Resenha: Lua de Larvas, de Sally Gardner

sábado, abril 25, 2015

Este foi um livro que me pegou de surpresa. Comecei a ler sem muita pretensão, apenas porque queria um livro menor do que os que eu estava lendo ultimamente e que fluísse rápido. Comecei Lua de Larvas e acabei devorando depois, pois seu enredo, apesar de simples, é profundo e cheio de significado. E apesar de ser uma distopia, é um enredo de amor e amizade.



O livro
Standish Treadwell vive em um mundo totalitário, distópico e repressor. Ele é tido como um menino devagar, mas tem dislexia e vê o mundo sob um viés diferente da maioria das pessoas. Vive com o avô depois que os pais foram embora e frequenta uma escola perto de casa onde um bando de valentões sempre aparece para bater nele no intervalo. Sua vizinhança possui casas em ruínas, mas ainda assim Standish sente que o mundo não precisa ser violento e cinza daquele jeito.


Este mundo é governado pela totalitária Terra Mãe. Fome, miséria, doenças são coisas comuns. A vizinhança é estimulada a dedurar qualquer um que tenha algum tipo de comportamento que eles julguem estranho. Mas o mundo estéril de Standish muda quando ele conhece Hector, que vai morar na mesma rua e frequenta a mesma sala de Stantish na escola. Ele percebe que com Hector sua vida tem sentido, pois finalmente tem um amigo, alguém com quem brincar de ir para Júniper (um planeta de brincadeira) e alguém com quem dividir as angústias.

Mas um dia, ao descer para tomar o café da manhã, Standish encontra o avô desolado, sentado à mesa. Foi preciso sair de casa, com medo que pudessem ser ouvidos por escutas secretas para contar que Hector e seus pais tinham sumido. Eles foram levados pelo governo. Standish contém o grito, mas não desiste de encontrar seu amigo e os pais dele e precisa enfrentar esse mundo cruel, um mundo onde ele assiste um professor matar um aluno espancado no pátio.


O livro vai e volta nas memórias de Standish, que é o narrador. Podemos sentir seus medos e toda a confusão com um mundo que parece complicado demais para ele. Todo aquele ambiente opressor de uma distopia, como 1984, é sentido aqui, mas pelo viés de um adolescente muito especial. A narrativa flui rápido, mas não se engane. O livro é rico em conteúdo e emoções. Quando cheguei a final do ebook, eu pensei "ahhhhh, poxa..." porque a situação, apesar de não poder ser outra, é tratada de forma muito singela.

Ficção e realidade
O livro trata de temas que são muito atuais e que sempre podem ser envelopados na ficção científica para levar a reflexão ao leitor. Amor, amizade, família, poder totalitário, opressão, viagens à Lua. Mesmo no ebook, a arte que acompanha a história de Standish é muito bem feita e misteriosa, que vai acompanhando os capítulos. Não se engane pela aparente simplicidade do enredo.


O enredo distópico com um poder totalitário não é incomum, mas mesmo em se tratando de algo que não é incomum, Lua de Larvas conseguiu manter um caráter único ao focar no narrador, Standish, e sua relação com o mundo e com as outras pessoas. Disléxicos ainda sofrem de preconceito e ter um protagonista disléxico é de uma grande sensibilidade.

Pontos positivos
Standish e Hector
Distopia
Missão à Lua
Pontos negativos
Baixa representatividade feminina
Acaba rápido


Título: Lua de Larvas
Título original: Maggot Moon
Autor: Sally Gardner
Editora: Martins Fontes
Páginas: 291
Ano de lançamento: 2014
Onde comprar: Amazon


Avaliação do MS?
Indico esse livro para qualquer idade, qualquer gênero, qualquer pessoa. Se você precisa de um livro que flua rápido, este é seu livro. Se você quiser se surpreender, se emocionar, refletir, também é seu livro. Lua de Larvas é uma obra genial e bem escrita, com personagens cativantes, mesmo que tenhamos poucas mulheres. Cinco aliens para ele e uma forte sugestão de leitura para você.


Até mais!


Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris