O estupro de Alien

quinta-feira, janeiro 22, 2015

Imaginem uma franquia famosa de ficção científica que seja toda ela baseada no estupro. Imaginou? Nem precisa, pois ela existe e se chama Alien. Começou com o filme de Ridley Scott - Alien, O Oitavo Passageiro - e foi repetida em todos os filmes. É também uma das mais perturbadoras cenas já feitas pelo cinema e conseguiu demonstrar o ato horrendo que é um estupro. Mas também mostra que é possível lutar contra ele.





TRIGGER WARNING: estupro

Quando Kane cai na sala de ovos da nave alienígena (no que depois foi nomeado como LV-426), ele não sabia com o que estava lidando ali embaixo. Assim que captou sinais de vida, o alien dentro de um dos ovos se libertou, com um ácido orgânico perfurou o capacete de Kane e introduziu um embrião alienígena em sua garganta. Algumas horas depois, o tripulante da Nostromo estava morto e uma forma de vida extremamente perigosa estava à solta pela nave.

Muito talifã pode achar um absurdo comparar isso com um estupro. Mas pensar não dói, nem custa nada. Primeiro, vamos definir o termo:

Estupro, coito forçado ou violação é a prática não consensual do sexo, imposto por meio de violência ou grave ameaça de qualquer natureza por ambos os sexos. Ele consiste em uma penetração da vagina ou do ânus (ou, no sentido mais amplo, também da boca) de uma ou mais vítimas por um ou mais indivíduos. As vítimas podem ser homens ou mulheres.

Ou seja, Kane sofreu um estupro. Se o embrião fosse introduzido por qualquer outro orifício do corpo, continuaria sendo um estupro. Vejamos agora o que o roteirista de Alien, Dan O'Bannon disse:

Uma das coisas que perturba todas as pessoas é o sexo. E eu disse 'agora vou atacar a audiência; vou atacá-la sexualmente. E não vou fazer isso com a audiência feminina, vou atacar os homens. Vou colocar isso em uma única imagem que faça os homens na plateia cruzarem suas pernas. Um estupro homossexual oral, nascimento. Uma coisa que ponha ovos na sua garganta'.

Dan O'Bannon imaginou a cena do alien explodindo de dentro do corpo do tripulante devido à sua experiência com a Doença de Chron, uma doença inflamatória intestinal que causa dores horrendas e uma forma de mostra esta dor intensa foi com essa cena que eternizou no cinema. Ou seja, toda a cena foi pensada como uma invasão, uma violação, um ato completo de violência não consentida, extremamente dolorosa, algo que fosse suficiente para deixar toda uma audiência incomodada por décadas.

Arte de Giger para Alien, o Oitavo Passageiro. 

Apesar de achar que esse efeito chocante se perdeu um pouco nos filmes seguintes, a ideia original persistiu e uma vez que a gente tenha visto tal violação, é bem difícil de esquecê-la. O alien é um estuprador versátil. Homem, mulher, cachorro, ele adquire qualidades de seu hospedeiro e o mata com extrema violência. Para ele não há gênero envolvido, não há sexo. O estupro ocorre para ele como meio de sobrevivência. Para nós, é uma brutal violação.

A vinda de HR Giger para Alien foi ideia de O'Bannon, que já tinha trabalhado com o designer suíço numa tentativa mal sucedida de roteirizar Duna. Giger é conhecido por sua arte sexual explícita (e muitas vezes perturbadora e, para mim, de mau gosto) e com o alien não foi diferente. Quando Ridley Scott viu o trabalho de Giger em Necronomicon, o convidou no mesmo momento. A forma fálica da cabeça da criatura e várias de suas ilustrações deixam bem clara a sexualização e a mini-boca saindo da boca do Alien a reforça.

Giger foi o responsável pelo design do alien, do space-jockey, da nave, da paisagem alienígena e tudo lembra sua sexualização. Existem formas fálicas e formas vaginais em todo o filme. Scott e Giger também mexeram com a ignorância masculina a respeito de parto e nascimento ao fazer o alien explodir do peito de Kane. Mexeram com a audiência ao colocar uma mulher para lutar com essa criatura e assim impedir que ela fosse usada como arma. Em Alien 3 temos Ripley lutando contra o alien, enquanto o restante dos personagens, todos homens, são estuprados e mortos por ele.


Alien também acaba com aquela visão de alienígenas bonzinhos e humanoides com os quais podemos procriar e socializar, vistos em franquias como Star Trek e Star Wars. Não há bondade alguma envolvida no nosso relacionamento com ele. O objetivo do alien é nos usar e violar. Ripley foi a única que percebeu isso e a única que lutou contra os interesses da Weyland-Yutani para impedir que esta criatura vil se espalhasse e dizimasse a raça humana. Ela o viu pelo o que ele era e não o subestimou. Ninguém deveria subestimar a mensagem do filme também.

Até mais!




Leia mais:
The Horrible Philosophy Behind the Star of 'Alien,' H.R. Giger's Xenomorph
Dez coisas que você não sabia sobre Alien
Alien: a film franchise based entirely on rape
Representations Of The Body In Alien


Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

2 comentários

  1. Oi, vou confessar que não curtia muito ficção cientifica, não tinha paciência e até achava bem boba, mas isso mudou quando conheci o seu blog. E agora eu passo horas aqui, uma porque esse tipo de conteúdo é realmente interessante e outra porque você escreve muito bem! (sorte a minha) hahah Continue o ótimo trabalho :)

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris