Onde eu escrevo?

Já me perguntaram algumas vezes o que eu uso para escrever. Qual software? Com que frequência? Indico algum? Existem muitos apps e softwares para escrever por aí e acredite, já testei vários. Vamos bater um papo sobre ferramentas de escrita.


Onde eu escrevo?




Eu comecei a escrever da maneira mais básica e e com a qual praticamente todo escritor começa, escrevendo à mão num bom e velho caderno. Comecei a escrever ainda na adolescência e usava o final dos meus cadernos das matérias, já que sempre sobrava folhas e gastava as canetas com as mirabolantes invenções da minha cabeça. Foi apenas em 1994 que o primeiro computador chegou em casa, um IBM Aptiva 486. Uma carroça para os dias de hoje, mas que na época foi essencial. Escrevi muito nesse computador (e joguei tudo fora depois).

Existem muitos programas hoje para ajudar os escritores a escrever. De editores complexos de texto a apps de anotações e repositórios de ideias. Alguns deles possuem um modo de foco que elimina as distrações da tela e deixa apenas a folha livre. Outros possuem barulho de fundo de chuva, cafeteria, praia e por aí vai. Acho que a questão é encontrar aquele com o qual você vai se sentir mais confortável.

Um dos mais conhecidos é o Scrivener e conheço muitos escritores que o usam. Infelimente, para obter todas as funções, é preciso desembolsar uma grana em dólares e sabemos que ele está num valor impraticável para a maioria. Quem aproveitou antes, muito que bem, mas hoje não há condições. Devo dizer que eu testei o Scrivener e gostei de muitas funcionalidades dele. É um programa realmente muito prático e você exporta o arquivo do livro de maneira bem fácio. Mas para mim não rolou.

Já experimentei o OmmWriter, que é bem minimalista, bem focado, mas na época não gostei da forma como ele salvava os arquivos. Não sei se ele mudou, porque não voltei a usar, mas para quem gosta de um visual sem distrações, vai curtir esse estilo. Existem outros como ele, mas uma ressalva ao OmmWriter e até no Scrivener é o idioma. O escritor que não é fluente em inglês vai ter problemas em pegar usar as ferramentas.

Mas e aí, eu escrevo em qual programa? Uso o bom e velho Word. Quando é necessário uso muito os documentos do Google, até porque posso acessar de qualquer lugar. Mas no meu computador, no conforto do meu próprio notebook, meu programa preferido continua sendo o Word. Nele já estão gravados todos os meus erros de digitação, todas as minhas manias e atalhos que não consegui replicar em outros programas. Na hora de bater travessão não preciso de nenhum código complicado, pois já salvei o atalho. Esse é um conforto que nenhum outro programa me deu.

Uma funcionalidade legal do Scrivener é o fato de você guardar junto do arquivo do livro as várias informações de pesquisa, fichas de personagens, descrição de lugares e tudo o mais que você pesquisou e precisa consultar de vez em quando enquanto escreve. O que uso para substituir essa função é o OneDrive, também do pacote do Office. Para cada projeto novo eu tenho um caderno onde faço colagens, anotações, descrições, inspirações e tudo o mais que preciso. Como ele está sempre aberto, posso acessar as informações a qualquer momento. E ele tem uma função de cpaturar da internet o que eu preciso, igual à ferramente Webclip do Evernote. Achei algo que eu preciso para uma nova história, recorto e colo no Onedrive com um clique.

Eu também uso o Evernote, mas ele acaba sendo um repositório de textos para o blog e outras funcionalidades como um Control Journal para controle da casa, caderno de receitas entre outros. Já o OneDrive serve exclusivamente para a escrita. Prefiro não misturar as duas coisas e tem funcionado muito bem para mim. Acho que esse o ponto mais importante: encontre o que funciona para você. Tem muitas ferramentas, mas se você se sente confortável usando um determinado programa, siga usando esse e seja feliz. O que importa é escrever!

Até mais! 📃

Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

3 COMENTÁRIOS

  1. EU uso o BR Office, que é basicamente a mesma coisa e o Google Drive com uma pasta para cada projeto para salvar na nuvem e poder continuar um PC fora de casa quando possível. As distrações quando se escreve (acho que vale para a leitura e qualquer outra atividade parecida) são um problema que eu tento resolver, tentando fazer em qualquer lugar, sem muita cerimonia ou preparação porque senão ficamos meio que dependente dessa preparação para poder escrever/ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso de não fazer cerimônia para escrever e não ficar dependente é uma boa sacada!

      Excluir
  2. Aqui eu utilizo o Google Docs (para escrever os textos em si) em conjunto com o Google Keep (para fazer anotações). As vezes me dá vontade de usar algum programa à parte mais focado, as vezes até tento escrever com papel e caneta, mas os testes que fiz não me empolgaram muito.

    Eu sempre tive curiosidade sobre o Scrivener, mas o dólar alto enterrou essa curiosidade beeem fundo!

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.