10 coisas que você não sabia sobre Mulher Maravilha!

Fiquei bastante ansiosa por um filme da Mulher Maravilha por muito tempo, mas ele enfim chegou em 2017! Diana deixa a Ilha de Temiscira em busca de Ares, a fim de parar com a guerra que vinha matando milhões de pessoas. Mas as coisas não são assim tão simples para a filha da grande rainha Hipólita, já que Diana desconhece o mundo e o quanto ele ficou complexo desde os tempos das amazonas!


10 coisas que você não sabia sobre Mulher Maravilha!




Dirigido por Patty Jenkins, o longa teve entre 120–150 milhões de dólares de orçamento, tendo arrecadado em bilheteria mais de 822 milhões, tornando-se um dos filmes mais rentáveis da franquia da DC e do ano de 2017.


10. Desenvolvimento
Um novo filme sobre a Mulher Maravilha já estava sendo pensado desde 1996, com Ivan Reitman (Os Caça-Fantasmas) como sendo o possível diretor. O projeto esfriou e foi retomado novamente em 1999, dessa vez com produção de Joel Silver, que considerou Sandra Bullock para o papel. A produção parou de novo, voltando em 2001, onde Mariah Carey e Catherine Zeta-Jones foram consideradas para o papel. Lucy Lawless também estava sendo sondada. Em março de 2005, a Warner Bros. anunciou que Joss Whedon dirigiria o longa, além de escrever o roteiro. Outros nomes considerados para o papel foram Kate Beckinsale e Angelina Jolie. Em 2008, a modelo australiana Megan Gale foi considerada para o papel, mas o filme foi cancelado por causa do orçamento.

Em 2010, a Warner Bros. voltou a desenvolver o filme, junto com outros filmes da DC, como Flash e Aquaman e em junho de 2013, tanto o filme da MM quanto o do Aquaman estavam sendo estudados para um lançamento em junho de 2013. Em 2013, o presidente da Warner disse que queria um filme ou uma série da MM. Paul Feig chegou a sugerir uma comédia de ação para o estúdio envolvendo a heroína. O estúdio começou a procurar por diretoras, mas foi apenas em 2015 que Pattu Jenkins aceitou a cadeira da direção, com roteiro de Allan Heinberg e história de Heinberg e Zack Snyder, Jason Fuchs. Jenkins fez modificações no trabalho de Heinberg, que abandonou o projeto para trabalhar em uma série de TV e, enfim, o filme começou a ser rodado.


9. Gal Gadot
Gal Gadot tinha decidido parar de atuar devido a vários papéis menores e sem importância em filmes de pouco sucesso, além das 15 horas de voo para voltar para casa, em Israel. Ela então fora convidada para um teste, sem saber para qual filme, e disse para si mesma que aquele seria o último e logo em seguida voltaria para casa. Gal precisou ler alguns diálogos soltos que nem fazia muito sentido diante de uma câmera e embarcou para casa. Então veio a ligação, de que ela tinha sido escolhida para o papel da Mulher Maravilha. Ela treinou por 9 meses para o papel, ganhando quase 8 quilos de massa corporal para o papel, mas ainda assim alguns fãs a acharam "magrela demais".


8. Temiscira
A Temiscira original era uma antiga cidade grega no noroeste da Anatólia, situada entre a costa do Mar Negro, próximo da foz do rio Termodonte. De acordo com a mitologia negra, era a capital das amazonas. Mencionada pela primeira vez por Heródoto, é o local onde Hércules cumpriu sua nona tarefa, obter o cinturão de Hipólita. As cenas de Temiscira foram gravadas no sul da Itália, na costa Amalfitana, sul da Península Sorrentina, na região italiana da Campânia.


7. Erich Ludendorff
O general Erich Ludendorff, interpretado pelo ator Danny Huston, foi uma pessoal real e cruel. Ele foi o comandante das forças alemãs que autorizou o uso de gás mostarda no fronte da Primeira Guerra Mundial, gás que afeta os tecidos do corpo e dependendo da exposição pode levar à cegueira, danos permanentes nos pulmões e a uma morte extremamente dolorosa. Posteriormente Ludendorff apoiaria as tentativas de golpe de estado, inclusive a de Adolf Hitler em 1923, além de ter sido um proeminente líder nacionalista e que colocava a culpa da derrota alemã na Primeira Guerra nos políticos pacifistas, nos marxistas, nos bolcheviques e nos judeus. Apesar de seu apoio inicial a Hitler, ele depois discordaria de sua política e diria que ele não era um bom líder para a Alemanha. Ludendorff morreu devido a um câncer no fígado em 1937, aos 72 anos.


