Resenha: A Rainha da Neve, de Hans Christian Andersen e Sanna Annukka

A Rainha da Neve é uma das histórias mais longas e aclamadas de Hans Christian Andersen. Republicada em coletâneas e ilustrada para crianças, é um enredo fantástico sobre a luta do bem contra o mal na figura de duas crianças separadas pela temida Rainha da Neve. Em uma edição luxuosa, o conto é ilustrado por Sanna Annukka, o que deu um toque original e único ao enredo.





Parceria Momentum Saga e
editora DarkSide


O livro
Dividido em sete histórias interligadas, o conto começa com um troll diabólico que forja um espelho mágico capas de distorcer a aparência de tudo o que reflete. O espelho não mostra o lado bom das pessoas e amplifica tudo o que é ruim. Levando o espelho por onde passa, o troll se deleita em ver o caos que ele gera. Em uma tentativa de levar o espelho aos céus para enganar Deus e os anjos, ele acaba se partindo e caindo de volta na superfície. Mas o espelho acaba se partindo em milhões de pedacinhos que voam com o vento, caindo nos olhos das pessoas, alojando-se em seus corações, carregando a magia sombria com a qual fora feito.

Resenha: A Rainha da Neve, de Hans Christian Andersen e Sanna Annukka


Os anos passam. Conhecemos os protagonistas do conto, duas crianças vizinhas. O garotinho Kai e a garotinha Gerda, que vive na porta ao lado. Eles compartilham o telhado onde há vegetais e flores e de onde podem olhar o céu. Aquele é um pequeno e simples paraíso, mas que para as duas crianças representa algo como o céu em sua forma mais pura. Convivendo como irmãos, a avó de Kai conta sobre a Rainha da Neve que ronda a janela de Kai no meio da neve e o assusta.

Em um belo dia de verão, porém, um caquinho minúsculo do espelho mágico, do tamanho de um grão de areia, entra no olho de Kai e se aloja em seu coração. O garotinho gentil e amoroso desaparece e dá lugar para um menino cruel, bruto, que não se importa mais com Gerda, nem com ninguém. Kai se torna mau, se afasta das pessoas que o amam e acaba caindo nas garras da Rainha da Neve.

Comentei acima que são sete partes dentro do conto. Assim que Kai desaparece, Gerda parte em sua busca e roda o mundo em busca de pistas de seu paradeiro, nunca desistindo dele, sabendo que ele a reconhecerá e que voltará para casa com ela. Ainda que tenhamos uma ou outra visão de Kai, a maioria destes sete capítulos é pela visão de Gerda e sua busca por seu amigo. Ela conhece pessoas e acaba em situações perigosas, sempre expondo sua busca e pedindo ajuda àqueles de bom coração que compreendam sua missão.

O conto não é muito extenso, mas a mensagem é bem clara: o bem contra o mal, o amor vencendo o ódio, a perseverança sempre recompensa. Ainda que seja protagonizado por crianças, é um enredo surpreendentemente maduro e que toca em assuntos que são importantes não apenas na infância, mas também na vida adulta. Às vezes me parece que muitos adultos estão com um caquinho do espelho dentro dos olhos e são incapazes de enxergar algo além da ruindade.

Em capa dura e papel encorpado, as ilustrações de Sanna são um deleite para os olhos. Em formas geométricas e minimalistas, elas formam pessoas, animais, entrelaçando todas em um traço poético que precisa ser apreciado por um momento antes de se completar a leitura.

A Rainha da Neve


Encontrei alguns erros bobos de revisão que torço para que sejam resolvidos em uma próxima edição. A tradução foi de Débora Isidoro e está muito boa.


Obra e realidade
Publicado originalmente em 21 de dezembro de 1844, este é o conto mais extenso de Andersen, mas curiosamente ele levou apenas cinco dias para escrever. É um dos contos mais aclamados de Andersen, tendo sido adaptado para as mais diversas mídias e servindo de inspiração para inúmeras outras. A Bruxa Branca, de As Crônicas de Nárnia e o filme de animação Frozen são as inspirações mais óbvias.

Hans Christian Andersen e Sanna Annukka


Hans Christian Andersen foi um escritor e poeta dinamarquês de histórias infantis. Em vida, escreveu peças de teatro, canções patrióticas, contos, histórias, e, principalmente, contos de fadas.

Sanna Annukka é uma artista de origem britânica e finlandesa que estudou na Universidade de Brighton, onde descobriu sua paixão pela gravura.



Pontos positivos
Ilustrações
Bem escrito
Projeto gráfico
Pontos negativos
Errinhos de revisão
Acaba logo!


Título: A Rainha da Neve
Título original em inglês: The Snow Queen
Autor: Hans Christian Andersen
Ilustradora: Sanna Annukka
Tradutora: Débora Isidoro
Editora: DarkSide (selo Fábulas)
Páginas: 96
Ano de lançamento: 2022
Onde comprar: na Amazon ou na loja da DarkSide com um brinde exclusivo!


Avaliação do MS?
Comecei sem saber bem o que esperar e terminei feliz e inspirada. A leitura pode ser feita em um dia, pois ele não é muito extenso, mas o livro é lindo, tanto em conteúdo quando em projeto gráfico. Um clássico para se ler com os pequenos a qualquer momento. Cinco aliens para o livro e uma forte recomendação para você ler também!





Até mais! ❄️


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.