Resenha: Maresi, de Maria Turtschaninoff

quarta-feira, março 07, 2018

Maresi é um dos novos livros que a Editora Morro Branco preparou para 2018! É uma obra cujo foco é a força feminina, a sororidade, o companheirismo. Isoladas em uma abadia, as noviças levam uma vida de contemplação e trabalhos manuais, isoladas do mundo e dos homens.

#WeCanNerdIt #8deMarço



Parceria Momentum Saga e
Editora Morro Branco


O livro
O enredo de Maresi, nossa protagonista, é enganosamente simples. Ela é uma noviça na Abadia Vermelha, em uma ilha isolada habitada apenas por mulheres. Homens não podem pisar em seu território e qualquer negociação com pescadores e mercadores é feita no píer. A vida de Maresi leva uma sacudida quando uma nova noviça chega, Jai, que está fugindo de um pai violento e de uma vida de submissão e agressões. E seu pai não vai desistir até encontrá-la.


E aí você pensa "mas é só isso?". Sim, o enredo é esse. Como eu disse, é uma história enganosamente simples e você precisa prestar atenção aos detalhes para poder embarcar na leitura. Boa parte do livro fala sobre a vida das noviças na abadia e um pouco da vida de Maresi, que demora a conquistar a confiança de Jai, que chegou suja, sem falar com ninguém, acompanhada de horríveis pesadelos. Pense neste livro como um evangelho, um testemunho de uma época, e não como um livro de young adult.

Confesso que passar da primeira metade do livro foi difícil. Ele me lembrou muito de As Tumbas de Atuan, que foi um livro que não gostei. Até que realmente saibamos o que houve com Jai e qual é o perigo que se aproxima da ilha, você já leu metade do livro. Ainda que em um primeiro momento ele pareça não trazer nada de novo, é aí que você precisa ler nas entrelinhas.

Há muita violência, fome e opressão fora da abadia e sua ilha fortificada. Em várias ocasiões, Maresi comenta que a fome levou sua irmã e há as narrativas de Jai e a violência do pai, que matava sorrindo. A irmã de Jai também sofreu com a violência misógina da família e seu único consolo era com a irmã, quando as duas soltavam os cabelos, obrigatoriamente presos durante todo o dia. A autora intercalou a violência contra a mulher na história e como a união entre mulheres pode curar as dores, tanto física quanto psicologicamente.

É interessante notar que conhecemos o mundo dessas noviças através de seus relatos e ficamos sabendo de diferentes culturas, cada uma com costumes e até línguas diferentes. Como é Maresi que nos conta o que aconteceu, pode parecer que nossa visão seria limitada, mas a autora conseguiu contar toda uma mitologia sobre as primeiras irmãs que chegaram na ilha. Um nome acaba se destacando, Naondel, que é o navio que elas usaram para se refugiar lá e que é o nome do próximo livro, já que Maresi é só o primeiro volume.

Estou contando a história para assegurar que a Abadia nunca esqueça. Mas também para que eu possa entender completamente o que aconteceu. Ler sempre me ajudou a compreender melhor o mundo. Espero que o mesmo se aplique a escrever.

Como eu recebi a prova não revisada do livro, perguntei para a Morro Branco sobre mapas. Adoro mapas! E a editora garantiu que a edição definitiva terá sim mapas, já que são várias as vezes em que Maresi descreve a Abadia. Sem um mapa para nos localizar na ilha e nos vários prédios do conjunto, a história pode ficar confusa.

Ficção e realidade
Se voltarmos poucos anos no mercado literário brasileiro, dez anos digamos, teremos uma dificuldade de encontrar livros escritos por mulheres, protagonizados por mulheres, que não sejam livros eróticos ou romances históricos. Lembro bem quando abri o blog e notei como era complicado encontrar obras que me contemplassem que já estivessem traduzidas. Pouquíssimas pessoas no Brasil leem em inglês, então elas dependem do que o mercado tem a oferecer.

Maria Turtschaninoff

Mas de uns dois a três anos para cá a diversidade de obras, autoras e idiomas aumentou muito. Muita gente se autopublicando, editoras novas (como a Morro Branco e a DarkSide) sacudindo o mercado com obras que, tradicionalmente, não chegariam aqui ganhando espaço nas prateleiras, blogs e perfis literários criando hábitos de leitura em seus leitores e firmando parcerias para trazer o melhor para os viciados em livros. Só posso agradecer por ver tantos livros bons chegando, obras que com certeza vão cativar corações.

Pontos positivos
Maresi e Jai
Bem escrito
Poder feminino
Pontos negativos
É curto
Pode ser meio lento
Final em aberto

Título: Maresi
Título original em finlandês: Maresi (Krönikor från Röda Klostret #1)
As Crônicas da Abadia Vermelha
1. Maresi
2. Naondel
Autora: Maria Turtschaninoff
Tradutoras: Lilia Loman e‎ Pasi Loman
Editora: Morro Branco
Ano: 2018
Páginas: 200
Onde comprar: Amazon!compre Maresi na Amazon

Avaliação do MS?
Sei que pode parecer que o livro não tem nada de interessante. Mas confie em mim, a leitura vale à pena. Maresi é cativante, inteligente, adora ler e nos conduz pelos eventos traumáticos que assolaram a abadia com uma coragem que nem ela mesma sabia possuir. Este não é um mundo fácil, pois se fosse mulheres não precisariam se isolar em uma ilha. Pode feminino, sororidade, combate à opressão, tudo isso está nas entrelinhas do enredo e na vida das personagens. Quatro aliens para o livro uma forte sugestão para você ler também.


Até mais!

Já que você chegou aqui...

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

Deixe seu comentário!

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Curta no Facebook

Viajantes