãs é também interessante. Longe de serem perfeitas, cada uma tem características próprias. Irmã Faustina, por exemplo, não é muito dada a delicadezas ou emoções. É uma mulher mais fria e distante do que Irmã Gemma, por exemplo, mas nem por isso Faustina deixa de ser humana e de honrar os votos que fez quando se tornou freira. Essas mulheres não abandonaram seu senso crítico e quando percebem que sua autonomia pode ser ameaça por um enviado da igreja, na Terra, elas logo expressarão seu descontentamento.

É realmente uma pena que a novela seja tão curta, pois eu leria fácil mais cem páginas, acompanhando essas mulheres e sua nave orgânica. A autora discute religião, fé, amor, autonomia, guerra e opressão de maneira muito contundente, mas muito bem colocada no enredo. O início pode ser meio lento, mas o enredo acelera do meio para o final e termina de maneira muito positiva. Fico pensando se terá continuação, pois lerei com certeza!

Infelizmente não há uma tradução para o português, mas se você lê em inglês, vai curtir essa novela. Não encontrei problemas de diagramação ou de revisão no ebook que está num preço justo na Amazon.

A religião foi um braço muito útil do Estado várias vezes. Que melhor maneira de destruir a resistência do que possuir a alma do povo? Que melhor maneira de estender seu governo do que vinculá-lo ao nome de Deus?

(tradução livre)


Ficção e realidade
Uma coisa que a novela trabalha e muito bem é a questão da caridade e de fazer o bem, elementos que estão no cerne do cristianismo. Ou pelo menos foi o que eu aprendi nas aulas de ensino religioso do colégio de freiras onde estudei por onze anos. Nossas aulas eram marcadas pela importância da caridade, mas também de reconhecer as origens das desigualdades sociais. Só a caridade não resolve os problemas do mundo, mas combater as desigualdades sim. Não sei exatamente o que é que algumas pessoas andam pregando por aí, principalmente certos pastores, mas não é cristianismo.

Lina Rather


Lina Rather é uma escritora norte-americana de ficção especulativa, principalmente ficção científica.


Pontos positivos
Freiras no espaço!
Bem escrito
A nave
Pontos negativos
Não tem em português
Acaba rápido!

Título: Sisters of the Vast Black
Autora: Lina Rather
Editora: Tor Books
Páginas: 160
Ano de lançamento: 2019
Onde comprar: na Amazon!


Avaliação do MS?
Se você lê em inglês e está procurando por uma space opera cativante, então encontrou! Comecei a ler sem nenhuma pretensão e cheguei ao final torcendo para ter mais livros com as irmãs da Ordem de Santa Rita e sua nave orgânica. Quatro aliens para o ebook e uma forte recomendação para você ler também!



Até mais!


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

2 COMENTÁRIOS

  1. boa indicação! era o tipo de livro que estava procurando! bora ler!

    ResponderExcluir
  2. Adorei o livro! Tinha comprado na época em que li esta resenha, mas devido a muita coisa na fila, só parei pra ler agora — e foi de uma vez só. Impressionante como Lina cria um universo ficcional coerente e completo com algumas poucas pinceladas literárias, sem infodump, sem longas explicações fora da narrativa principal. E as irmãs são todas extraordinárias, além do inesperado da própria bionave.

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.