10 coisas que você não sabia sobre 2001: uma odisseia no espaço

2001: uma odisseia no espaço (1968) é uma das grandes obras-primas da sétima arte, ainda que boa parte da audiência boceje com força em algumas partes do longa. Nele uma imponente e misteriosa estrutura alienígena aparece em meio à um grupo de hominíneos, que aprendem a usar ferramentas feitas de ossos. Milhões de anos depois, a nave Discovery é enviada para Júpiter, onde encontrará mais mistérios e uma outra estrutura.


10 coisas que você não sabia sobre 2001: Uma odisseia no espaço




Dirigido por Stanley Kubrick, o longa custou algo em torno de 10.5–12 milhões de dólares, tendo faturado cerca de 140 milhões de dólares em bilheteria, ganhando status de filme cult logo depois e se tornando um dos mais importantes filmes do século XX.


10. Oscar da Academia
O longa tinha 13 indicações para o Oscar, mas levou apenas uma estatueta, de Melhores Efeitos Visuais. O problema é que todo o crédito foi para Kubrick, o que deixou alguns dos técnicos que trabalharam no filme bem putos.


9. Good Morning, Dave
Esta é uma das frases mais mencionadas e associadas ao filme, quando o supercomputador HAL conversa com o astronauta Bowman. O problema é que HAL nunca disse isso.


8. Seguro anti-alien
Na época da produção e lançamento do filme, muitas missões estavam sendo lançadas ao espaço, principalmente pelo programa Mariner, da NASA. Preocupado que a vida alienígena pudesse ser descoberta antes de seu filme chegar aos cinemas, Kubrick tentou conseguir uma apólice de seguro pela Lloyd's, de Londres, para protegê-lo de possíveis perdas caso vida extraterrestre fosse descoberta. Mas a seguradora negou o pedido do diretor.


7. Primatas
A longa sequência de abertura com os primatas no começo do filme foi uma das últimas que Kubrick gravou. Isso porque ele não tinha ideia de como representar os primatas na tela. Ele tentou atores, bailarinos, até mesmo comediantes, antes que topasse com o trabalho de Dan Richter, um mímico que dava aulas em Londres. No início, Richter foi contratado simplesmente para coreografar a cena, mas depois foi convidado por Kubrick a recrutar outros 20 mímicos para interpretar os outros primatas.


6. Maquetes e miniaturas
Kubrick disse que destruiu quase todas maquetes, modelos e miniaturas usadas para fazer o filme. Muitos dizem que o diretor não queriar estragar a ilusão de 2001 para a audiência, porém a maioria acredita que ele fez isso para que 2001 não acabasse como qualquer outro filme de ficção científica, em que seus modelos e miniaturas eram reutilizados em outras produções. Já os alucinados que amam uma conspiração, acham que ele destruiu a mando do Governo dos Estados Unidos depois de "filmar" o pouso na Lua.


5. 1968: uma odisseia ao primeiro tablet
Enquanto Apple e Samsung se estapeiam pelo pioneirismo dos tablets, o primeiro exemplo de um tablet funcional surgiu em 2001, em uma cena em que o astronauta está comendo e lendo alguma notícia da BBC em uma longa tela sensível ao toque. Aliás, uma parte da defesa da Samsung quando ela foi acusada de roubar o design do iPad foi o de passar o trecho de 2001 no tribunal do astronauta comendo e lendo a BBC.


4. HAL 9000
A icônica inteligência artifical a bordo da Discovery era para ter uma personalidade feminina, chamada Athena. Tanto que na sequência de 2001, 2010: o ano em que faremos contato, existe uma versão feminina de HAL, chamada SAL 9000, dublada pela atriz Candice Bergen, inspirada em Athena.


3. Sentinela
Muita gente associa o filme ao livro homônimo de Arthur C. Clarke, porém o longa é baseado em um conto chamado "A Sentinela". Ele foi escrito em 1948 e publicado pela primeira vez na revista The Avon Science Fiction and Fantasy Reader, em 1951. Já o livro derivado do longa foi escrito concomitantemente com o roteiro e publicado logo após o lançamento do filme.


2. O monólito
Um dos feitos mais icônicos do filme foi criado durante a produção por razões puramente práticas. O misterioso monólito preto era, originalmente, um tetraedro translúcido de acrílico. Depois de gastar uma grana pelo tetraedro, Kubrick percebeu que não daria certo e nem ficava muito bom na frente das câmeras. Ele então pediu que seu produtor, Tony Masters, sugerisse outra coisa. Tony então teve a ideia de um retângulo preto para o monólito, o que Kubrick curtiu e aprovou.


1. O sucesso demorou a vir
As reações à estreia de 2001 foram desastrosas. Expectadores em Washington, D.C. e Nova York saíam do cinema confusos, sem entender o que estavam assistindo. Dizem que até Clarke saiu em prantos. Os críticos logo começaram a descascar o melão em cima do longa de Kubrick e parecia bem óbvio para todo mundo que o filme seria um completo desastre. Porém a galera jovem começou a lotar as salas de cinema e a elevar o filme a uma obra de arte. O longa se tornaria o mais rentável em bilheteria de 1968, mas ainda assim foi só em 1992 que ele entrou para a lista do British Film Institut como um dos dez maiores filmes de toda a história.

2001: uma odisseia no espaço



I'M SORRY, DAVE, I'M AFRAID I CAN'T DO THAT


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.