Por que eu ainda blogo?

Muitas coisas aconteceram nesse último mês que me fizeram questionar o motivo para ainda estar aqui blogando com regularidade. Em quase 13 anos de Momentum Saga vi vários projetos surgirem, depois sumirem, fiz muitas amizades, perdi algumas. Participei de projetos e eventos incríveis. Publiquei meus trabalhos. Mas tem horas que nem quero abrir o computador para escrever nada e fico me perguntando que é tudo um trabalho inútil. Então o que ainda estou fazendo aqui?

Por que eu ainda blogo?




O blog surgiu num momento em que eu estava de licença-saúde devido aos vários problemas de coluna que me levaram a várias cirurgias. Ela nunca mais foi a mesma, me deu dor crônica, mas o blog continuou junto com ela, em uma tentativa de transformar uma incapacidade em algo produtivo. Não queria me sentir inútil em casa, queria me conectar com outras pessoas.

Quem tem projetos na internet sabe que o retorno às vezes demora. Foi no mínimo cinco anos para juntar um público fiel, conquistar parcerias, atrair a atenção de quem curtia o tipo de conteúdo que produzo. Recompensa demais receber comentários bacanas, gente que agradece por uma dica de livro, dica de escrita, por começar uma discussão produtiva.

Escrever no blog semanalmente melhorou muito minha escrita, me fez encontrar minha voz, me fez ter coragem de dividir com os leitores as doideiras que eu escrevia e mantinha em segredo porque achava que ninguém gostaria de ler. Meus ebooks estão na Amazon, participei de grandes coletâneas, fui até indicada a prêmios. Tudo porque numa tarde ociosa em casa resolvi criar um espaço apenas para poder escrever sem compromisso.

Comentei nas redes sociais que devido a vários problemas referentes a pagamento - e contrariando os desejos do ortopedista - voltei para a escola. Não estou em sala de aula, mas sou responsável por uma bela sala de leitura numa escola do lado de casa. Estou satisfeita, ainda que a dor me impeça de ser 100% produtiva. Ter trabalhado em livraria e discutir tanto sobre literatura por aqui acabaram me ajudando muito na hora de organizar as estantes e sugerir leituras pra garotada. Não tenho do que reclamar dessa parte.

Mas tem sido cada vez mais difícil levar o blog às pessoas. Comentei no Twitter sobre como gosto de escrever, mas como não tenho mais gostado de blogar, porque chegar às pessoas está se tornando um desafio diário. As pessoas não têm nenhum poder no conteúdo que querem ver, tudo agora é na base do algoritmo. Tenho percebido isso nos poucos comentários, nas poucas interações com os posts que escrevo. Até mesmo o serviço que entregava os posts na caixa de email das pessoas foi descontinuado pelo Google e tive que correr atrás de outro que nem sei se é tão efetivo.

É o Instagram querendo se tornar o TikTok, é o funil do Facebook diminuindo o alcance das postagens, é o algoritmo do YouTube desmonetizando os canais que antes entregavam conteúdo e ganhavam com ele. Sempre defendi a existência dos blogs. Ao invés de produzir conteúdo em redes sociais, sempre defendi que as pessoas tivessem seus próprios espaços para escrever, interagir e usar as redes como um meio e não como um fim. Mas em dias onde uma torrente de códigos define o que o leitor quer ler, que tipo de controle tenho eu a respeito?

Fiquei tentando responder à pergunta que nomeia este texto. Por que eu ainda blog? Por que eu ainda estou aqui? Será que estou contribuindo com algo para a vida das pessoas? Meus textos querem dizer algo? Já disseram? Talvez o blog esteja em uma crise de idade, talvez eu esteja... Este mundo pós-pandemia tem parecido confuso pra muita gente, inclusive pra mim. Foram os conteúdos que mudaram ou foram as pessoas?

O que posso dizer é que ainda blogo porque quero compartilhar as coisas com as pessoas. Gostaria apenas que esse conteúdo de fato chegasse nelas, que elas interagissem, que respondessem. Tem horas que sinto que é o mesmo que falar com uma parede, sem nunca obter resposta, apenas fazendo, nunca recebendo algo de volta. E não me entenda mal, sei que não está fácil para ninguém. Sei que todos ainda estão catando os cacos de dois anos de pandemia e de restrições, mas eu também estou. E sinto que um manto de cansaço está começando a me cobrir.

Não sei consegui responder direito à pergunta que eu mesma fiz. Só sei que ainda gosto do meu espaço, do meu puxadinho na internet. Sei que quando deixar de gostar vou fechar e fazer outra coisa, mas ainda quero estar por aqui, assim como quero que você esteja por aqui também. Então me mande um alô, me diga que você ainda frequenta este espaço.

Vida longa e próspera! 🖖


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

17 COMENTÁRIOS

  1. Eu acredito que "escrever em blog" é o auge da nossa geração os motivos são váriados mas o objetivo é o mesmo. Eu nunca tive reconhecimento no blog pessoal mas, eu escrevia em tom de desabafo... sobre faculdade, musica e os livros que eu estava lendo. Na época da pandemia, fiquei com receio de transforma-lo em um blog literário (aonde eu vou desabafar?) mesmo sendo um processo natural... Enfim, a resposta muda com frequencia embora seja a mesma pergunta.

    https://ladomilla.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Olha, capitã, eu fiz uma espécie de desabafo ontem no Twitter justamente sobre como sou praticamente invisível a despeito de algumas habilidades que pessoalmente as pessoas consideram muito boas, porém não tenho nenhum reconhecimento - charges, livros... tudo isso restrito a uma bolha fiel da qual sou muito grato, mas queria expandir. Tanta gente ruim por aí que consegue engajamento monstruoso e reconhecimento. (não estou dizendo que sou bom em alguma coisa, mas ainda me espanta ver o triunfo de certas nulidades em termos de conteúdo). Para minhas postagens no blog há uma dedicação de tempo para escrever, revisar e ilustrar para, no fim... engajamento insignificante. Como você bem disse, chegar às pessoas está impossível a não ser que se tenha um "padrinho influencer" ou pague para impulsionar a publicação - as redes do canalha Zuckeberg se transformaram em um grande comércio que gera frustração a quem produz algum conteúdo legal e quase nada é entregue. Você já começa a cansar e, quanto a mim, cansei das redes antissociais.

    Eu ainda blogo porque é como se eu mantivesse um portfólio de textos e ilustrações e é interessante comparar minha escrita e ideias de anos atrás com o que produzo hoje - bom saber que melhorei em termos de ideias, amadureci. Vez em quando o Google traz alguns viajantes perdidos nessa rede em busca de uma ilustração ou texto e isso é bom. Acho que é possível sustentar por mais algum tempo, mas confesso: é cada vez mais difícil, cada vez menos estimulante.

    ResponderExcluir
  3. Não vou escrever muito (e acho que nunca escrevi aqui), mas acompanho o blog há anos e já tive muitas indicações excelentes de leitura. Espero que continue por bastante tempo.

    Eu sigo o blog pelo feed RSS, que infelizmente muitos blogs estão matando em prol do algoritmo - talvez nem tenham percebido ao atualizarem... É uma tecnologia (antiga) que deveria ser mais divulgada e amplamente utilizada pelos blogs.

    ResponderExcluir
  4. Oi! Acabei de passar 15 minutos tentando descobrir como comentar por aqui (aparentemente precisa ter uma conta no blogger) não foi um processo simples, mas me senti intimada hahaha Eu imagino que deva ser frustrante, não ter feedback explícito sobre o trabalho, mas como leitora do blog (anos já) eu sou muito grata a ele por existir. De fato não há um sistema de notificações de novas postagens eficiente, mas eu ainda sou das antigas e pelo menos uma vez por semana dou uma olhada no site para ver se há atualizações(uso o bloglovin tbm, mas ele é meio temperamental, não dá para confiar), aguardo sempre ansiosa pelas reviews: nem sempre temos o mesmo gosto (pessoalmente sou mais inclinada a literatura fantástica do que sci-fi) mas confio nas tuas indicações, acho teus parâmetros sólidos e já descobri vários favoritos seguindo tuas dicas. Certamente ampliou meu mundo. Agora que sei que é importante e fiz toda essa configuração do google, me comprometo enquanto leitora a largar a timidez e comentar mais.

    Eu sei que as redes sociais hoje estão sufocando todos os outros meios de comunicação. Mas fico feliz que ainda existam espaços de resistência como aqui, que seguem outra noção de tempo e se assemelham mais ao orgânico do que a virtude da urgência. Para mim ler teus posts é um momento de desaceleração, reflexão e contemplação. Torço para que tu continue, no teu ritmo, porque estarei por aqui tbm.

