10 coisas que você não sabia sobre TRON: O Legado

Considero TRON: O Legado (2010) um filme subestimado e bastante ignorado pelos fãs de ficção científica. A despeito de um problema de representação feminina, o longa é uma evolução digna do conceito original do primeiro filme TRON (1982). Sam Flynn se ressente do sumiço sem explicação do pai, um programador na ENCOM, que se tornou uma empresa bem longe do conceito original de seu fundador. Mas quando o velho amigo de seu pai recebe um chamado em um antigo pager da companhia, Sam é arremessado para dentro de um sistema de computador.

10 coisas que você não sabia sobre TRON: O Legado


Dirigido por Joseph Kosinski e com um orçamento de cerca de 170 milhões, o longa faturou modestos 400 milhões de dólares em bilheteria. Tendo recebido críticas negativas tanto do público quanto da mídia especializada, um terceiro filme acabou em animação suspensa depois disso. Mas o filme funciona bem até mesmo por quem nunca assistiu ao material original.

Leia também: Como TRON mudou o cinema de ficção científica


10. Desenvolvimento
Apesar do filme de 1982 ter sido um fracasso de bilheteria, deixando crítica e público bem confusos sobre seu conceito, a audiência mais nova (da época), que vinha entrando de cabeça no mundo dos videogames e dos computador pessoais, abraçou TRON e, para a surpresa da Disney, começou um fandom fiel e presente ao longo dos anos. Isso acabou levando a Disney a pensar em uma continuação ou um reboot do primeiro filme. Chegaram a especular um novo filme pela Pixar em 1999, que acabou não saindo do papel. Com o lançamento do videogame TRON 2.0 em 2003, o interesse por um novo longa aumentou. Assim foi encomendado um roteiro para um filme seguido do sucesso do jogo.


9. Alan Bradley
No filme original, Alan Bradley (Bruce Boxleitner) é o personagem título, o TRON. Mas nos primeiros tratamentos do roteiro de TRON: O Legado, Alan Bradley não aparecia. Os fãs do filme original acharam que ele tinha que estar presente na sequência e reclamaram com o roteirista que colocou Bruce na história, ainda que com um personagem menor. A popularidade de TRON é tanta que Bruce foi levado a fazer uma tour para promover o filme e está escalado para retornar num novo filme da franquia.


8. Os trajes
Os trajes usados pelos atores provaram ser um problemão no set de filmagem. Cada um deles estava equipado com uma pequena bateria de lítio que alimentava os circuitos das faixas de luz embutidas, mas cada bateria durava apenas 12 minutos. Para maximizar a saída, as faixas de luz tinham que ser ligadas logo antes de cada cena e desligadas imediatamente depois. Os circuitos dentro dos trajes também eram muito frágeis, então os atores não podiam simplesmente sentar entre as tomadas, mas tinham que se reclinar contra pranchas verticais para poderem descansar entre uma cena e outra.


7. Trilha sonora
A dupla Daft Punk era uma grande fã do filme original e imediatamente concordou em ser os compositores da trilha sonora. O diretor Joseph Kosinski disse que estava entrevistando a dupla sobre o trabalho no longa quando sentiu que era ele o entrevistado, tamanho o desejo deles de garantir que se preservasse o espírito oitentista do primeiro filme.


6. Zuse
O ator galês Michael Sheen também é outro grande fã de TRON (1982). Tão logo ele descobriu que o novo filme estava em pré-produção ele quis participar. Mas seus agentes resolveram manter segredo a respeito para que a Disney não quisesse pagar um valor muito baixo de salário ao ator. Sheen usou o visual de David Bowie como sua principal inspiração para o personagem cujo nome, Zuse, é em homenagem a Konrad Zuse, um engenheiro alemão e um pioneiro dos computadores.


5. Jeff Bridges
Jeff Bridges interpreta dois personagens no longa: o engenheiro de software Kevin Flynn e sua contraparte malvada na Grade, o programa CLU. Como programas não envelhecem, CLU precisava parecer com o ator tal como ele era em 1982. Usando a mesma tecnologia usada em O curioso caso de Benjamin Button, Bridges teve que usar um capacete especial com quatro câmeras estrategicamente posicionadas, permitindo que todas as nuances e texturas de suas expressões faciais fossem gravadas para serem tratadas com precisão durante o processamento digital. Imagens de Bridges no filme Paixões Violentas (1984) também foram utilizadas. Os efeitos especiais foram tão longos e complexos que, enquanto as gravações duraram 65 dias, a geração dos efeitos na pós-produção levou um ano e meio.


4. Batalha de discos
As vozes da multidão durante a batalha de discos no início do filme são, na verdade, as vozes do público durante o painel do filme na San Diego Comic-Con de 2010. O público foi instruído a bater os pés no chão e cantar conforme as instruções mostradas na tela no palco, e o som foi gravado por técnicos da Skywalker Sound.


3. Olivia Wilde
O algoritmo isomórfico de Quorra é baseada na personagem história de Joana d'Arc, a Dama de Orleans. Wilde trabalhou por seis meses ao longo do diretor para criar o conceito da personagem que, tal como d'Arc, tornou-se uma guerreira improvável, muito forte e compassiva, guiada pelo altruísmo. Tal como d'Arc, Quorra também acredita que está a serviço de algum poder superior, com um pé em outro mundo. A personagem também foi feita para ter um visual andrógino, com um cabelo curto, remetendo à figura histórica de d'Arc. O figurino e a maquiagem de Olivia ficaram tão bons que um dia ele apareceu no estúdio, depois de dois meses de trabalho, sem maquiagem e foi parada pelo guarda no portão, que exigiu ver seu crachá.


2. Flynn's Arcade
O prédio apresentado como Flynn's Arcade em TRON (1982) era na verdade o histórico Hull Building em Culver City, Califórnia. A partir de 2009, quando o novo filme estava em produção, o local parecia muito diferente de sua aparição no filme original. Assim, os cineastas optaram por recriar meticulosamente o interior original e uma parte do exterior em Vancouver, com o restante do local preenchido com computação gráfica. O exterior ainda inclui o outdoor "Space Paranoids" no telhado, mas com a adição do logotipo "TRON" - no universo do longa, TRON é um jogo de fliperama que Flynn criou após os eventos do primeiro filme.


1. Rinzler
Durante a maior parte do filme, Rinzler pode ser ouvido fazendo um chiado estranho, com cliques e um ronronar eletrônico. Isso se deve a seus dados corrompidos/alterados, já que ele é um programa como todos os outros. No final do filme, quando Rinzler afunda na água, as iluminações de seu traje mudam de vermelho para branco e seu ronronar cessa. É neste ponto que a corrupção de Rinzler causada por CLU acaba e ele se torna TRON novamente.

TRON: O Legado


SURVIVE


Já que você chegou aqui...

Comentários

Form for Contact Page (Do not remove)