Resenha: A trama da vida, de Merlin Sheldrake

Nem planta, nem animal. Os fungos estão por toda parte. Ele pode ser microscópico, pode estar no molho do seu macarrão ou na pizza, mas também pode ser o maior organismo já registrado na Terra, com milhares de toneladas e tão antigo quanto as Pirâmides do Egito. Os fungos possuem uma longa história de convivência com outras formas de vida e sem eles talvez nem houvesse vida como conhecemos. Este livro te conta tudo o que você sempre quis saber a respeito deles!


Parceira Momentum Saga
e editora Fósforo



O livro
Os fungos vivem em todos os tipos de organismos, em superfícies, dentro e abaixo do solo, no ar, na água, no refugo nuclear de Chernobyl, em fundos oceânicos profundos e dentro de rochas sólidas. Eles decompõem rocha, fazem e preparam o solo, nutrem e matam plantas, sobrevivem no espaço, induzem visões, produzem alimentos e remédios, manipulam o comportamento animal e influenciam até a composição da atmosfera. Eles estão altamente disseminados no ambiente, mas cerca de 90% deles nem ao menos foi descrito pela ciência.

Resenha: A trama da vida, de Merlin Sheldrake


Quando olhamos os fungos de perto, encontramos grandes e inquietantes perguntas. O próprio autor comenta que quanto mais se aprende sobre os fungos, mais perguntas ficam sem respostas. Fascinado por fungos desde criança, eles sempre o fascinaram. As formas, os odores intensos, suas habilidades inquietantes - e bota inquietante nisso - fizeram dele um acadêmico especialista em fungos, um micólogo. A trama da vida elucida e ao mesmo tempo questiona muita coisa sobre a vida e a evolução dos fungos, e a forma como toda a vida na Terra está interligada por suas redes.

Os fungos fornecem a chave para compreender o planeta em que vivemos e a maneira como pensamos, sentimos e nos comportamos.

Página 11

São mais de 2 milhões de espécies de fungos, sendo que por volta de 100 mil deles foram descritos. Mais conhecidos pela forma de cogumelos, eles na verdade são frutificações que brotam dos micélios, as redes formadas pelos fungos e suas hifas. Os cogumelos liberam os esporos para sua reprodução e o número impressiona: 50 megatoneladas por ano.

Esse micélio é o tecido que une grande parte do mundo. Seus filamentos atravessam o solo e os corpos vivos e em decomposição, vegetais ou animais. Cada extremidade do micélio busca por água e nutrientes, enviando sinais químicos para outras partes da rede. Em algumas espécies os cientistas detectaram ondas elétricas. Essa rede pode armazenar informações e passar adiante, como na conexão entre as árvores pelo subsolo. Sem essa impressionante rede de fungos as plantas não teriam condições de sair da água e conquistar a superfície terrestre no passado geológico.

As revelações do livro são incríveis e gostei muito da posição de Sheldrake (não parece um nome de cogumelo?) de não tomar um caminho precipitado e classificar esses comportamentos com base em nossa própria experiência. Seria muito fácil chamar esse micélio de "cérebro", pois eles têm impulsos elétricos, memória química, trocam informações. Mas o autor é muito pé no chão a respeito. Ele defende que os fungos sejam compreendidos de uma forma totalmente única, sem a visão antropocêntrica que invariavelmente acaba surgindo.

É até difícil enumerar a quantidade de coisas com fungos envolvidos. Estamos tão acostumadas com eles na culinária que esquecemos muitas vezes da penicilina ou de que os fungos conseguem consumir óleo cru. As drogas usadas em pacientes transplantados para impedir rejeição vieram dos fungos. Não podemos esquecer as leveduras e seu trabalho magnífico na fermentação do álcool. Você sabia que os antigos romanos tinham um deus do bolor??

O livro está organizado em oito capítulos. O autor fala sobre como os fungos são usados pela humanidade, como eles podem ser úteis para recuperar o meio ambiente, como se comportam os fungos parasitas, a caça às trufas e seu mercado concorrido. Existem informações que nem no mestrado eu vi e olha que estudei a evolução das plantas e nem mesmo um mísero slide foi gasto falando dos fungos nas raízes das plantas e sua simbiose para conquistar a terra firme.

A linguagem é extremamente acessível e mesmo temas complexos são bem explicados, então ninguém vai se sentir perdida nessa leitura. Sheldrake, porém, usa termos antiquados quando sai de sua área, felizmente fazendo isso poucas vezes. Por exemplo, não se fala mais extinção do Cretáceo-Terciário, e sim Cretáceo-Paleógeno. O primeiro termo caiu em desuso já faz um tempo. Tirando esses pequenos problemas, não encontrei erros de revisão ou de tradução, que foi de Gilberto Stam e está muito boa. O livro é apresentado em capa comum e papel amarelo com algumas ilustrações em preto e branco de vários tipos de cogumelos e micélios no meio dos parágrafos.

(...) o estudo da simbiose revela que a vida é repleta de formas híbridas, como os líquens, que são compostos por vários organismos diferentes. Na verdade, todas as plantas, fungos e animais, inclusive nós mesmos, são seres compósitos até certo ponto: as células eucarióticas são híbridas, e todos nós habitamos corpos que compartilhamos com uma multidão de microrganismos, sem os quais não poderíamos crescer, nos comportas e nos reproduzir como fazemos.

Página 120


Obra e realidade
Mais do que um livro com curiosidades sobre os fungos, Sheldrake criou um manifesto da ciência. Um manifesto por uma ciência que entenda outros seres vivos a partir de uma ótica própria, sem impôr neles nossos valores humanos. Ele questiona o termo "internet das árvores", questiona o uso da palavra "cérebro" para o micélio, questiona as manerias como "troca" e "mais valia" acabam sendo usados para o intenso metabolismo dos fungos. Mas ele pede principalmente que a ciência tenha mais espaço para a criatividade e imaginação, pois sem ela é difícil discernir o que pode estar acontecendo sob nossos pés neste exato momento ou num vaso de planta em nosso quintal.

Merlin Sheldrake


Merlin Sheldrake é um biólogo inglês especialista em fungos, com doutorado por Cambridge. É pesquisador convidado da Universidade Livre de Amsterdã.


Pontos positivos
Bem escrito
Muitas informações
Trabalho gráfico
Pontos negativos

Preço

Título: A trama da vida: como os fungos constroem o mundo
Título original em inglês: Entangled Life: How Fungi Make Our Worlds, Change Our Minds & Shape Our Futures
Autor: Merlin Sheldrake
Tradutor: Gilberto Stam
Editora: Fósforo e Ubu
Páginas: 368
Ano de lançamento: 2021
Onde comprar: na Amazon!


Avaliação do MS?
Cada virada de página era um "eita". Sério! É uma pena que as coisas que aprendi com essa leitura estejam tão distantes das pessoas e até das salas de aula. Os fungos estão em toda parte. São engenheiros do ecossistema e todos nós dependemos deles. Uma pena ele ser tão pouco estudado e apreciado como um incrível e indispensável organismo. Cinco aliens para A trama da vida e uma forte recomendação para você ler também!





Até mais! 🍄


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

2 COMENTÁRIOS

  1. Sensacional Sybylla, nunca tinha pensado na importância e na onipresença dos fungos! Parece até coisa de ficção científica, né? Adorei a indicação.

    Não Me Mande Flores

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.