Resenha: Caçadora, de Kiersten White

Apesar de não conhecer muito do universo de Buffy, a Caça-Vampiros além do filme que deu origem à série, eu sou uma grande fã do trabalho de Kiersten White. Sua Saga da Conquistadora é uma das minhas séries literárias favoritas e gosto do estilo de Kiesten, que não tem dó dos sentimentos das leitoras. Estava bem ansiosa para ler Caçadora, mas esta foi uma Kiersten praticamente desconhecida. Aquela escrita visceral e viciante não está presente aqui.



O livro
Ambientado no mesmo universo do filme e da série Buffy, começamos a jornada com Atena, ou Nina como todo mundo chama, e sua irmã Artemis, que cresceram em uma escola de guardiões. Estes são treinados para poderem guiar as possíveis caçadoras, jovens que já nascem predestinadas a proteger o mundo das forças do mal e de seus enviados. Essas jovens possuem um instinto e uma força que as fazem as perfeitas inimigas de vampiros, demônios e quaisquer seres que possam ameaçar a humanidade.

Resenha: Caçadora, de Kiersten White

Nina foi educada para ser paramédica, foi criada para salvar e curar, não para matar, diferente de sua irmã Artemis, escolhida por sua força e determinação. Só que tudo virou do avesso dois meses antes da história do livro começar, quando um cataclismo matou boa parte dos guardiões e abalou a sociedade das caçadoras, tudo desencadeado por Buffy. Justamente por isso, seu nome é proferido seguido de todo tipo de xingamentos. Principalmente Nina tem um ódio visceral pela garota.

As coisas mudam após o ataque de um cão infernal ao castelo onde as jovens moram. Quem protege as pessoas é Nina, e não Artemis. É então que, para o espanto de todos, Nina se descobre uma caçadora. Este é o primeiro livro de uma série dentro do mesmo universo de Buffy. Mesmo eu que não conheço além do básico sobre a famosa caçadora de vampiros, consegui acompanhar bem o desenvolvimento da trama, então se você não conhece muito, também não vai se perder.

O andamento do livro é prejudicado por várias decisões tomadas no rumo da protagonista. Não me incomodo com narrativas adolescentes. Não me incomodo com protagonistas adolescentes, pois sei bem a falta que estes livros fizeram para a minha versão teen. O que me incomoda é subestimar o público adolescente e achar que ele não terá inteligência para perceber plot twists e que vai tolerar tomadas burras de decisão. Houve cenas em que a verdade berrava na cara da protagonista e escolheram manter o suspense por não sei quantas páginas para depois surpreender zero pessoas.

E isso aconteceu demais nesse livro. Não só Nina soa repetitiva à exaustão, como não parece acertar em nenhuma decisão e esconde informações vitais quando deveria revelá-las. E quando decide revelar, olha só, acontece alguma coisa que a impede de falar. Foram muitos momentos inverossímeis e quando a narrativa deixava isso de lado, a leitura fluía muito melhor. Tive até mesmo a impressão que não foram decisões da autora, pois Kiersten White não escreve dessa forma, mas acredito que foi um trabalho de edição que acabou custando o bom andamento dos personagens.

A maioria deles é bem cativante, bem trabalhada, até os que mais odiamos. Em alguns momentos os capítulos são entrecortados por uma assassina que está de olho nas gêmeas desde tenra idade e admito que a revelação de quem ela é me surpreendeu muito. E detalhe: os personagens não sabem quem é, só você, o que te deixa ansiosa para saber o que vai acontecer. Por essas e outras que acho que vou acabar lendo o próximo volume, torcendo para que os problemas sejam resolvidos e o livro não brinque com a inteligência das leitoras, sejam adolescentes ou não.

(...) monstros nunca respeitavam finais felizes na vida real. Eles sempre voltavam e insistiam incansavelmente. Eles nunca deixavam de precisar ser derrotados.

Página 90

O livro flui rápido, mas senti que a revisão deixou passar termos mau traduzidos e repetições desnecessárias de termos. A tradução ficou na mão de Eric Novello e está muito boa, mas o nome do tradutor não se encontra ao lado do nome da autora nas lojas online. Por favor, Plataforma 21, corrija isso!


Ficção e realidade
Uma discussão interessante dentro do livro é que todas nós temos nosso lado bom, mau ou indiferente. Nem todo mundo será 100% mau, nem todo mundo será 100% bom. Muitas coisas nos levam a cometer erros e isso se define por uma série de razões. Foi interessante acompanhar as descobertas de Nina e de como ela encontrou força onde às vezes não existia. Vamos esperar e ver o que ela vai fazer com essa força nova e recém-descoberta.

Kiersten White

Kiersten White é uma escritora norte-americana de livros infantis e para jovens adultos. Nascida em Utah, é formada em língua inglesa e mora em San Diego, Califórnia com a família.

(...) nenhum de nós pode escapar daquilo que nasceu para fazer.

Página 228


Pontos positivos
Buffy
Doug
Se passa na Irlanda
Pontos negativos
Não parece um livro da Kiersten White
Problemas de tradução e revisão
Preço

Título: Caçadora
Título original em inglês: Slayer
1. Caçadora
2. Chosen
Autora: Kiersten White
Tradutor: Eric Novello
Editora: Plataforma 21
Ano: 2019
Páginas: 412
Onde comprar: na Amazon ou no site da Plataforma 21!


Avaliação do MS?
Queria ter gostado muito mais deste livro. Amei a Saga da Conquistadora, trilogia que devorei intensamente, incapaz de largar. Mas aqui sinto que Kiersten passou por uma pesada edição até o livro tomar a forma que tomou. Não subestime o público adolescente, não brinque com a perspicácia de alguém só porque ela é jovem e, infelizmente, esse livro fez isso demais. Três aliens para Caçadora.


Até mais!


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.