Resenha: Black Silence, de Mary Cagnin

quarta-feira, abril 05, 2017

Ambientada num futuro distópico pós-apocalíptico, o quadrinho nacional e independente feito por Mary Cagnin nos trás Neesrin Ubuntu, comandante da Força Aérea Espacial (FAE), liderando sua equipe em uma missão que exigirá demais de sua tripulação. E ninguém sabe se há garantia de sucesso ou até mesmo de sobrevivência.



O quadrinho
A Comandante Neesrin Ubuntu comanda uma missão que busca fundar uma colônia em um novo planeta em uma tentativa de salvar a humanidade. Ela escala Lucas Ferraro, um exobiólogo que está preso e mais outros especialistas para uma viagem arriscada, sem garantias de sucesso, sem saber o que os aguarda neste planeta misterioso. Cada tripulante ali fez um sacrifício ou escolha difícil para estar na missão.

Leia gratuitamente o primeiro capítulo aqui.


Existem muitos tipos de violência e o silêncio é um deles.

Página 7

Neesrin merece destaque por ser destemida, firme, revestida de uma inquestionável autoridade e admiração. Além disso, é uma protagonista negra em uma HQ de ficção científica, algo que é muito incomum de se ver. Os personagens são todos diversos, três mulheres, dois homens, cada um tendo que enfrentar seus medos em uma missão complicada. O planeta não parece tão promissor quanto era antes e cada um acaba tendo que reconhecer sua própria insignificância diante do deserto inóspito que se apresenta diante deles.

O que me incomodou na HQ é que o universo criado parece grande demais e se você quer mais respostas, não tem. O desenrolar da história acaba sendo muito rápido, sem que tudo se amarre como deveria e fica a impressão que um segundo volume virá para explicar o que houve. Fiquei pensando nessa edição em capa dura, papel nobre e colorida, pois certamente merecia ganhar uma série por uma editora grande, não apenas pelo talento da autora, como também para desenrolar melhor a vida dos personagens e sua missão.

Os personagens em geral não recaem em estereótipos batidos, apesar de achar que em certos momentos a comandante Ubuntu parece a "personagem feminina forte" apenas porque tem que ser assim, sem nenhum motivo, sendo fria e distante, mas talvez seja o problema da falta de de um melhor desenvolvimento dos personagens. Umas vinte páginas a mais já resolveria muita coisa.

Ficção e realidade
Já que o mercado mainstream de quadrinhos anda pisando na bola em trazer minorias em boas histórias e como bons personagens, o mercado independente de quadrinhos acaba sendo a melhor opção para quem procura conteúdo e representatividade. As autoras ainda estão lutando para publicar seus trabalhos, então é sempre bacana olhar no Catarse, na Lady's Comics, seguir e interagir com quadrinistas, escritoras e ilustradoras, pois elas têm material precisando de leitores e de apoio.

Personagens de Black Silence

Pontos positivos
Protagonista feminina e negra
Escrito por mulher
Ficção científica
Pontos negativos
Acaba rápido
Pontas soltas
Pouco desenvolvimento do enredo

Título: Black Silence
Autor: Mary Cagnin
Editora: publicação independente
Páginas: 87
Ano: 2015
Onde comprar: na loja da autora. O meu veio autografado, inclusive ♡.

Avaliação do MS?
Gostaria que a HQ se desenvolvesse de outra forma, pois ela me pareceu apressada e apertada em suas 87 páginas. Havia muita informação para ser desenvolvida que ficou de fora. Ainda assim é uma boa história e importante por se tratar de uma autora nacional. Bons personagens, bons traços, uma excelente protagonista. Três aliens para Black Silence.


Até mais.

Já que você chegou aqui...

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

1 comentários

  1. Eu gostei muito da arte desse quadrinho. Não é a toa que ela ganhou o premio Angelo Agostini (a primeira mulher). Mas também senti falta de umas páginas a mais :/ O peso dramático na resolução do quadrinho me lembrou mt o estilo de mangá, o que pode causar estranhesa para alguns. Mas a história me chamou muito a atenção, e eu amei a analogia entre a protagonista e a pirâmide. Queria muito mesmo que o universo fosse mas explorado.

    Torço em ver cada vez mais trabalhos femininos brasileiros principalmente no sci-fi.
    Ótima resenha como sempre!

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Curta no Facebook

Viajantes