6. Rainha Hipólita
Originalmente, o papel da rainha e mãe de Diana foi oferecido a Nicole Kidman, que precisou recusar, mesmo querendo muito trabalhar com Patty Jenkins, por causa de conflitos de agenda com as gravações de Big Little Lies (2017). Kidman depois estrelaria Aquaman (2018), como a rainha Atlanna, mãe do protagonista. Mas Charlize Theron revelou que sugeriram seu nome para ser a rainha Hipólita, sendo que ela é apenas nove anos mais velha do que Gal Gadot. Connie Nielsen ficou com o papel de Hipólita e felizmente a atriz tem uma idade condizente com ele.


5. Chefe
Eugene Brave Rock, ator pertencente à nação nativa Blackfoot, não sabia que estava fazendo um teste para um papel no filme Mulher Maravilha. Patty Jenkins então pediu que ele comentasse sobre os estereótipos do personagem. Infelizmente, por questões contratuais com a DC Comics, o personagem não poderia ter seu nome alterado, mas Eugene nunca se chamaria desta maneira em qualquer cena. A diretora também pediu que ele alterasse o figurino e as falas do personagem da maneira que quisesse, podendo falar seu idioma nativo, cena em que ele se apresenta para Diana como Napi, figura mitológica Blackfoot visto como o criador e como um esperto trapaceiro. Ele diz a Diana: "Oki, niitaniiko Napi", que na língua Blackfoot quer dizer "Olá, meu nome é Napi". Segundo os produtores, o Chefe é um semideus indígena disfarçado na Terra, tal como Diana.


4. Banido
O filme foi banido em vários países por causa de Gal Gadot. Ele foi suspenso por um período na Tunísia, por causa da nacionalidade de Gal Gadot e por ela ter servido no Exército Israelense. No Líbano que, oficialmente, está em guerra com Israel, o longa também foi banido pelos mesmos motivos e porque Gadot falou positivamente a respeito de seu país e de seu tempo de serviço no Exército, além de ter se expressado negativamente a respeito do Hamas. No Qatar, as mesmas razões levaram ao banimento do filme no país.


3. 1987
Boa parte do enredo do filme deriva da primeira história criada por George Pérez quando ele reimaginou a personagem dos quadrinhos em 1987. Nesta nova roupagem, Steven Travor acaba chegando a Temiscira, passando por suas barreiras protetoras e Diana acaba chegando o mundo humano na tentativa de encontrar Ares que estava promovendo conflitos entre as nações.


2. Outras versões
Este não é o primeiro filme da Mulher Maravilha. Muita gente lembra de Lynda Carter, na série dos anos 1970, mas não sabe que a atriz Cathy Lee Crosby interpretou a personagem em um filme de 1974, onde Ricardo Montalban era o vilão. A produção era o piloto de uma série para a TV, mas o projeto foi mal recebido e engavetado, até que em 1975 ele foi reformulado e lançado com Carter no papel. Antes do longa com Gal Gadot, a NBC tentou lançar uma série da Mulher Maravilha em 2011, com Adrianne Palicki no papel título, mas o piloto é tão ruim e causou uma reação tão negativa de todo mundo que assistiu que a série acabou cancelada.


1. Cena de batalha
Patty Jenkins teve que brigar para manter a incrível cena em que Diana se revela no campo de batalha na Bélgica. Ao contrário do que foi dito inicialmente, o problema não foi o estúdio, mas a própria equipe de Jenkins que disse que a cena era inútil, já que Diana não lutava, apenas andava pelo cenário, desviando de balas e uma cena semelhante, no beco, em Londres, já tinha sido filmada. Jenkins defendeu a cena, diferenciando o filme de outros longas de super heróis:

É sobre ela, mais ninguém. É apenas sobre ela, sobre sua jornada pessoal em se tornar a heroina. É o momento que define um super herói.


Mulher Maravilha


WHAT I DO IS NOT UP TO YOU.


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.