Resenha: The Girl From Everywhere - O Mapa do Tempo, de Heidi Heilig

quarta-feira, novembro 29, 2017

Uma coisa que me chama a atenção imediatamente em um livro é viagem no tempo. Dana, de Kindred, Kivrin de O Livro do Juízo Final, são algumas das minhas viajantes favoritas. Neste livro encantador de Heidi Heilig, temos uma jovem viajante e cartógrafa, que à bordo de um navio pirata viaja entre vários momentos da história da humanidade.



Parceria Momentum Saga e
Editora Morro Branco


O livro
Nix é a cartógrafa e tripulante do navio Temptation. Seu pai, Slate, é o capitão, viciado em ópio e obcecado em retornar para a mãe de Nix, morta há muito tempo. Para isso, ele gasta quase todos os seus ganhos na compra de mapas que lhe indiquem o ano correto. Já Nix não tem tanta vontade de voltar para o tempo que seu pai tão obstinadamente persegue, pois o que pode acontecer com ela se ele alterar a linha do tempo? Isso a deprime, a persegue constantemente, o pensamento de que não é desejada por ninguém.


A tripulação da Temptation é variada e bem construída. A própria Nix é meio chinesa e meio havaiana. O livro começa bem por apostar em personagens de várias partes do mundo e do tempo, com várias formas de agir e de pensar, nunca se atendo a personagens brancos apenas. Me desagrada muito livros que já começam com uma tragédia familiar com a morte da mãe. Gostaria muito de ver mãe e filha piratas e desbravando os oceanos. Mas ao menos ela compensou com outras grandes personagens que convivem com Nix. Pelo fato de a autora ter se criado no Havaí, seu conhecimento sobre o arquipélago e a linda pesquisa histórica que fez sobre a mitologia da ilha completam o cenário colorido e muito rico que nos é apresentado aqui, enquanto Slate adquire um mapa que ele acredita ser especial.

Nix vive pensando em fugir do Temptation, quem sabe ir para Cartago, conseguir um navio e comerciar por ali mesmo, mas precisa aprender a navegar no tempo e essa habilidade seu pai se nega a lhe ensinar. Ela acredita que é apenas porque ele precisa dela para ler os mapas e não porque é sua filha e ele a ama, não querendo vê-la partir. É notável a tensão que existe entre os dois, tanto que por várias vezes Nix o chama de Slate ou capitão, não de pai.

Fazendeiros podem acordar com os galos, mas marinheiros acordam com palavrões.

Página 100

Quando enfim chegam ao Havaí, logo notam que há algo errado com o tão desejado mapa comprado por Slate. Nix o leu corretamente, mas não é o ano correto. Ao que parece, alguém está tentando manipular o tempo para trazê-los até aquele momento. Foi bem legal Heidi ter misturado ficção com a história do Havaí, colocando a chegada no navio concomitante com os eventos que sucederam a queda da monarquia havaiana e a seguinte anexação pelos Estados Unidos. Sendo assim, o cenário que Nix encontra é um efervescente caldeirão político, com personagens históricos interagindo na tentativa de derrubar o rei.

A edição da Morro Branco está muito bonita e o melhor, com mapas! Peguei um ou outro erro de revisão ou digitação, coisas que não atrapalham a leitura. No final, além de uma relação de eventos históricos e mitos há também um glossário náutico. Algumas expressões que o personagem Kashmir também estão traduzidas no final, mas teria sido mais interessante colocá-la como nota de rodapé no texto, para a gente poder saber logo qual é o significado.

Ficção e realidade
Eu já comentei uma vez que não seria uma viajante do tempo. Talvez para o futuro, mas para o passado certamente eu não teria condições de ir. O mundo como o temos hoje, com democracias estabelecidas e direitos humanos já tem suas parcelas de brutalidade e selvageria. Consegue se imaginar vivendo em uma Idade Média, ou quem sabe com povos cuja atividade fossem pilhagem e pirataria? Quando escrevemos livros nestes enredos, costumamos deixar de lado a parte brutal da história, mas elas estão sempre lá.

Heidi Heilig

Pontos positivos
Viagem no tempo
Personagens bem escritos
Havaí
Pontos negativos

Triângulo amoroso

Título: The Girl From Everywhere - O Mapa do Tempo
Título original: The Girl From Everywhere
1. The Girl From Everywhere
2. The Ship Beyond Time
3. For a Muse of Fire (?)
Autor: Heidi Heilig
Tradutor: Débora Isidoro
Editora: Morro Branco
Ano: 2017
Páginas: 416
Onde comprar: Amazon

Avaliação do MS?
Obviamente que o livro terá continuação, pela forma como este aqui acabou. Achei bem desnecessário o triângulo amoroso colocado por Heidi, como se uma personagem feminina não pudesse prender o leitor para uma futura continuação sem estar presa a um relacionamento amoroso. De qualquer forma, o que chama a atenção no livro é justamente o cenário, os personagens diversos e de várias partes do mundo, a pirataria e a viagem no tempo, capaz de colocar o Temptation em qualquer lugar do tempo e da mitologia. Por isso, quatro aliens para o livro e uma forte recomendação para você ler também!


Até mais!

Já que você chegou aqui...

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Curta no Facebook

Viajantes