Exploração do espaço e economia

segunda-feira, setembro 10, 2012

Quando as crises mundiais abalam os mercados e quebram a economia dos países, as primeiras áreas a sofrerem redução no orçamento anual são ciência e tecnologia. Existem outras áreas que abocanham a maior parte dos recursos e o restante fica estagnado ou quase. Vemos isso atualmente com o corte do orçamento da NASA, além dos países europeus, que estão apertando os cintos para não quebrarem de vez.

Colônia espacial
Colônia do futuro. Quanto custa? 



O ser humano é uma criatura teimosa, persistente e turrona. Por mais que seja altamente viável e muito mais barato explorar o espaço com o uso de robôs, sondas e telescópios espaciais, vamos continuar mandando pessoas, gastando recursos nestas tentativas. A caixa de Pandora está lá em cima, apenas esperando para ser aberta.

No entanto, para que isso seja continuamente melhorado e testado e possamos, efetivamente, conquistar e colonizar o espaço, a economia teria que expandir muito para chegarmos a um nível de exploração espacial capaz de fixar a civilização fora da Terra. Viver no espaço não é barato. Manter nossa sobrevivência é caro aqui na Terra, imagine transportar todas as nossas necessidades para um ambiente extremamente hostil?

Estação Babylon 5
Quanto custaria uma estação como Babylon 5?

Vemos hoje a tendência de agências espaciais pelo mundo em se aliar à iniciativa privada por não disporem dos recursos necessários para bancarem sozinhos. Sacrificaria muitas áreas da nação - e no caso do Brasil, sacrificaria os altos salários de certas partes do funcionalismo público - aumentar o orçamento de ciência e tecnologia para manter os programas espaciais e inserir novos projetos.

Mas para expandir a economia a ponto de termos altos excedentes nestas áreas duas coisas teriam que acontecer:

  • governos reduzindo gastos em áreas como segurança nacional, reduzindo salários do funcionalismo e cargos e, ou;
  • a economia se expandir vertiginosamente para gerar os excedentes necessários no orçamento.

Guerra é um ramo altamente lucrativo, então dificilmente esta área sofreria qualquer tipo de corte, por mais benéfico que pudesse ser para a raça humana que os conflitos terminassem. Vimos um exemplo disso em O Fim da Infância, onde o fim das Forças Armadas, das guerras e da indústria armamentista levou ao fim da miséria, pobreza e fome. Então devemos supor que a economia deva crescer muito, muito mesmo para que ciência e tecnologia pudesse ter todo o dinheiro necessário para seus projetos.

Não só seria benéfico para os governos, como para as empresas parceiras da exploração espacial que teriam seus lucros multiplicados, triplicados com uma expansão econômica. Tudo seria lindo se não fosse o fato que a nossa economia é excludente, baseada na exploração de classes mais pobres e que depende da expansão vertiginosa do consumo para poder lucrar.

Uma expansão do consumo também espoliaria os recursos naturais, pois é daí que surgem as matérias-primas para a indústria. Ou seja, o modelo econômico em si poderia minar a si próprio com uma expansão do consumo, que espoliaria os recursos naturais, que são finitos e ele acabaria perdendo sua base de sustentação. Fica então a esperança de encontrar estes recursos lá fora para suprir a demanda, mas daria tempo de fazer isso? A exploração espacial forneceria todos os materiais necessários para continuar se mantendo? E o lucro com o espaço, viria logo? São coisas a se considerar.

Colônia no espaço
Uma colônia espacial longe da nossa realidade e economia.

Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris