Cultura pop-alien

quinta-feira, março 13, 2014

Ahhhhhh, os aliens! Que criaturas fascinantes! Tão fascinantes que, ultimamente, o cabeção cinza de olhos grandes é culpado por praticamente tudo o que aconteceu de relevante na nossa civilização. Desde o nosso próprio surgimento até o desaparecimento de aviões na Malásia, estes fanfarrões intergalácticos andam aprontando muito pela Terra. Alien mau!




Se você ainda tem estômago de assistir ao History Channel deve saber que lá só passam dois programas: Trato Feito ou Alienígenas do Passado. E sinceridade, eu gostaria de ter esse último trabalho. Você ser paga, para fazer um programa de TV e dizer para o mundo inteiro que alienígenas estão entre nós, vivendo em nossas peles, mudando nossa genética, empilhando pedras e não deixando nenhuma evidência de sua existência. Quer coisa mais fácil do que essa?

O modo como o mito do alienígena ou alienígenas nos visitando se espalhou e se disseminou pela cultura popular é tal, que eu apelidei esse fenômeno, carinhosamente, de "cultura pop-alien". O alien está em todas. Qualquer evento cuja explicação levante alguma dúvida e a cultura pop-alien cai feito uma luva em cima dela. Um avião com 239 passageiros desaparece no ar? ALIENS! Não foi possível determinar com exatidão como as pirâmides do Egito foram construídas (mesmo que existam uma caralhada de outras pirâmides pelo mesmo país, em variados graus de construção)? ALIENS! A banana não nasce por sementes? ALIENS!


É um escapismo fácil atribuir todos os nossos grandes feitos a seres cuja existência nunca foi provada. Vida pode existir lá fora? Claro, com certeza! Não questiono isso. A própria existência da nossa espécie é uma prova que a vida pode surgir no universo e imagino a quantidade de formas fascinantes que estejam lá fora, neste momento, olhando para o céu e pensando o que serão estes pontos brilhantes. Pensando se está sozinho no cosmos. Mas a possibilidade de estarmos sozinhos é igualmente aterrorizante. Pode não existir nada lá fora além de corpos inertes e poeira.

Porém, na Terra e nas nossas mundanas vidas, a presença alienígena é reforçada não apenas pelos charlatães do nível do History como também por pessoas que aceitam tais crendices sem ao menos questionar. Lembro de ter lido há muito tempo um desabafo de um arqueólogo que reclamava não aguentar mais os questionamentos de leigos sobre seu trabalho, que mandavam que ele mantivesse a mente aberta e se ele aventava a possibilidade de esta ou aquela estrutura ter sido criada por alienígenas. Todos os seus anos de estudo e sua dedicação ao trabalho para desvendar culturas humanas eram invalidados por conta da fama de Erik Von Daniken.

Desta forma, nós temos centros culturais crescendo e pulsando com a cultura pop-alien. Cidades inteiras que enriqueceram com a fama de algum evento extraordinário, como tudo o que existe ao redor de Roswell, no Novo México, onde teria caído um OVNI no final dos anos 40. O negócio proliferou de tal maneira que a Área 51 não precisa de mais nada para ocultar seus experimentos com aviões secretos. É só deixar a paranoia popular crescer que eles se beneficiam dela.

Podemos ver a imagem do alien cabeçudo sendo tão popular quando o smile. Ele é facilmente reconhecível, estampando camisetas, aparecendo em relatos de abdução, surgindo em programas de TV, sendo reciclados em filmes, mas mantendo a mesma configuração - corpo magro, cabeção, olhos grandes. Ele foi apropriado pela sociedade e usado para explicar qualquer coisa onde caiba, mesmo que fique absurdo demais para acreditar. Super conveniente.


Não estou dizendo que as pessoas devam deixar de acreditar na paranoia que quiserem, mas já percebi que tocar neste assunto é tão espinhoso quanto falar se deus existe. Tem quem fique mortalmente atacado e ferido por ver que alguém ri de alegações sobre o envolvimento de alienígenas na civilização humana. E até agora não vi nada convincente o suficiente para me fazer acreditar que eles estão por aqui.

Tirando sua utilidade na ficção científica, a cultura pop-alien nada mais é do que um exagero. É uma maneira exagerada de demonstrar a importância da raça humana perante um cosmos que não liga para nós. Deixamos de ser o centro do universo? Sem problema, vamos dizer que os aliens nos fizeram, afinal ser feito pelos deuses é tão down, fora de moda, coisa de gente careta...

Consumir aliens na ficção científica? Sem problema. Rebaixar nossa civilização a meros lacaios de aliens que vieram aqui para nos ensinar a empilhar pedras? Desculpe, não dá.

Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris