Ficção científica obrigatória - livros

sexta-feira, setembro 30, 2011

Mesmo que muitos deles já tenham sido adaptados para o cinema ou basearam muitos filmes, ler as obras é fundamental para captar todos os aspectos expostos pelos referidos autores. E além, é o próprio leitor que imagina o cenário ao invés de ver tudo pronto nas telas. Cada livro é retrato de uma época e por isso, mesmo que o livro seja bem antigo, vale à pena ler para entender como era o mundo do ponto de vista do autor.


Só lembrando que esta postagem é pessoal, são escolhas minhas e você pode ou não concordar com tudo o que está nela. Mas se quiser acrescentar alguma coisa, não deixe de ler as regras para comentários primeiro e, por favor, seja educado. Vamos lá:





15. Jogos Vorazes - Suzanne Collins
A trilogia de Collins virou um fenômeno mundial. Tem influenciado tanto a cultura pop nos últimos anos que manifestantes na Tailândia foram presos ao imitarem o gesto de protesto feito no filme, com os três dedos estendidos para cima. Estes livros não são sobre um romance adolescente, são sobre um poder opressor que achou no massacre anual de 23 adolescentes uma maneira de manter sua autoridade e poder sobre pessoas pobres e famintas.


14. Perdido em Marte - Andy Weir
Seus colegas vão embora, pensando que você está morto em Marte e é preciso usar o raciocínio e os materiais à sua disposição para sobreviver até a próxima missão chegar. E agora, você pensa? O livro de Andy conta a história de Mark, que precisa ser criativo e achar um jeito de fazer contato com a Terra para avisar que está vivo e pensar em uma maneira de chegar ao ponto de resgate. Um livro divertido e bem humorado, mesmo com toda a situação tensa que ele vive. Você pode ler a resenha dele aqui.


13. Vinte Mil Léguas Submarinas - Júlio Verne
O livro que inspirou gerações de marinheiros e futuros cientistas é do século XIX, bem como o de Mary Shelley. Conta sobre as aventuras do capitão Nemo e seu submarino, o Nautilus, movido à eletricidade, que junto com sua tripulação cortou contato com a humanidade, vivendo somente do que o mar podia oferecer, enquanto se aventuram por lugares desconhecidos e maravilhosos. Mas como o mundo não sabe da existência do Nautilus, ele acredita que se trata de um monstro marinho já que tantos navios aparecem danificados. Recomendo que o leia de posse de um mapa mundi e dicionário, para compreender os termos marítimos.


12. A Máquina do Tempo - H.G Wells
Outros autores como Mark Twain e Charles Dickens já tinham explorado as viagens no tempo antes de Wells, mas este foi o primeiro a se utilizar de uma máquina para tal feito. A ciência estava no auge naquela época e como tal o livro parece mais verossímil. Um cientista amador cria uma máquina do tempo e vai para o futuro, onde encontra uma terra desfigurada, devastada, com duas linhagens de humanos competindo entre si. Traz uma crítica social pesada, pois tem tons marxistas ao falar da exploração da classe trabalhadora e da aristocracia.


11. A Guerra dos Mundos - HG Wells
A Guerra dos Mundos
Outro que já virou filme, conta sobre a invasão de marcianos muito inteligentes, beligerantes e avançados após uma série de explosões acontecerem no solo de Marte e serem observadas da Terra. O narrador original, que reside nos arredores de Londres, não é identificado na narrativa, mas fala de como os humanos tentam inutilmente se defender do raio da morte marciano e de seus tripods. É interessante notar o temor que Marte representa há tempos.


10. Solaris - Stanislaw Lem
Solaris
Quando Kris Kelvin chega na estação do planeta Solaris, encontra um ambiente sem vida. A estação flutua acima do único organismo vivo de todo o planeta, que orbita duas estrelas, um oceano misterioso. As investigações sobre Solaris começaram 70 anos antes, dando início à ciência da solarística, onde cientistas tentaram por anos uma maneira de se comunicar com este estranho ser que habita um planeta inteiro. Mas quando Kris chega à estação, percebe que seus tripulantes são atormentados por entidades derivadas de seus pensamentos e logo, Kris também recebe uma visita.


9. Admirável Mundo Novo - Aldous Huxley
Tendo sido criada em 1932, é um dos temas mais atuais. Um futuro onde as pessoas são projetadas geneticamente, onde o conceito de família e amor não existem, sem ética religiosa. Qualquer desafeto que a pessoa tenha, medos, insegurança, são rapidamente tratados com uma droga inócua que causa bem estar chamada soma. As pessoas que não aderiram a esse novo mundo vivem em reservas, como selvagens. Neste mundo civilizado ter um filho era um ato obsceno e impensável, tanto que as crianças são geradas artificialmente. Pesada crítica social e muito atual. (tem versão para cinema, de 1998)


8. Eu, Robô - Isaac Asimov
O livro é na verdade uma coletânea de contos relacionados à robótica. Asimov amarra os contos uns nos outros através de um jornalista, que vai juntando relatos sobre robôs e fatos acontecidos com eles. Temos aqui as famosas três leis da robótica, amplamente aceitas até hoje. É interessante notar a discriminação dos humanos para com os robôs que desempenham tarefas do cotidiano, mas que são mal vistos e maltratados. Serve também como uma ótima crítica social à respeito da exclusão, preconceito, racismo e até homofobia.


7. Fundação (trilogia) - Isacc Asimov
Rica em detalhes, a obra conta como um homem consegue prever a queda do Império Galáctico e o surgimento de outro através da psico-história, uma junção de sociologia e matemática, que consegue prever através do uso de estatística e probabilidades momentos importantes de virada política, onde o império começa a encolher e perder importância. Mas estes cálculos não funcionam para um indivíduo pois as pessoas são imprevisíveis. Eles só valem para sociedades inteiras.


6. Neuromancer - William Gibson
Perdi a conta de quantas vezes li esse livro. Cyberpunk, decadente, retrô, empolgante, são algumas das características desse livro obrigatório. Ele foi a inspiração para os filmes Matrix, pode-se até notar a semelhança da ilustração da capa com a Trinity. Em um mundo distópico, pessoas implantam plugs na cabeça para aumentar a capacidade cerebral, utilizam muita tecnologia implantada no corpo. E existe a Matrix, onde o anti-herói desempregado e drogado não consegue mais se conectar.


5. 1984 - George Orwell
O romance distópico mostra, em 1984, o cotidiano de um regime político repressivo e totalitário, que comanda uma sociedade através da completa repressão. O governo controla cada aspecto da vida das pessoas, fiscalizando seus contatos, invadindo e quebrando seus direitos para o bem geral (Arquivo X tem influências desta obra). Através da tele-tela, os cidadãos recebem a propaganda do governo, onde ela diz que o Grande Irmão (Big Brother) zela por todos e está observando as ações de cada um.


4. O Guia do Mochileiro das Galáxias – Douglas Adams
Uma trilogia de quatro livros, que na verdade são cinco, cujo material veio originalmente de um programa de rádio da BBC Britânica. As perguntas mais pertinentes são feitas neste livro: De onde viemos? Por que estamos aqui? Para onde vamos? Onde vamos almoçar hoje? Cadê minha toalha? Enquanto acompanhamos o herói após o mesmo fugir da destruição da Terra, percorremos com ele todas as suas dúvidas e inquietações na companhia de muitos alienígenas nos confins da galáxia em situações para lá de insólitas.


3. Fahrenheit 451 - Ray Bradbury
Uma sociedade instruída é uma ameaça ao status quo da elite política. Por isso neste universo distópico e de um futuro incerto, os livros e qualquer tipo de obra escrita são proibidos. O nome do livro se deve à temperatura, em graus Fahrenheit em que o papel incendeia (que em Celsius são 233°). O personagem principal é um dos agentes do governo responsável pela apreensão e queima de livros e quem é pego com um é no mínimo enviado ao hospício. O interessante é que o autor admitiu ter escrito o romance inteiro em uma biblioteca.


2. Frankenstein - Mary Shelley
Um dos mais celebrados livros de ficção científica, conta a história de Victor Frankenstein, um estudante de ciências naturais que constrói um monstro em seu laboratório com partes de cadáveres. O livro é interessante pois é uma narrativa de moldura, é uma história dentro de outra já que ela é narrada sob o ponto de vista do capitão Robert Walton que envia cartas para a irmã contando sobre o evento, além do fato de mexer com o sentido da vida e a importância dela.


1. Contato - Carl Sagan
Do célebre cientista, temos aqui o épico embate entre ciência e religião. O livro é muito pé no chão, pois envolve sentimentos, ciência, astrofísica, política e o contato com uma inteligência extraterrestre. Tudo que pode gerar como crise econômica, filosófica, extremismos, conflitos, acabam surgindo com aqueles que creem na ciência e aqueles que creem nas religiões. A personagem principal do livro, uma cientista que crê completamente na ciência, acaba se vendo obrigada a provar algo que ela não tem condições de fazer.


Sinta-se à vontade para escolher alguns que mais lhe agradaram e boa leitura. O gênero é, erroneamente, classificado como uma literatura menor, mas cada um destes livros mostra que há muito a descobrir ainda.

Até a próxima!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris