Resenha: O século de sangue: 1914-2014, de Emmanuel Hecht e Pierre Servent (orgs.)

O século XX viu grandes avanços, principalmente tecnológicos. Foi o século da internet, da penicilina, a erradicação da varíola, o mapeamento do DNA, entre outros. Entretanto, também foi um século com um grande custo de vidas em guerras e conflitos pelo mundo. O livro organizado por Hecht e Servent narra os vinte conflitos mais sangrentos, desde 1914 até os dias atuais. Desde guerras mundiais a conflitos mais locais, todos eles foram fundamentais para redesenhar mapas e nações.





O livro
Aprendemos na disciplina de história na escola sobre as duas grandes guerras que mudaram os destinos do mundo. Até mesmo na faculdade os dois conflitos mundiais são amplamente discutidos, como em geopolítica. Ainda que tenham sido extremamente importantes para os rumos do planeta, elas não foram os únicos conflitos capazes de redefinir países, sociedades e civilização.

Resenha: O século de sangue: 1914-2014, de Emmanuel Hecht e Pierre Servent (orgs.)


Ganhar a guerra é uma coisa, ganhar a paz é outra.

Página 20

De maneira a levar ao público mais informações a respeito de conflitos importantes Hecht e Servent organizaram a edição com autores especialistas, cada um descrevendo os principais pontos de tais guerras, como a deflagração, o curso e o desfecho delas. O tom de cada texto muda porque são vários autores diferentes, mas todos eles trazem as informações principais sobre o que motivou o conflito e qual foi seu legado após o fim.

Começando pela Primeira Guerra Mundial, o livro passa pela Guerra Civil Russa, a Segunda Guerra Mundial, a Guerra Civil Espanhola, a Guerra Sino-Japonesa, da Indochina e a Guerra da Coreia, da Argélia, do Vietnã (1964-1975), dos Seis Dias e do Yom Kippur, as guerras do Líbano, a Guerra do Afeganistão, do Irã-Iraque, das Malvinas, do Golfo, da Líbia, da Iugoslávia, a nova do Afeganistão e do Iraque (2003), da Líbia (2011) e por último a do Mali, em 2013. O livro é acompanhado ainda de mapas em vários capítulos, além de uma extensa bibliografia de apoio para quem quiser se aprofundar mais.

Seus vinte capítulos falam dos conflitos em si, bem como as motivações que levaram a eles, mas também comenta sobre as relações econômicas e sociais, com seus desdobramentos nos anos que se seguiram. Mesmo aqueles mais localizados acabaram alterando todas as dinâmicas geopolíticas, econômicas e sociais ao redor, levando um novo redesenho dos mapas.

É bem provável que vários fatos sobre esses conflitos escapem do conhecimento do leitor comum, até porque a ciência descobre coisas novas, analisa fatos e reexamina os eventos, sempre levando a novas interpretações e discussões. A Primeira Guerra, por exemplo, é muito bem analisada por Jean-Yves Le Naour. É até surpreendente ler que os europeus desejavam a guerra naquele momento para depois ninguém reconhecer a responsabilidade por isso. Muito além do assassinato do Arquiduque Francisco Ferdinando, o imperialismo das grandes potências da época já vinha preparando o campo de batalha bem antes de 1914.

Mesma coisa pode-se dizer sobre a Guerra da Coreia. Não foi um simples embate de "capitalismo X comunismo", talvez um dos motivos mais conhecidos para o conflito e ainda ensinado nas escolas. Havia muitos interesses nacionais e internacionais em jogo que reverberam ainda hoje não parecem ter uma resolução tão cedo. Também é preciso lembrar que essa guerra não acabou, mas levou a um acordo de cessar-fogo e ao estabelecimento de uma zona desmilitarizada no Paralelo 38° N, que separa as duas Coreias ainda hoje.

É preciso destacar que o livro fala sobre 20 conflitos. Quem estiver esperando um grande compêndio com todos os mínimos detalhes sobre as guerras vai se decepcionar, afinal não era esse o objetivo da obra. O livro pode ser usado tranquilamente por leigos, por estudantes de ensino médio, alunos de faculdade, inclusive de história, e deve ser usado como ponto de partida para estudar mais a fundo. Os textos são didáticos, acompanhando mapas e bibliografia de maneira a simplificar os estudos e a compreensão de quem precisa dos fatos, dos motivos e dos desdobramentos de maneira direta.

Em capa comum, o livro vem em papel amarelo, o que foi ótimo de ler, e espero que a Contexto continue entregando seus livros com este tipo de papel. Os mapas estão bem impressos e de fácil compreensão. A tradução feita do francês foi de Angela Maria da Silva Corrêa e está ótima. Não encontrei problemas de diagramação ou revisão nele.

É mais fácil estar em guerra com inimigos prudentes do que estar em paz com amigos insensatos.

Provérbio afegão (página 217)


Obra e realidade
Pra gente ter uma ideia do efeito devastador de uma guerra, vamos pegar só os números da Primeira Guerra Mundial. De uma só vez, quatro impérios caíram: o Alemão, o Austro-Húngaro, o Otomano e o Russo. Quatro dinastias, bem como sua aristocracia, também caíram: os Hohenzollern, os Habsburgos, os Romanov e os Otomanos. A França perdeu 1,4 milhão de soldados, sem contar as vítimas civis.

Dos 60 milhões de soldados europeus mobilizados entre os anos de 1914 e 1918, oito milhões foram mortos, sete milhões ficaram incapacitados de maneira permanente e quinze milhões ficaram gravemente feridos. Morreram 6 milhões de civis durante a guerra. Só a Alemanha perdeu 15,1% de sua população masculina ativa, a Áustria-Hungria perdeu 17,1% e a França perdeu 10,5%. Aqueles que receberam a guerra de braços abertos viveram para se arrepender?

Emmanuel Hecht e Pierre Servent

Emmanuel Hecht é um historiador e jornalista francês, editor de livros da revista francesa L’Express. Pierre Servent é um jornalista e escritor francês, especialista em estratégia militar e coronel da reserva, tendo lecionado durante duas décadas na Ecole de Guerre.


Pontos positivos
Mapas e bibliografia
Bem escrito
Didático
Pontos negativos

Apenas os fatos mais importantes
Pode ser devagar


Título: O século de sangue: 1914-2014 - as vinte guerras que mudaram o mundo
Título original em francês: Le siècle de sang 1914-2014
Autores: Emmanuel Hecht e Pierre Servent
Tradutora: Angela Maria da Silva Corrêa
Editora: Contexto
Páginas: 288
Ano de lançamento: 2015
Onde comprar: na Amazon!


Avaliação do MS?
Gostei muito de ler este livro e revisitar temas que estudei há tanto tempo. Nunca é fácil ler sobre guerras e conflitos, mas é importante conhecer a história de maneira a não repeti-la. O fato de termos tantas guerras em um livro só mostra que o ser humano ainda acredita que armamento e projéteis resolverão problemas, ao invés da diplomacia e da conversação. Um ótimo livro para se ter na estante, seja historiador ou não. Quatro aliens para o livro e uma forte recomendação para você ler também!




Até mais!


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.