    ResponderExcluir
  5. Faz pouco tempo que conheço o blog mas gosto muito. Acho interessante porque ao contrário das redes sociais, não há ruídos quando você quer saber sobre um assunto. Muitas pessoas falam sobre literatura no Instagram, YouTube e até no TikTok, mas ao entrar nessas redes, as pessoas acabam vendo outras coisas e até mesmo se distraindo do que realmente foi procurar. Não sei se fui clara kkkk.

    ResponderExcluir
  6. Único blog que nunca deixei de acompanhar. Amo ficção científica e suas dicas e resenhas. Eu comecei a escrever o meu porque não tinha com quem conversar sobre livros e o melhor de tudo foi que a partir daí conheci um monte de gente bacana e blogs incríveis. Mas hoje em dia acompanho só alguns poucos canais do YouTube e o seu blog. Enquanto você escrever, estarei aqui lendo! ❤

    ResponderExcluir
  7. Acho que somos a resistência. Lendo esse seu texto, tenho pensado que preciso dar mais valor aos blogs em geral. Dar mais valor ao meu blog e ao meu conteúdo. E valorizar outros blogueiros que gosto. Um enorme abraço e a sorte é nossa que você continua blogando!

    ResponderExcluir
  8. SUPER te entendo Sybylla, já passei pelos mesmos questionamentos (e acho que continuo questionando isso tudo). É muito frustrante e desanimador perceber que o nosso conteúdo, que a gente faz com tanto carinho e dedicação, simplesmente não chega nas pessoas. Acho que continuo fazendo por amor mesmo ~ e por saber que existem outras pessoas por aí com a mesma vontade de trocar ideia, aprender coisas novas, compartilhar... como você e o seu tão querido Momentum Saga. <3

    Não Me Mande Flores

    ResponderExcluir
  9. Para mim, um blog como este é essencial para que eu conheça livros novos e possa variar minhas leituras.

    ResponderExcluir
  10. Você é o único blog que sigo, e gosto muito das indicações de livros ou quando você cita séries. Leio outros blogs para saber resenhas de livros que me interessam, mas aqui eu leio todas as resenhas, para descobrir mesmo.

    ResponderExcluir
  11. Cara Sybylla. Embora eu não tenha o costume de comentar, acompanho o teu blog há pelo menos quatro anos e o visito regularmente. Sou fã de Ficção Científica de qualquer época e descobri muitas preciosidades e e curiosidades sobre o tema através do teu blog. Sei que a vida nos impõe dificuldades e desafios e eu desejo que tudo siga da melhor maneira possível pra todos. Muito obrigado pela tua dedicação, seja qual for a decisão que tomares. Vida longa e próspera!

    ResponderExcluir
  12. num mundo dominado pelo ritmo acelerado das redes sociais, blogues ainda são um desejável momento de pausa e contemplação

    obrigado por continuar a manter viva a prática de blogar :)

    ResponderExcluir
  13. Entendo a sua frustração, criadores de conteúdo estão sendo colocados de lado em prol de influencers que tem pouco ou nada a oferecer. Gente que fala demais, mas que não tem nada a dizer. Tenho medo de parecer um velho ranzinza que não entende o jogo, as regras e os jogadores, mas é essa a minha opinião.

    ResponderExcluir
  14. Entendo muito bem esse dilema de continuar a escrever. A minha tem sido errática há anos e tudo culpa das redes sociais... Mas, veja bem, ainda há aquela coisa gostosa de descobrir pessoas - eu, por exemplo, não conhecia seu blog e adorei esse texto e vou ler e interagir com muitos outros. Acho que a gente tende a se conectar com aqueles que possuem um interesse em comum e nesse mundo de algoritmos, continuar a descobrir espaços pessoais é praticamente um ato de resistência, é a busca raiz do interesse. Isso Facebook nenhum tira da gente!

    ResponderExcluir
  15. Olha, eu entendo essa sensação perfeitamente. Hoje eu estava tentando acelerar um trabalho da semana e, depois de não conseguir acelerar nada, prestei atenção na barra de favoritos do google - sempre esteve lá, nunca ocultei e ficou meio invisível... e lá estava o link de indicações de filmes de ficção científica...de 2011! Lembrei do blog e cliquei com medo de dar link quebrado ou inexistente e fiquei muito feliz de dar certo! Foi nostálgico pra mim. Obrigada. Às vezes nosso trabalho é importante em escalas diferentes, mas não desanime. Siga forte!

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.