Resenha: As outras pessoas, de C. J. Tudor

As outras pessoas é o segundo livro de C. J. Tudor a ser lançado primeiro na caixinha do Clube Intrínsecos! O primeiro foi O que aconteceu com Annie, que você já encontra resenhado aqui no blog. Neste livro temos um pai em uma busca insana pela filha que todos dizem que está morta, mas que ele jura ter visto na estrada, no banco de trás de um carro.



Este livro foi uma cortesia da editora Intrínseca


O livro
Gabe Forman é um sujeito aparentemente comum, preso no trânsito na volta para casa de um dia qualquer, atrasado para o jantar em família. Digo aparentemente comum porque ao longo da leitura vamos descobrindo alguns de seus segredos que mostram seus defeitos, seus medos, seu passado, que vão impactar diretamente na trama. Ele está lá no trânsito, pensando no desapontamento da esposa pelo seu atraso, quando repara no carro da frente. Sua filha Izzy, de 5 anos, aparece no vidro traseiro, gritando “papai”. Gabe acha que está alucinando, mas tem certeza de que viu sua filha.

Resenha: As outras pessoas, de C. J. Tudor

Só que ninguém acredita nele. Isso porque quando Gabe chega em casa, descobre pela polícia que sua esposa e sua filha estão mortas. Alguém entrou na casa e as matou. C.J. Tudor nos poupa dos detalhes sangrentos, algo que não podemos dizer de outros autores do gênero. A autora sabe criar suspense, apreensão e medo sem precisar chocar ninguém com o gore típico de histórias de terror, então se é isso que você está procurando, deve procurar em outro lugar.

Gabe não concorda com o fim da investigação onde ele mesmo foi suspeito. Três anos depois da perda da família, Gabe percorre as rodovias em busca do tal carro que ele lembra com detalhes ter visto naquele dia fatídico. Ele acredita que pode encontrá-la novamente, apenas precisa se manter em movimento, tanto em busca de Izzy como fugindo de seus próprios demônios.

Gabe é um dos personagens principais, bem construído, mas uma segunda personagem na trama é Katie, uma garçonete em um dos restaurantes na beira da estrada onde Gabe para para comer. Ela o conhece apenas como "homem magro" e sabe que ele perdeu alguém, já que Katie também perdeu alguém da família de maneira cruel e violenta. Existe uma identificação entre os dois, ainda que seja apenas na distância, já que Katie e Gabe mal chegaram a trocar algumas palavras. Mas esses dois estão bem mais próximos do que parece.

Gosto muito da forma como C.J. Tudor consegue interligar pessoas que, aparentemente, não tem qualquer ligação. Conhecemos Gabe e sua luta, conhecemos Katie e sua solidão e depois conhecemos Fran e Alice, acostumadas à vida na estrada, mas que não estão buscando por alguém, estão apenas fugindo. Se um dia alguém as encontrar, elas serão mortas. Mas por que? O que está acontecendo?

Estar desaparecido é diferente de estar morto. De certa forma, é pior. A morte oferece um fim. A morte dá permissão para o luto. Para fazer um funeral, acender velas e deixar flores no num túmulo. Para seguir em frente.

Estar desaparecido é estar num limbo. Preso num lugar estranho e desolado onde a esperança brilha fraca no horizonte, e o desespero e a angústia espreitam como abutres.

Página 20

Este livro tem um certo componente sobrenatural no enredo, algo que também está em seu livro anterior, O que aconteceu com Annie, mas enquanto em Annie esse componente tem função e faz parte do enredo, aqui eu senti que ele ficou meio solto na história. Você poderia tirá-lo e modificar algumas linhas que o enredo ainda funcionaria. Os personagens, por sua vez, acabam compensando essa parte sobrenatural. Eles são reais, bem construídos, é fácil se compadecer por eles. Eu queria virar logo as páginas para descobrir o que estava acontecendo.

Algumas pessoas criticam a autora por não ter "ação e empolgação". Não sei que tipo de ação as pessoas querem em um thriller psicológico, pois neste tipo de enredo é o interior dos personagens e a tensão da situação em que vivem que são o mais importante. E nisso Tudor é muito boa em construir. Seus livros me lembram os de Stephen King, a diferença é que Tudor me dá personagens mais fáceis de digerir do que aqueles de King.

Recebi a caixinha do Intrínsecos com vários mimos e se você quiser ler livros antes que eles cheguem às prateleiras, sugiro fortemente que assine o Clube e ganhe mimos exclusivos, além de uma revista que apresenta a obra e discute o enredo na caixinha. A tradução do livro foi de Giu Alonso e está muito boa. Em alguns diálogos senti que faltou um bom editor para ajudar a autora a deixá-lo melhor, mas o final recompensa e ainda deixa um alerta sobre o que vemos na internet.

A morte pode ser indiscriminadora, mas o tempo é impiedoso.

Página 185


Ficção e realidade
Gosto muito da forma como a autora pega pessoas comuns e as coloca em situações surreais. Desde O Homem de Giz que Tudor pega pessoas normais e as revira do avesso em situações bizarras e perigosas. É em cima dessas pessoas que seus enredos se constroem, pessoas que podem ser você ou o seu vizinho, pessoas que agem de maneiras grotescas, mas escondem da maioria, com medo do que elas possam achar ou que possam começar a gritar.

C.J. Tudor

C.J. Tudor é uma escritora inglesa, que morra em Nottingham. O estilo sombrio de escrita surgiu logo cedo, enquanto devorava obras de Stephen King e James Herbert. O Homem de Giz foi seu romance de estreia. Já trabalhou como repórter, redatora, roteirista para rádio, apresentadora de televisão, dubladora, passeadora de cães e agora escritora.


Pontos positivos
Bem escrito
Katie
Mistério
Pontos negativos

Pode ser lento em algumas partes

Título: As outras pessoas
Título original em inglês: The Other People
Autora: C.J. Tudor
Tradutor: Giu Alonso
Editora: Intrínseca
Páginas: 304
Ano de lançamento: 2020
Onde comprar: na Amazon!


Avaliação do MS?
Fãs de thrillers psicológicos vão curtir os livros de Tudor! E com personagens bem construídos, humanos, próximos. Acredito que esta é a principal qualidade das obras da autora. Se você quiser se jogar em uma leitura tensa, sem sanguinolência, então As outras pessoas é o seu livro. Quatro aliens e uma forte indicação para você ler também!


Até mais! 💀


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.