10 coisas que você não sabia sobre 2012

O filme catástrofe 2012 (2009) é aquele tipo de filme que de tão ruim ele acaba ficando bom por causa das situações absurdas e impossíveis que mostra na tela. A gente sempre tem que suspender a descrença quando está assistindo obras de ficção, mas no caso de 2012 é preciso explodir a descrença. Um tipo exótico de neutrino emitido por uma erupção solar "esquenta" o núcleo da Terra, o que causará severas mudanças geológicas no planeta, pondo em risco toda a civilização humana.

10 coisas que você não sabia sobre 2012




Dirigido por Roland Emmerich, o longa teve um orçamento de cerca de 200 milhões de dólares, arrecadando quase 800 milhões em bilheteria. Foi o quinto filme mais lucrativo de 2009.


10. Desenvolvimento
Roland Emmerich disse que sempre quisera rodar um filme com uma inundação bíblica, mas nunca se achara digno da tarefa. Foi depois de ler o trabalho do jornalista e escritor escocês Graham Hancock sobre a teoria do deslocamento da crosta terrestre que teve a ideia de fazer algo semelhante no cinema. Acontece que as suposições de Hancock encontram pouco apoio da comunidade acadêmica e alimentam pseudociência e teorias de conspiração por aí.


9. Último?
Roland Emmerich é bem conhecido do público por seus "filmes-catástrofe", como Independence Day (1996) e O Dia Depois de Amanhã (2004) e disse que 2012 seria seu último filme do tipo. Tanto não foi que ele fez vários depois, como Independence Day: Resurgence (2016).


8. Spin-off
Em 2010 foi anunciado um projeto de uma série de TV derivada do longa chamada de "2013", que seria uma sequência do filme, mostrando o que aconteceu com os sobreviventes e como eles construíram um novo mundo depois da grande catástrofe que o mundo enfrentou. O projeto foi cancelado pela rede ABC por problemas de orçamento. Este seria o terceiro spin-off derivado de um filme de Emmerich. O primeiro foi Stargate (1994), que levou a Stargate SG-1, Stargate Infinity, Stargate Atlantis, Stargate Universe, e Godzilla (1998), seguido da série Godzilla: The Series.


7. Relógio
Quando Jackson Curtis (John Cusack) aluga um avião na tentativa de salvar a família, ele usa seu relógio como forma de pagamento. Jackson explica que recebeu o relógio do seu agente que achava que ele seria um sucesso. O relógio é um Classic Pilot Mark XVI e ele custa cerca de 25 mil reais.


6. Bonus
Um final alternativo foi adicionado nos bônus do Blu-ray. Nesta versão, o pai de Adrian (Chiwetel Ejiofor), Harry Helmsley (Blu Mankuma), sobrevive ao imenso tsunami que virou o navio de cruzeiro onde ele trabalhava. Adrian o encontra algum tempo depois e resgata os sobreviventes do navio, inclusive o melhor amigo de seu pai, Tony Delgatto (George Segal).


5. Referências bíblicas
São várias as referências feitas à Bíblia por Emmerich. O filho de Jackson Curtis, por exemplo, se chama Noah (Noé em português), o transatântico pego no tsunami é o Gênesis e a humanidade é salva por várias "arcas", construídas na China. Em um determinado momento do filme é possível ver vários animais sendo levados para lá.


4. Instituto para a Continuidade Humana
Uma das ações de marketing do filme era o site do Instituto para a Continuidade Humana, uma instituição fictícia que aparece no livro do protagonista, Jackson Curtis. Nele os cineastas podiam se registrar para receber um número de loteria de maneira a fazer parte de uma pequena população que seria resgatada da destruição global. David Morrison, cientista sênior da NASA, chegou a receber mais de mil perguntas de pessoas que pensavam que o site era verdadeiro e condenou a ação do estúdio, pois ele teria recebido mensagens de pessoas pensando em suicídio por não quererem presenciar o fim do mundo.


3. Fazendo as contas
Se uma passagem para as arcas custava 1 bilhão de euros por cabeça, apenas 2100 famílias no mundo seriam capazes de pagar. Em um determinado momento, Carl Anheuser (Oliver Platt) diz que há cerca de 400 mil pessoas nas arcas. A maioria deles são políticos, cientistas de várias áreas, técnico e pessoas úteis para reconstruir a sociedade e não apenas bilionários como parece.


2. Banido
O filme de Emmerich foi banido na Coreia do Norte. O ano de 2012 marcava o 100 anos de nascimento do fundador do país, Kim Il-sung, e também era designado como o "ano de abertura dos grandes portões para a ascensão do país como uma super potência". Um filme que mostrasse tal ano de maneira tão negativa era uma ofensa ao governo norte-coreano. Várias pessoas foram presas por terem assistido ou visto cópias ilegais do filme.


1. Fim do mundo?
O título do filme se refere à data final do 13º b'ak'tun do calendário de Contagem Longa, usado pela civilização maia. Em seu mito de criação, vivemos na quarta "tentativa" de criar o mundo, enquanto a terceira tentativa foi descartada como um fracasso após seu próprio 13º b'ak'tun. Embora os textos maias não contenham tal informação, um mito popular afirmava que o calendário "terminou" naquela data, e certas religiões "previram" um evento apocalíptico por isso. O calendário de contagem longa pode expressar datas de cerca de 3.000 a.C. (sua data para a criação do mundo) a cerca de quarenta octilhões de anos no futuro. É quase impossível expressar essa data de uma forma compreensível.

Os maias insistiram que o mundo não acabaria em 2012. O mito do juízo final moderno foi apoiado por várias razões pseudo científicas para um desastre, incluindo uma mudança dos polos, o "retorno" do Planeta X ou da sinistra contraparte do Sol, Nemesis, um alinhamento galáctico, planetário ou qualquer outro alinhamento celestial, aquecimento global, resfriamento global, uma explosão solar massiva ou uma nova era do gelo. Nenhuma dessas suposições tinha qualquer base científica. Por exemplo, o "alinhamento galáctico" entre o Sol, a Terra e o centro galáctico acontece todo mês de dezembro. O melhor alinhamento foi alcançado na década de 1990 e foi acompanhado por seu próprio conjunto de teorias apocalípticas.

2012


Tem na Netflix, topa ver de novo??

Até mais!


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.