Resenha: Despedaçada, de Teri Terry

sábado, junho 20, 2015

E mais uma trilogia chega ao fim, desta vez de Reiniciados e da jornada de Kyla, que conhecemos como uma delinquente juvenil em uma Inglaterra totalitária, mas que na verdade era mais uma vítima de um sistema opressor e ditatorial. A trilogia inteira foi uma boa surpresa, até mesmo o final, que não era o que eu esperava. Vem comigo e leia você também a trilogia.





Este livro pode conter alguns spoilers dos dois primeiros. Tentei reduzir ao máximo as informações, então acho que você pode ler tranquilo.


O livro

Kyla não sabe mais quem é. Suas memórias estão aos pedaços, emergindo aqui e ali, de um passado que ela busca, desesperadamente, conhecer. Como é procurada pelo governo, precisa mudar sua aparência. Seus cabelos, antes loiros, são agora castanhos, volumosos e cacheados. Um óculos especial muda a cor de seus olhos. Ela parte em busca de informações sobre sua mãe em uma cidade perto da sua e se instala em uma pensão para moças, enquanto finge procurar um estágio para começar a trabalhar.


Neste lugar ela faz novas amizades enquanto tenta decifrar a mãe e os novos colegas. Seu pensamento sempre cai em Ben, alguém que ela amou e perdeu e nos amigos da resistência que se arriscaram para poder levá-la ao encontro da família perdida. Suas descobertas, porém são assustadoras. Os Lordeiros, um governo opressivo, que acha que pode "resolver" o problema dos adolescentes "delinquentes" apagando suas memórias e implantando outra, estão atrás dela e do DEA, a resistência. Kyla nem imagina que pesadelos antigos estão para voltar durante sua busca pelas respostas.

A cada dia que passa, percebo mais e mais que há momentos em que, não importa o risco, alguma coisa precisa ser feita. Algumas coisas devem ser ditas. Este é um desses momentos?

Devo dizer que eu esperava uma distopia juvenil como várias outras onde menina conhece menino, os dois acabam juntos e derrubam o governo. Mas Teri é muito realista em sua escrita e em sua construção de mundo. Kyla é uma personagem que evoluiu muito ao longo dos três livros, assim como Katniss evolui ao longo de Jogos Vorazes. Ela é forçada pelas circunstâncias a ser forte e partir em busca das respostas. Kyla é, inicialmente, uma adolescente assustada no primeiro livro, para no terceiro estar madura e endurecida pelos eventos pelos quais passou.

O final em si tem elementos que a gente espera que vá acontecer, mas também se revelou maduro e certeiro. Não esperava pelo o que aconteceu e achei a decisão de Teri muito madura, fugindo do que tem acontecido ultimamente em muitas distopias juvenis. Foi uma boa surpresa ter lido essa trilogia.

Gosto muito dessas capas!

Ficção e realidade

Uma coisa que é interessante é o modo como a Inglaterra, tomada por um governo totalitário e vigilante, tal como o de 1984, tentou "resolver" o problema dos adolescentes (como se eles fossem um problema). A técnica não é conhecida no livro, mas o adolescente sai do processo de reinicialização com a mente em branco, é enviada para uma família adotiva e tem um aparelho no pulso que mede a atividade cerebral.

Se for retirado, a pessoa morre. Se certas atividades cerebrais atingirem um nível considerado perigoso, a pessoa desmaia. É um controle cruel e desumano, visando exterminar qualquer tipo de revolta ou sentimento de rebeldia entre a população jovem. Um controle extremo sobre a pessoa. Acompanhamos ao longo da trilogia a maneira tortuosa com a qual a mente age, pois mesmo com o procedimento, ainda é possível resgatar memórias perdidas e sensações.

Há uma parte de mim que deseja levantar e dizer já chega!. E outra parte está feliz por manter a aparência diante dos estranhos, por esperar e observar.


Pontos positivos
Distopia
Protagonista feminina
Reiniciar cérebros

Pontos negativos

Como eles reiniciam o cérebro não é explicado
Alguns personagens mal trabalhados

Título: Despedaçada
Título original: Shattered
Trilogia Reiniciados
1. Reiniciados
2. Fragmentada
3. Despedaçada
Autor: Teri Terry
Editora: Farol Literário
Páginas: 528
Onde comprar: Amazon


Avaliação do MS?

Entre tantas distopias juvenis, algumas muito boas, outras nem tanto, a trilogia inteira é uma leitura muito boa. Mesmo com alguns clichês típicos, a autora não fez sua personagem e seu mundo caírem na mesmice. Kyla começa como uma apática adolescente para alguém forte, esperta e que luta por si e pelos outros. Quatro aliens para Despedaçada e uma forte sugestão para que você também leia toda a trilogia.


Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris