Resenha: A Sonata Perfeita, de Rose Tremain

Como disse Kate Kellaway, para o The Guardian, este é um livro perfeito sobre a imperfeição. O enredo se passa na Suíça, um pouco antes, durante a Segunda Guerra Mundial e nos anos seguintes ao conflito e nos mostra os traços imperfeitos de personalidade que acabam por levar a infelicidades, desencontros e tragédias. Prepare os seus lencinhos!





Parceria Momentum Saga e
editora DarkSide



O livro
Gustav Perle é um garotinho solitário que mora com sua mãe em um pequeno apartamento. Sua mãe trabalha na fábrica de queijos e se tem uma coisa que Gustav sabe é que ele ama a sua mãe profundamente. Ainda que ela seja fria e exija autocontrole do filho o tempo todo, Gustav sabe que a ama mais que tudo na vida. Mas sua mãe, Emilie, que ele chama de Muttie, não tem afeto nenhum pelo filho. Ela é uma mulher amargurada, endurecida pelas circunstâncias da vida e por não ter tido a vida de luxo que queria ter tido. Gustav não sabe o que é ser pego no colo ou ouvir palavras carinhosas da parte dela. Tudo o que ele aprende é sobre autocontrole e como seu pai foi um herói.

Resenha: A sonata perfeita, de Rose Tremain


Gustav faz amizade com um garotinho novo na escola, vindo de uma família judia, chamado Anton Zweibel, por quem sua mãe, Muttie, nutre uma profunda antipatia. Gustav é só uma criança e não entende porque não pode ter amizade com o menino, mas sua mãe diz que ele não deveria se misturar com os judeus, pois foram eles os responsáveis pela queda de seu pai, que envergonhou a família. Na verdade seu pai foi um herói, pois salvou muitas famílias de serem deportadas pelos nazistas, mas Gustav não entende isso.

Talvez você esteja pronta, Muttie, mas eu não estou. Tem uma coisa que eu sempre achei que poderia lhe ensinar, que é como me amar. Mas eu nunca consegui, não é?

Página 210

Existem muitos assuntos em A sonata perfeita. Amores não correspondidos, abuso, desencontros, desencantos, amizades duradouras, traição. A autora criou um enredo sensível e tocante dentro de eventos reais da Segunda Guerra. É difícil não se sensibilizar com o desenrolar de tantas emoções conflitantes e infortúnios que se abatem sobre os personagens. Além do relacionamento de Gustav com sua mãe, tem sua amizade com Anton, também baseada em amor e decepções como em quase todos os relacionamentos de sua vida. Anton está destinado a ser um grande pianista e sua família se esforça para que isso aconteça, mas a ansiedade e o nervosismo impedem que Anton siga seu sonho.

Conforme acompanhamos o crescimento dos garotos, Rose por vezes nos joga no passado, no momento em que os pais de Gustav se conheceram e em como ele começa a permitir a entrada de judeus na Suíça de maneira ilegal. Novamente, muitas emoções conflitantes, muitos desejos reprimidos, muitas promessas não cumpridas e traições permeiam as páginas. Há momentos sufocantes em que você percebe que os personagens estão quase se curvando sob o peso de tantos sentimentos e simplesmente não sabem lidar com eles. Você se sente sufocada com a quantidade de sensações e acaba se compadecendo até por personagens intragáveis, como Muttie. É difícil suas emoções não acabarem mexidas. O que Gustav não pode sentir, nós sentimos por ele.

Outra personagem de destaque, que acaba sendo importante para a vida de Gustav é Lottie, que conheceu seus pais no passado e consegue clarear um pouco as ideias de Gustav e o faz compreender melhor, principalmente seu pai. Novamente, emoções, muitas, lotadas, pesadas, como nuvens de tempestade. Acho que uma palavra boa para descrever como os personagens se encontram nesse livro é saturados. Estão saturados da vida e do que ela acabou fazendo com eles. Saturados do passado que deixou tantas marcas no presente de cada um.

Acompanhamos Gustav e Anton desde criança até seus 50, 60 anos. A amizade perdurou entre eles, bem como as mágoas e os amores não correspondidos. Gustav se mantém autocontrolado, tal como foi ensinado por Muttie, pessoa que permanece em sua vida como uma figura distante. Anton, por sua vez, ainda tem sonhos de grandeza, de se apresentar em grandes palcos, bebendo o sucesso de seus ex-alunos, extravasando emoções que Gustav às vezes não consegue suportar. É uma dinâmica complexa, pois muitas vezes o sucesso de Anton é a tristeza de Gustav e essa ambiguidade vai permear uma boa parte da relação deles.

A edição da DarkSide está lindíssima, em capa dura, com um lindo trabalho gráfico interno. Fitinha marca página azul e um posfácio da autora contando de onde veio a ideia para o livro, que foi um conto escrito em 2007 que a autora aumentou e melhor elaborou para o romance que temos em mãos. A tradução de Bruna Miranda está ótima e não encontrei problemas de revisão ou tradução no livro.

Ter passado a vida inteira nessa cidade comum agora lhe parecia como um reflexo miserável de quem era - tão isento de um espírito de aventura, tão medroso de ir para algum outro lugar, onde se sentiria perdido e onde nunca estivera, ou nunca quisera estar, algo além das ruas e quarteirões que conhecia.

Página 221


Ficção e realidade
A Suíça se manteve netra durante os conflitos durante a Segunda Guerra Mundial. Por isso ela foi um destino pensando por muitas famílias judias fugindo da perseguiação nazista em seus países de origem. Mas depois de um tempo recebendo refugiados e lhes direcionando para cidades e empregos, o país passou a negá-los, temendo que acabassem com uma população numerosa e desempregada, uma postura bastante semelhante ao momento atual, onde refugiados vindos do Oriente Médio encontram portas fechadas em vários países europeus.

Rose Tremain


Dame Rose Tremain é uma escritora britância ganhadora de vários prêmios literários. Foi reitora da Universidade de East Anglia.


Pontos positivos
Gustav
Anton
Bem escrito e pesquisado
Pontos negativos

Abuso infantil e violência

Título: A Sonata Perfeita
Título original em inglês: The Gustav Sonata
Autora: Rose Tremain
Tradutora: Bruna Miranda
Editora: DarkSide (selo DarkLove)
Páginas: 272
Ano de lançamento: 2020
Onde comprar: na Amazon ou na loja da DarkSide com um brinde exclusivo!


Avaliação do MS?
Nem preciso dizer que você DEVE, você TEM que ler este livro. É uma história bonita, apesar de tanta tristeza que acomete Anton e Gustav, mas ao mesmo tempo você não consegue parar de ler. Se você gosta de romances emotivos e tocantes, com certeza vai chegar ao final em lágrimas, como eu cheguei. Tenha consciência de que há cenas de abuso infantil e violência no livro, ok? Cinco aliens para o livro e uma forte recomendação para você ler também!



Até mais!



Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

1 Comentário

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.