10 coisas que você não sabia sobre Congo

Congo completou 25 anos em 2020! E não sei porque o longa de Frank Marshall não ganhou o status de filme cult. Uma equipe se aventura nas florestas do Congo, na África, para levar uma gorila, Amy, de volta para seu habitat e para encontrar a cidade perdida de Zinj. O que eles encontram na mata são mais mistérios sobre o desaparecimento da equipe anterior e gorilas homicidas.


10 coisas que você não sabia sobre Congo!




Dirigido por Frank Marshall, o longa é baseado no livro de mesmo nome escrito por Michael Crichton, lá nos anos 1980. Com um orçamento de 50 milhões de dólares, ele faturou cerca de 150 milhões em bilheteria no mundo todo, mas tem uma pontuação bem baixa em sites especializados.


10. Desenvolvimento complicado
Depois do sucesso de O Primeiro Assalto de Trem (1978), Crichton resolveu escrever um roteiro especificamente para Sean Connery, com um personagem que seguisse o estereótipo do "grande caçador branco", estilo Allan Quatermain. A ideia era prestar uma homenagem às antigas aventuras pulps e Crichton, de fato, vendeu a ideia para a FOX em 1979 sem nem ter o enredo. Porém, quando Crichton soube que não seria possível usar uma gorila de verdade no longa, ele pulou fora do projeto. Vários diretores foram sondados, como Steven Spielberg e John Carpenter, mas eles recusaram a cadeira de direção. Frank Marshall pegou o projeto no começo dos anos 1990 com pouquíssimo envolvimento de Crichton.


9. Gorilas
Inicialmente, Frank Marshall queria usar o trabalho pioneiro de computação gráfica de Jurassic Park (1993) para os gorilas. Entretanto, a tecnologia da época não conseguiria mostrar os pelos dos primatas e ele acabou optando por pessoas vestidas de gorilas, que tiveram aulas de comportamento animal para se locomoverem e agirem como primatas. Eles foram treinados pelo ator Peter Elliott por seis meses. Duas atrizes fizeram a gorila Amy, Lorene Noh e Misty Rosas.


8. Diamantes
Parte da missão da equipe no Congo era o de encontrar a famosa cidade perdida de Zinj, onde estariam as Minas do Rei Salomão, repleta de diamantes. Os diamantes que vemos no longa são cristais de quartzo emprestados da empresa Herkimer Diamond Mines, em Middleville, Nova York. Eram as únicas amostras de quartzo que se assemelhavam a diamantes gigantes. Como tributo à mina, o personagem de Tim Curry se chamava Herkermer Homolka, personagem que não existe no livro original de Crichton.


7. No balão
Na cena final, em que três personagens estão em um balão de ar quente, a personagem de Laura Linney, a cientista Karen Ross, arremessa um grande diamante para fora e ele cai na floresta. Na verdade esse pedaço de quartzo emprestado foi de fato perdido na gravação. A Paramount, distribuidora do filme, teve que pagar para a mina Herkemer o valor da amostra perdida.


6. Vulcão
O grande vulcão que entra em erupção no final do filme é um vulcão ativo na Costa Rica, o Vulcão Arenal. Algumas cenas foram gravadas na região do vulcão Irazú, um vulcão inativo, também na Costa Rica.


5. Os gorilas cinzentos
A equipe de produção teve pouca liberdade para criar o modelo da gorila Amy, mas para os gorilas cinzentos, que não existem na natureza, a equipe de Stan Winston pode abusar da criatividade. O estúdio criou doze modelos totalmente articulados e com roupa completa para os atores. Cada um deles teve características faciais distintas, representando indivíduos únicos, fundindo características de vários primatas já que, no enredo, os habitantes das minas fizeram uma seleção artificial para criar estes gorilas específicos.


4. Mas...
Justamente por esses gorilas não existirem na natureza, a equipe de filmagem ficou preocupada de que eles não convencessem a audiência de serem "autênticos". Assim, as cenas em que eles aparecem são rápidas, com passagens muitas vezes borradas, com corridas em pânico dos personagens humanos sendo perseguidos por eles. Isso desagradou e muito a equipe de Stan Winston que deu um duro danado para criar doze gorilas completos e únicos.


3. Hipopótamos
Ataques de hipopótamos a barcos não é algo incomum em grandes rios da África. No caso da cena em que a equipe é atacada à noite, um animatronic de 2,5 toneladas de um hipopótamo foi utilizada, controlada à distância. Uma pessoa controlava a cabeça e o pescoço, enquanto uma equipe realizava os movimentos das orelhas, focinho e olhos. O corpo era inteiro de fibra de carbono com uma pele de silicone. A cena foi pensada para ser à noite justamente para não se ver muitos detalhes do animatronic.


2. Videogame
Um videogame baseado no longa foi lançado em 1996, Congo the Movie: The Lost City of Zinj. Um outro game para Nintendo foi desenvolvido, mas o projeto foi abandonado pouco depois. Um outro game de aventura foi lançado para PC e Macintosh, chamado Congo The Movie: Descent Into Zinj.


1. O grande caçador branco
Um dos personagens principais de Congo, aquele que Crichton queria que fosse para Sean Connery, ficou com o veterano ator Ernie Hudson (que interpreta o Winston de Caça-Fantasmas). Ernie disse que, pessoalmente, o capitão Munroe Kelly é o personagem favorito de sua carreira.


Bora lá assistir? Tem no Amazon Prime!

Congo


Até mais! 🍸


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

1 Comentário

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.