Resenha: O médico e o monstro e outros experimentos, de Robert Louis Stevenson

Junto de Drácula e Frankenstein, O Médico e o Monstro completa a Santíssima Trindade dos Clássicos de Terror. Publicados em edições luxuosas e caprichadas pela Nossa Senhora DarkSide, esta edição apresenta não apenas o livro clássico que todo mundo em algum momento da vida já ouviu falar, mas também outros trabalhos do autor. Uma edição definitiva para quem quer mergulhar na vida e obra de Robert Louis Stevenson!



Parceria Momentum Saga e
editora DarkSide


O livro

[ele] combinava a mais estranha psicologia de um garoto com a extrema sofisticação de um artista.

Virgínia Woolf, página 12 da Introdução

O Médico e o Monstro, como Frankenstein e Drácula, se fixaram no imaginário coletivo de tal forma que, em menor ou maior grau, todo mundo já ouviu falar dessas histórias. Pode até não conhecer o nome de seus autores ou outras obras, pode nunca ter lido a edição original, mas adaptações e releituras aparecem o tempo todo em filmes e séries atuais. Mesmo sem querer, as pessoas já toparam com a dualidade entre bem e mal de Dr. Jekyll e o Sr. Hyde, com um conde vampiro da Transilvânia e com um ser reanimado com partes de cadáveres.

Resenha: O médico e o monstro e outros experimentos, de Robert Louis Stevenson

O médico e o monstro e outros experimentos é aquela edição definitiva que tanto gostamos. Ela apresenta a obra e os desafios da tradução com uma introdução escrita por Paulo Raviere, que também nos mostra algumas das facetas de Stevenson. Morto com apenas 44 anos, Stevenson foi muito certeiro em suas análises da dualidade humana em sua obra mais famosa, mas também explorou nossas falhas e desejos em outros trabalhos.

No livro temos não apenas a obra-título, como também outros contos em forma integral: A Praia de Falesá, O Demônio da Garrafa e A Ilha das Vozes fazem parte de Entretenimentos nas Noites nas Ilhas. Em seguida, O Apanhador de Corpos, Olalla, Marheim, Janet, a Entortada, e por fim O médico e o monstro: o estranho caso de Dr. Jekyll e o Sr. Hyde. Essas últimas cinco histórias são mais góticas e mais sombrias, com um ar tipicamente vitoriano que tanto agrada às leitoras de terror.

Quem estiver esperando obras viscerais de horror, com sangue escorrendo das páginas, pode acabar decepcionada com a coletânea. O medo aqui é mais subjetivo, um medo como parte da condição humana, um medo sobre nossa própria natureza e das coisas que somos capazes de fazer. Quem já conhece alguma coisa sobre O Médico e o Monstro deve ter entendido a referência; para quem não sabe, vou me abster de comentar para não dar spoiler.

Os contos ambientados nas ilhas refletem os últimos anos de Stevenson. Devido à sua saúde fragilizada (é provável que ele sofresse de tuberculose), Stevenson e a esposa fugiram do clima britânico e se fixaram nas ilhas do Pacífico Sul, perto da Nova Zelândia, onde ele viria falecer. Essa mudança se reflete em suas aventuras em ilhas e discussões sobre o colonialismo, ganância e justiça.

Tendo sido uma celebridade em sua época e admirado por muitos escritores influentes como Arthur Conan Doyle, Bertolt Brecht, Jorge Luis Borges, Ernest Hemingway, entre outros, é estranho notar que suas obras tenham sido relegadas a segundo plano e o autor a uma posição de segunda classe na primeira metade do século XX. Considerado um autor para crianças e de contos de horror, suas obras pararam de circular entre as carteiras escolares e seus contos esquecidos de importantes antologias.

A recuperação veio apenas com uma reavaliação de seu trabalho e legado na segunda metade do século XX, onde foi considerado não apenas um humanista, mas também um ávido crítico do colonialismo, além de um artista que experimentava a escrita nos mais diversos estilos, sempre pincelado com críticas e ensaios. Acredito que a coletânea da DarkSide poderia ter abordado ainda mais essa questão neste livro. Senti que outras obras do selo Medo Clássico possuem mais material de consulta do que a de Stevenson.

Eu pensava que era loucura (...) e agora começo a pensar que seja desgraça.

Página 260

O livro vem em capa dura com um lindo trabalho gráfico em tons de verde fluorescente como daqueles líquidos secretos em béqueres de laboratório. A edição conta com várias fotos do autor em uma galeria no final. Existem alguns probleminhas de revisão, como letras a mais ou a menos. As ilustrações são um show a parte e foram feitas por Alcimar Frazão.


Ficção e realidade
Stevenson escreveu nos mais variados estilos. Ensaios poéticos, artigos para jornais, relatos de viagens, contos de terror, romances de piratas que caíram no senso comum e até peças de teatro. O sucesso, por sua vez, tardou a vir. Tal como nos dias atuais, ele sofreu com a pirataria de uma de suas obras mais famosas, O Médico e o Monstro e padecia com a saúde frágil. Em uma vida tão curta, deixou uma ávida produção literária e lançou padrões para toda uma geração que viria.

Robert Louis Stevenson

Robert Louis Stevenson foi um poeta e escritor e autor de roteiros de viagem britânico, natural da Escócia. Escreveu clássicos como A Ilha do Tesouro, O Médico e o Monstro e As Aventuras de David Balfour.


Pontos positivos
O médico e o monstro
Extras
Bem escrito
Pontos negativos

Problemas de revisão
Preço

Título: O médico e o monstro e outros experimentos
Autor: Robert Louis Stevenson
Tradutor: Paulo Raviere
Ilustrador: Alcimar Frazão
Editora: DarkSide (selo Medo Clássico)
Ano: 2019
Páginas: 352
Onde comprar: na Amazon ou na loja da DarkSide com brinde exclusivo!


Avaliação do MS?
Este é um daqueles livros que não serve apenas para ler e se entreter com as obras do autor, mas é também uma obra que serve como pontapé inicial de consulta e para conhecer melhor o autor. Tanto a DarkSide quanto a Antofágica estão de parabéns por dar aos livros clássicos uma roupagem que atraia leitoras que em outras situações não pegariam estes livros para ler. Quatro aliens para os clássicos de Robert Louis Stevenson e uma forte recomendação para você ler também!


Até mais!


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.