10 mortes da ficção científica que ninguém estava esperando

Lidar com a morte de personagens que amamos (ou odiamos) nem sempre é fácil porque a morte pode ser igualmente besta ou tocante, a ponto de ser lembrada continuamente. E existem vários momentos como esse na ficção científica em que você se pergunta POR QUEEEEEEE?!! Então, para tocar e apertar a ferida, resolvi compilar dez mortes capazes de deixar qualquer fã sem fôlego quando acontecem!

10 mortes da ficção científica que ninguém estava esperando




Deixa eu adiantar o expediente aqui: não tem como falar da morte de um personagem sem acabar dando spoiler do que aconteceu. Muitos desses filmes tem mais de 20 anos de lançamento, então alguns personagens foram mortos há tanto tempo que não tem como não saber a respeito. Então, não se irrite por saber disso!


Angharad — Mad Max: Estrada da Fúria (2015)
Angharad

Uma das esposas de Immortan Joe, a valente Angharad protege Furiosa com o próprio corpo na desenfreada corrida pelo deserto. Notando que o caminhão estava atado a uma corrente, mesmo grávida, ela sai da cabine e consegue cortá-la, escapando por pouco de ser atingida por uma rocha. Infelizmente, Angharad escorrega devido a um ferimento na perna e acaba atropelada pelo carro do próprio Immortan Joe. Ferida demais, ela falece levando junto a criança, um menino, depois de uma cesariana post-mortem.


Elizabeth Shaw — Alien: Covenant (2017)
Elizabeth Shaw

O filme é tão ruim que mal vale os gigabites de espaço que ocupa, mas por uma coisa eu não esperava: que a Dra. Shaw estivesse morta nesse filme. Vimos em Prometheus e aquela missão fadada ao fracasso e com cientistas tão idiotas que nunca deveriam ter ganhado um diploma, que Shaw embarca na nave alienígena junto do androide David rumo ao planeta dos fundadores. Então todo mundo meio que esperava que ela estivesse por lá quando uma nova equipe de gente idiota chegasse. No fim ficamos sabendo que Shaw foi alvo de macabras experiências biológicas pelo androide doidão.


Dr. Mann — Interstellar (2014)
Dr. Mann

No começo do filme descobrimos que o Dr. Mann foi um dos pioneiros a viajar pelo buraco de minhoca na órbita de Saturno rumo a uma nova galáxia e a um planeta alienígena com indicadores biológicos. Contrariando o pedido da Dra. Brandt, que depois se confirmou ser o planeta certo, a missão da Endurance vai até o planeta do Dr. Mann, acreditando ser um ótimo lugar para a humanidade. Mas o desespero do Dr. Mann de sair daquela situação o leva a deixar todos os astronautas ilhados no planeta gelado. O que ele não esperava era se explodir junto com a nave ao tentar atracar em órbita na Endurance. Aliás, bem feito.


Cabo Hicks e Newt — Alien 3 (1992)
Cabo Hicks e Newt

Essas mortes aqui doeram fundo nos fãs de Aliens, pois a gente sabe logo de cara, quando Alien 3 começa e a Ripley é resgatada em Fiorina Fúria 161, um planeta prisão onde a cápsula de emergência da Sulaco acabou caindo. Depois do final bombástico de Aliens (1986), com apenas três sobreviventes mais o androide Bishop, a morte de Hicks e Newt foi um soco no estômago de todos que esperavam ver um relacionamento da Ripley com o jovem soldado e um futuro para a pequena sobrevivente da colônia em LV-426. Newt morreu afogada no criotubo e Hicks foi atingido por uma antepara que se rompeu. Triste, muito triste.


Hoban "Wash" Washburne — Serenity (2005)

O carismático piloto da Serenity é um daqueles personagens que não podiam morrer. Pois é ele que acaba morrendo de uma maneira brutal - empalado por uma viga de aço que atravessou a escotilha da nave - enquanto ainda estava na cadeira de pilotagem. Não é à toa que essa morte ainda deixe os fãs da série Firefly emputecidos com Joss Wheldon pela sacanagem. O que acontece é que a morte do personagem acabou sendo um pedido do próprio ator, pois ele não poderia retornar para um possível reboot da série. Ainda assim, foi uma morte inglória para um personagem tão legal.


Spock — Star Trek II: A Ira de Khan (1982)
Spock

Essa morte doeu em cada fã de Star Trek pois, para muitos, este é o verdeiro e primeiro filme da franquia nos cinemas. Adoro o primeiro filme e sempre o defenderei, mas entendo porque esse filme acaba sendo amado e odiado por muitos. O motivo do ódio é mais que justificado: a triste e emocionante morte de Spock depois de salvar a Enteprise colocando seu motor para funcionar. Após receber uma dose letal de radiação, nem mesmo a miraculosa medicina do século XXIII poderia salvá-lo e ele se despede de seu melhor amigo de uma maneira que faz até o mais frio fã dar aquela suada pelos olhos.


James Cole — Os 12 Macacos (1995)
James Cole

Essa é uma morte muito impactante porque acontece logo no começo do filme. O spoiler nos é dado pelo diretor logo de cara, mas é preciso assistir ao filme todo para entender o contexto. Só depois é que a gente entende que os terríveis pesadelos que perseguem Cole são referentes à sua própria morte no aeroporto que ele, ainda criança, acabou assistindo. Os 12 Macacos é um filme que fala de redenção, de auto-sacrifício, mas talvez o mais triste de tudo é que Cole acaba fazendo parte do fim do mundo ao invés de salvá-lo.


Conde Dookan — Star Wars III: A revolta dos Sith (2005)
Conde Dookan

Admito que essa morte me pegou de surpresa quando assisti A revolta dos Sith. Dookan (ou Dooku no original, o que sooa péssimo em português) é uma figura antagônica central nos filmes. Sua luta com ninguém menos que mestre Yoda em O Ataque dos Clones o elevou a um status de inimigo formidável para o próximo filme. Assim sua morte acaba sendo uma das mais bobas em Star Wars. No fim, todo o esforço dele foi inútil, afinal ele acabou morrendo apenas para provar o quão ruim Anakin tinha se tornado.


Lee Abbott — Um lugar silencioso (2018)
Lee Abbott

Em geral, a gente não espera que um dos mocinhos vá morrer. Mas é exatamente o que acontece aqui. Lee é um pai tentando criar três filhos num futuro desolado onde ninguém pode emitir som algum. O filme começa com uma morte, a do filho menor, que ainda não entende a vital necessidade de se manter em silêncio. A família luta para sobreviver, para tentar lidar de alguma maneira com a morte do pequeno, até que Lee acaba se sacrificando para salvar a filha mais velha em uma cena tensa, brutal e bela ao mesmo tempo. A gente até esquece a infâmia da morte logo no começo.


Lembrou de mais alguma morte impactante? Até mais!


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

2 COMENTÁRIOS

  1. Acho bacana quando o autor /autora ou diretor / diretora tem a coragem de manter personagens. O livro fica impactante e realista. Meu primeiro trauma foi com Dumbledore haha e hj sinto falta de finais reais. Acabei de ler Herdeiros do Tempo e acho que o livro foi perfeito até chegar ao final otimista de mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, otimista demais?? 😅 Que amargor, Thom, pelamor!

      Excluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.