Resenha: A última coisa que ele me falou, de Laura Dave

Livro com adaptação assegurada para a Apple+ com Jennifer Garner no papel principal, é um prato cheio para fãs de dramas familiares e thrillers de investigação. Um dos livros do finado Clube Intrínsecos e um dos mais vendidos do The New York Times, é uma narrativa que flui super rápido, com personagens irritantemente bem construídos e um final agridoce que pode acabar não agradando a muita gente.





O livro
Hannah ama Owen Michaels, seu marido, profundamente. Mulher independente, marceneira que cria incríveis obras em madeira, ela se mudou de Nova York para Sausalito na Califórnia, onde Owen mora em uma casa flutuante com a filha insuportável de 16 anos, Bailey. Primeiro ponto a destacar foi o trabalho da autora na construção de personagens. Eles não são muitos, mas mesmo em flashbacks acabamos conhecendo e nos afeiçoando (ou não) a eles muito rapidamente. Bailey, por exemplo, é uma pirralha mimada pela qual torci o nariz o livro inteiro, mas consigo entender porque muitas vezes ela agiu daquela maneira. Ela é chata por boa parte da leitura, principalmente com Hannah, que tenta de tudo para conseguir seu respeito e afeição mas não consegue.

Resenha: A última coisa que ele me falou, de Laura Dave


Um dia, ao abrir a porta, uma menina da escola de Bailey, bem mais nova, lhe dá um bilhete. Disse que o Sr. Michaels trombou com ela na escola e pediu que entregasse o bilhete nas mãos de Hannah. O bilhete diz apenas Proteja ela. Assim, curto e grosso. Hannah deve proteger a enteada que simplesmente a detesta. Foi bem interessante ver a dinâmica das duas. Hannah foi compreensiva, ainda que se irritasse de vez em quando, mas nunca alimentou discussões, nunca bateu boca com a garota. Ela era o elemento novo na relação de Bailey com o pai, então é óbvio que ocorreria ciúme. Hannah foi paciente e compreensiva, algo bem legal de ver ao longo da leitura.

Essa é a questão do bem e do mal. Um não está tão distante assim do outro - e os dois muitas vezes começam do mesmo ponto de vista corajoso de querer que alguma coisa seja diferente.

É a partir desse bilhete que a ação passa a se desenrolar. Agentes federais começam a bater na porta de Hannah, cada um trazendo ou buscando informações sobre o escândalo financeiro na empresa de tecnologia onde Owen trabalhava. Será que ele estava metido no rolo? Ele sabia sobre os problemas ou foi mais um enganado pelo dono? Owen desapareceu sem deixar rastros, deixando um bilhete para Hannah, uma bolsa de dinheiro para a filha e nenhuma pista sobre seus motivos ou paradeiro. O que Hannah deve fazer agora?

Conforme progredimos na leitura, vamos e voltamos no tempo através das memórias de Hannah. Ela lembra de momentos com Owen que só começaram a fazer sentido depois que ele desapareceu. Nessas horas vemos o pai dedicado que ele é, o marido amoroso e apaixonado, mas também percebemos que há algo em seu passado que ele não parece disposto a contar para ninguém.

É terrível saber tudo sobre alguem quando já não queremos saber nada sobre ela há muito tempo.

O mistério não demora a acontecer como em outros livros do gênero. Logo de cara, assim que Hannah abre a porta, começam os questionamentos sobre Owen. E admito que em vários momentos a autora me deixou na dúvida sobre a idoneidade desse sujeito. Afinal ele desapareceria sem mais nem menos e deixaria a filha para trás? Que diacho de pai é esse?? Mas conforme vamos lendo percebemos que o buraco é, de fato, mais embaixo e que há coisas que vão surgindo sobre sua vida pregressa que começam a fazer sentido. Hannah se pega pensando a mesma coisa que a gente, mas sua preocupação é com a segurança de Bailey.

Vi algumas resenhas e avaliações que se queixavam do final do livro. Consigo entender os motivos de quem se decepcionou, afinal foi um desfecho agridoce, mas também foi bastante realista com base nas informações que recebemos ao longo da leitura. Por isso que eu disse no começo que esse seria um final que talvez não agradasse a todos, mas para mim ele fez sentido e coube no enredo.

O ritmo é rápido, mas as cenas não são apressadas e descuidadas; elas são bem descritas, você se sente inserido nelas, acompanhando Hannah e Bailey, que conduzem boa parte do enredo. Às vezes senti que Hannah parecia unidimensional, sabe? Ela não para pra dar aquela surtada, aquele choro contido no banheiro segurando uma toalha. Ela é fria, direta e reta em boa parte do livro e isso tirou um pouco o brilho da protagonista. Já Bailey compensa o realismo sendo a pirralha chata que é por boa parte da leitura.

Li o ebook e não o livro físico, mas ele está bem diagramado e revisado, com poucos problemas de tradução, que foi de Ana Rodrigues.


Obra e realidade
Achei bem interessante o posicionamento de Owen durante o livro. Ainda que seja um protagonista, ele é sempre um protagonista do passado, afinal o sujeito sumiu e deixou tudo para trás sem qualquer explicação. O livro trabalha muito a questão sobre a responsabilidade dos pais sobre os filhos. Será que se afastar deles pode ser entendido como um ator de amor?

Não posso detalhar mais ou vou acabar entregando spoilers, mas o livro acaba te obrigando a se perguntar a respeito. E que tipo de decisão você tomaria no lugar de Hannah quando ela se vê diante da verdade.

Laura Dave


Laura Dave é uma escritora norte-americana. Vários de seus livros tiveram os direitos comprados para o cinema ou TV.


Pontos positivos
Hannah e Owen
Bem escrito
Leitura rápida e tensa
Pontos negativos

Bailey e sua chatice
Final em aberto


Título: A última coisa que ele me falou
Título original em inglês: The Last Thing He Told Me
Autora: Laura Dave
Tradutora: Ana Rodrigues
Editora: Intrínseca
Páginas: 400
Ano de lançamento: 2022
Onde comprar: na Amazon!


Avaliação do MS?
Comecei a ler esse livro porque vinha numa sequência de obras de FC & Fantasia que não foram tão boas quanto eu esperava. Por isso sempre aposto em gêneros que dificilmente me desagradam, como os thrillers. Não sabia bem o que esperar deste aqui, mas tenho que dizer que a leitura foi bem proveitosa. Me via incapaz de largar o Kindle, mesmo com os olhos quase fechando de sono. Quatro aliens para o livro e uma forte recomendação para você ler também!




Até mais!


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.