Resenha: Guardiões da Galáxia (2014)

sábado, agosto 30, 2014

Robert Downey Jr. disse que Guardiões da Galáxia é o melhor filme da Marvel até agora. Com US$500 milhões de dólares em bilheterias ao redor do mundo, o filme provou que a fórmula da Marvel de juntar cenas de ação com comédia dá muito certo. Batendo recorde de bilheteria logo na estreia, o grupo desacreditado se mostrou uma ótima opção nos cinemas e superou em 30 milhões o último recorde, que era de O Ultimato Bourne.





O filme
Peter Quill/Senhor da Galáxia (Chris Pratt) é abduzido por aliens contrabandistas, liderados por Yondu, logo depois da morte da mãe. No melhor estilo cool e brincalhão, Peter segue pela galáxia em sua carreira de crimes. Mas eis que uma das lendárias Joias do Infinito, um orbe, vai parar em suas mãos no planeta Morag e os problemas começam. Quill é interceptado por Korath, um alienígena Kree subordinado ao terrorista Ronan. Quill fuja com o artefato, Yondu descobre o seu roubo e emite uma recompensa por sua captura. Ao mesmo tempo, Ronan envia a assassina Gamora atrás do orbe.


Para iniciar a conquista do universo, o impiedoso Thanos e seu fiel súdito, Ronan, O Acusador (Lee Pace), precisam dessa joia, que põe o planeta de Xandar, liderado por Irani Rael (Glenn Close) em perigo. Quill tenta vender o orbe em Xandar, mas ele é atacado por Gamora. A briga se espalha pela cidade, onde um par de caçadores de recompensas, liderado pelo guaxinim geneticamente modificado Rocket e a árvore humanóide Groot, também correm atrás de Quill. Porém, as tropas conseguem chegar a tempo e prendem todo mundo na prisão de segurança máxima Kyln, onde Gamora é quase morta e salva por Quill.

É então que ela revela que não pretendia devolver o orbe para Ronan, pois sabe que ele o usará para destruir planetas inteiros e que já tem um comprador para a joia. Desta forma, o grupo resolve se unir para escapar de Kyln. Acompanhados por Drax, que busca vingança contra Ronan pela morte de sua família, o grupo de Quill escapa do Kyln em sua nave Milano e fogem para Luganenhum, um lugar no espaço feito com um pedaço da cabeça de um ser celestial.

Gamora, Peter, Rocket, Drax e Groot.

É fácil ver semelhanças entre Guardiões da Galáxia e Star Wars, portanto os fãs logo se encantam pelo filme que além de ser bem feito, tem uma trilha sonora dos anos 70 e 80 que é sensacional, tendo desbancado Frozen do primeiro lugar da Bilboard. O humor está na medida, com várias situações hilárias, seguindo o estilo que a Marvel vem adotando em suas obras ultimamente. Mas além do visual deslumbrante e das cenas de ação, há também os conflitos pessoais dos personagens. É muita gente em tela para apenas 120 minutos, porém isso ficou na medida.

Uma crítica é que a representatividade feminina é baixa e temos um novo exemplo de Princípio de Smurfette. Além disso, a maioria dos negros do filme, incluindo Gamora, são todos de outra cor (verde, azul). Não entendo qual é a dificuldade de mostrar negros em posições de destaque com suas peles intactas. Apesar disso, o filme é descolado, divertido, um entretenimento completo para quem curte filmes deste tipo e que vai agradar até o fã mais chato.


Ficção e realidade
O mais legal é que temos personagens que são anti-heróis. O grupo decide juntar forças enquanto está num presídio e o mais badass da turma é justamente o guaxinim. Temos um grupo heterogêneo: uma mulher verde, um humano (que é homem-branco-cis-hetero, mas né?, o que esperar...), uma planta humanoide (I AM GROOT!!), um guaxinim arretado e um valentão em busca de vingança. É um grupo que consegue representar a diversidade de vida de maneira excelente, afinal temos até uma planta humanoide. Inclusão aqui é o que não falta.

I AM GROOT

É uma jornada do anti-herói, se podemos dizer assim. Criminosos que acabam ganhando redenção por salvarem as vidas de bilhões de pessoas que certamente seriam destruídas se o orbe fosse usado pelos vilões.


Pontos positivos
Ótimos efeitos especiais
I AM GROOT!
Trilha sonora

Pontos negativos

Clichês óbvios
Baixa representatividade feminina


Título: Guardiães da Galáxia
Título original: Guardians of the Galaxy
Direção: James Gunn
Duração: 120 minutos
Ano de Lançamento: 2014
Onde ver? estreou no Brasil em 31 de julho de 2014.

Baby Groot! 


Avaliação do MS?
Quem ainda não assistiu esse grupo, por favor, corre para o cinema, pois não vai se decepcionar. Sou sincera em admitir que tinha uma expectativa baixa com o filme, mas mudei de ideia logo no começo, com a trilha sonora e em seguida com Groot e seu amigo guaxinim. Um filme divertido, seguindo a fórmula da Marvel, mas que agrada até o mais chato dos fãs. Quatro aliens para os Guardiões e uma forte recomendação para que você assista.


Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris