Resenha: Espere até me ver de coroa, de Leah Johnson

Se você procura um livro que dose amor, crítica social e festas de formatura, encontrou! Uma comédia romântica young adult e o primeiro do tipo escolhido para o clube de leitura da atriz Reese Whiterspoon, Espere até me ver de coroa tem alguns aspectos um tanto distantes da nossa realidade, mas compensa no enredo, nos personagens e na fofura.




O livro
Liz Lighty vive em uma cidadezinha no interior do estado de Indiana. Liz ama a música e sua família, mas se sente excluída, muito nerd e muito pobre em comparação às suas amigas. Ela também é uma das poucas alunas negras da escola. Sua esperança de mudar de vida e de ajudar seu irmão, que tem anemia falciforme, é cumprir a promessa que fizera à sua mãe: a de se tornar médica e ingressar em uma cara faculdade privada, frequentada pela elite, a Pennington College. Sua vida quase desaba, porém, quando uma carta da faculdade avisa que ela não conseguiu a tão sonhada bolsa de estudos.

Resenha: Espere até me ver de coroa, de Leah Johnson


E agora? O que fazer? Socorro! Liz se sente perdida, com medo de contar aos avós que ficou sem a bolsa, com medo que eles tenham qeu vender a casa, o único bem da família, para cobrir os custos. Quantos jovens não se sentiriam desesperados em seu lugar? Eu estudei com bolsa de estudos e tinha que ralar para manter minhas notas altas, além de frequência, porque não podia pagar nem 10% dela. Nessa parte me compadeci muito de Liz, pois era uma pressão constante.

Eu nasci realeza. Tudo o que eu precisava fazer era escolher minha coroa.

Mas há uma saída para Liz conseguir o dinheiro que falta para a bolsa de estudos: se ela se tornar a rainha do baile de formatura da escola, uma parte do prêmio é o valor exato que precisa. Esse não é um costume brasileiro, mas lá fora os bailes de formatura são eventos aguardados pelos estudantes dos últimos anos. É praticamente uma passagem para a vida adulta e as festas são badaladas, bem organizadas e concorridas. E na escola de Liz não é diferente.

Só que Liz odeia ser o centro das atenções (entendo bem a situação). Sabemos o quanto a escola pode ser cruel quando você não se encaixa no padrão. Ainda mais nos dias de redes sociais é muito fácil ventilar imagens, ventilar boatos e maldades. Liz se sente acuada, pressionada, mas decide concorrer. E suas amigas embarcam com tudo no projeto, uma delas até demais, monopolizando o visual de Liz, suas interações sociais, seus contatos.

A escrita de Leah é muito gostosa e fácil de acompanhar. A leitura voa na mão e quando você menos espera, o livro acabou. Aliás acho que acabou abruptamente, eu gostaria de ter pelo menos um epílogo para responder a algumas perguntas que ficaram em aberto. Os personagens são bem construídos, até irritantemente, como uma das melhores amigas de Liz. Há também uma amizade que quase foi destruída e depois reatada que senti que merecia um cadinho mais de explicação. Eles reataram muito rápido, sabe? Não ficou nem uma mágoa para trás? Nem há uma conversa entre eles sobre aquilo.

Mas o ponto alto do livro é o romance de Liz com Mack! Mack é uma garota nova e irreverente na escola que também está concorrendo a rainha do baile, ainda que o motivo seja diferente. E elas serão um par romântico pelo qual você vai torcer, vai chorar, vai se emocionar, porque elas se combinam, são fofas e inteligentes, mas as circunstâncais parecem não colaborar para o namoro. Liz por si só já é uma incrível personagem, bem construída, falha e ainda assim perfeita, e quando Mack aparece, é como se fossem almas gêmeas.

O livro tem tudo o que outras comédias românticas têm, bem como livros de young adult, mas o legal é que a forma como a autora apresenta isso é diferente e novo, onde ela recicla os velhos tropos, pois os personagens não são perfeitos, longe disso. Cada um tem sua camada de defeitos e faz bobagens pelo meio do caminho, fala coisas que não devia, arruma treta à toa. Também há preconceito, principalmente homofobia, mas felizmente vinda de uma minoria e não afeta diretamente Liz e Mack. Existem muito mais pessoas a favor das duas do que contra e essas que são contra são caladas rapidamente.

Li o ebook e não o livro físico, e encontrei vários problemas de revisão. Espero que a editora arrume isso. São erros bobinhos, mas que acabam queimando o filme da editora. A tradução ficou na mão de Solaine Chioro e está ótima. O livro também tem várias referências à cultura pop e confesso que não consegui pegar todas. Sei que não sou o público alvo, mas pelo menos umas notinhas de rodapé poderiam ter me ajudado.

Dizem que coisas boas acontecem para quem vai atrás delas.


Ficção e realidade
Acredito que o principal mérito do livro é mostrar que sim, as adversidades existem, pessoas malas existem, mas que superá-las é uma opção. Talvez até um dever, dependendo da situação em que você se encontra. Liz encontra problemas em seu caminho rumo à faculdade, mas ela pode escolher se esconder e tentar sumir ou enfrentar. Sabemos o quanto a adolescência é passional e até assustadora. Tem momentos em que as coisas parecem não ter solução. Mas a forma como vamos enfrentar os problemas diz muito sobre quem somos. Liz precisou sair de sua bolha de proteção, se mostrar ao mundo e enfrentar as pessoas em defesa de seu sonho.

Leah Johnson

Leah Johnson é uma escritora, editora de livros e educadora norte-americana.


Pontos positivos
Liz
Bem escrito
Mack
Pontos negativos
Acaba rápido!
Final em aberto

Título: Espere até me ver de coroa
Título original em inglês: You Should See Me in a Crown
Autora: Leah Johnson
Tradutora: Solaine Chioro
Editora: Globo Alt
Páginas: 336
Ano de lançamento: 2020
Onde comprar: na Amazon!

Avaliação do MS?
Foi uma leitura bem gostosinha e fiquei triste quando acabou. Com certeza lerei mais trabalho de Leah, pois seus personagens são fantásticos! Se você curte livros de young adult, se curte romance ou quer sair da zona de conforto e pegar algo novo, se jogue nessa leitura. Quatro aliens para o livro e uma forte recomendação para você ler também!



Até mais! 👑


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.