10 coisas que você não sabia sobre Thelma & Louise

Thelma & Louise (1991) é considerado um dos grandes road movies da história! Duas amigas de longa data resolvem passar um final de semana pescando nas montanhas, mas no meio do caminho eventos inesperados as levarão até às últimas consequências, enquanto perambulam pelas estradas rurais do sul dos Estados Unidos.

10 coisas que você não sabia sobre Thelma & Louise




Com roteiro de Callie Khouri e direção de Ridley Scott, o longa teve um orçamento de cerca de 16 milhões de dólares, tendo faturado "apenas" 45 milhões em bilheteria. Porém ele logo foi aclamado por público e crítica, tendo sido indicado a seis Oscars da Academia, abocanhando o de Melhor Roteiro Original, que também levou o Globo de Ouro na mesma categoria.


10. Desenvolvimento
Callie Khouri teve a ideia para o roteiro lá em 1988, enquanto dirigia do trabalho para seu apartamento, em Santa Mônica, inspirada também em sua amizade de longa data com a cantora country Pam Tillis. Nos próximos seis meses, Khouri trabalhou no roteiro, imaginando que ele seria um filme independente, de baixo orçamento, dirigido por ela mesma e com produção musical de sua amiga Amanda Templo.

Khouri mostrou o roteiro por aí, tentando conseguir financiamento, até que ela mostrou para seu amigo Mimi Polk Gitlin, que o encaminhou para a produtora de Ridley Scott, que ficou animado com o projeto. Concordando em produzir, ele desembolsou 500 mil dólares para comprar os direitos e então começou a procurar diretores para o longa. Porém todos os cineastas que Scott procurou acabaram recusando a cadeira de direção. Foi a atriz Michelle Pfeiffer quem o convenceu a dirigir de uma vez o filme.


9. Elenco
Inicialmente, as atrizes Michelle Pfeiffer e Jodie Foster estavam escaladas para os papéis principais e estavam bem animadas com eles. Entretanto, a pré-produção estava demorando tanto que precisaram pular fora. Pfeiffer saiu do projeto para gravar As Barreiras do Amor (1992) e Foster para estrelar O Silêncio dos Inocentes (1991). Meryl Streep e Goldie Hawn também foram sondadas para as protagonistas, mas Streep tinha conflitos de gravação e Hawn não foi considerada adequada para um dos papéis.

Geena Davis vinha procurando um papel de protagonista fazia tempo e Susan Sarandon entrou nos 45 do segundo tempo. Ambas tiveram várias aulas de direção e de manuseio com armas para o longa. Geena indicou seu ex-namorado para o papel de seu marido controlador Darryl, o ator Christopher McDonald e Scott convenceu Harvey Keitel para o papel de Hal, o investigador simpático que tenta ajudar Thelma e Louise.

Mas foi o papel de JD que deu mais trabalho. George Clooney fez o teste para o papel do sedutor ladrão várias vezes e Ridley Scott o negou em todas. Mark Ruffalo, Grant Show, John Mellencamp, Dylan McDermott, James LeGros e Dermot Mulroney também tentaram o papel, sem sucesso. William Baldwin por pouco não ficou com JD. Robert Downey Jr. tinha enfim conseguido o papel do ladrão quando Scott percebeu que ele era bem mais baixo que Geena Davis. Por fim, Brad Pitt entrou em cena e conseguiu. Seu salário foi de 6 mil dólares.


8. Queda
Logo no começo do filme, Darryl está saindo de casa para ir trabalhar, escorrega e cai sobre uma pilha de materiais descartados de construção. Ele então se levanta e manda os operários saírem cedo da sua casa, enquanto tira o carro da garagem. O ator de fato escorregou, mas continuou a cena como se nada tivesse acontecido. Ridley Scott curtiu como ficou e colocou no filme.


7. Susto
Outra cena que não estava programada para acontecer acontece do lado de fora de um motel. Thelma está de biquíni e walkman ao lado da piscina, enquanto Louise chama seu nome do carro. Louise então puxa o walkman dos ouvidos de Thelma, que toma um baita susto. Geena Davis disse que o volume estava de fato muito alto e ela não conseguia ouvir Susan Sarandon berrando. De novo, Scott curtiu a cena e deixou como estava.


6. Ford Thunderbird 1966
Esta era a marca do belo carro verde de Louise, praticamente um terceiro protagonista do filme. Foram usados ao todo cinco veículos para as gravações. O principal e melhor cuidado, um carro com câmera acoplada, um carro de reserva e dois "dublês" para cenas mais perigosas. O veículo principal é parte do acervo do Petersen Automotive Museum em Los Angeles.


5. Final alternativo
O final do filme, com o carro voando pelo Grand Canyon, sempre esteve no roteiro de Khouri (e Susan Sarandon exigiu que ele não fosse alterado), mas havia uma versão levemente diferente daquela que já conhecemos. O carro dispara sobre o desfiladeiro e prossegue em sua queda livre por um bom tempo ao som de “Better Not Look Down”, de B.B. King. O investigador Hal fica parado na beirada olhando para o carro caindo e em seguida corta para o carro dirigindo, uma nuvem de poeira subindo. No fim, a cena que foi para os cinemas, é aquela em que a queda é congelada. Aqui você assistir a cena alternativa.


4. Tequila
Depois que Susan Sarandon pensou em desenvolver em si mesma os pensamentos e emoções de Louise de forma a dar um maior ar de realidade possível às cenas na direção, Geena Davis procurou o contrarregra e perguntou se ele poderia arrumar tequila. Você deve lembrar que em vários momentos as atrizes estão bebendo e em vários momentos era bebida de verdade! Michael Madsen (Jimmy) e Brad Pitt tomaram uns tragos também.


3. Susan Sarandon
Ridley Scott ouviu e executou as várias sugestões da atriz para seu papel de Louise. Algumas de suas modificações ao roteiro original: Louise embalando os sapatos em sacos plásticos, trocando suas joias por um chapéu de caubói e parando o carro no deserto à noite para admirar as estrelas enquanto Thelma dorme no banco do passageiro. Mas a cena que mais teve modificação foi aquela em que ela encontra Jimmy. No original, os dois transariam e teriam uma falsa cerimônia de casamento. Sarandon e o então marido, Tim Robbins, reescreveram a cena toda, pois a atriz sabia, e com razão, que sexo e casamento seriam as últimas coisas que Louise pensaria àquela altura. Scott, felizmente, acatou a todas as sugestões dela.


2. Jason Beghe
Fãs de Chicago PD sabem o quão durão é o sargento Voight, interpretado por Jason Beghe. Mas não devem lembrar que ele interpreta o policial rodoviário que para Thelma e Louise na estrada e depois acaba preso no porta-malas da viatura. A cena exigia que ele apenas reagisse friamente às ordens de Thelma, mas o ator achou que seria muito mais memorável se o policial durão caísse no choro, temendo por sua vida e por sua família. Ainda bem que Scott não alterou a cena!


1. Os críticos
Considerado um marco do cinema e tido como um filme feminista, Thelma & Louise explodiu na crítica de maneira avassaladora. Enquanto as críticas foram geralmente positivas, alguns homens se sentiram incomodados (!) pelo teor do filme. Teve um deles, John Leo, que chamou o filme, pasme, de neofascista, onde ele considerava uma glorificação de assassinato, brutalidade e suicídio. Tanto as atrizes como a roteirista ficaram indignadas com tais colocações. Onde estavam esses críticos quando mulheres morriam apenas para impulsionar a jornada do herói ou eram apenas a dama em perigo para o herói másculo e oleado salvar? Além disso, o único assassinato que aconteceu na história foi de um estuprador que tinha, de fato, agredido Thelma. E as heroínas, bem... sabemos qual foi o final delas depois de uma jornada de amizade e companheirismo.

Thelma & Louise


Tem no Amazon Prime!

Até mais! 🕶️


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

1 Comentário

  1. Caramba Sybylla, deu até vontade de assistir de novo, acho que só vi esse filme quando era adolescente (ou criança, não me lembro bem ~ super inapropriado para uma criança assistir, né? hahaha!) Eu não curti o final alternativo, acho que o final oficial ficou muito mais marcado no nosso imaginário ~ ou, pelo menos, no meu. :)

    Não Me Mande Flores

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.