Resenha: Dama da Névoa, de Laura Sebastian

Quando terminei o primeiro livro dessa trilogia, Princesa das Cinzas, eu fiquei bem indecisa sobre ter gostado ou não. Gostei de muitas coisas que a autora colocou no enredo, mas em outros casos senti que a autora se segurava para não entregar o enredo todo porque mais livros virão depois dele. Infelizmente, senti a mesma coisa em Dama da Névoa.

Pode ter spoilers do primeiro livro!




O livro
Continuamos quase que imediatamente depois do final do primeiro livro. Theodosia, ou Thora como alguns a chamam, está à bordo do navio pirata Fumaça. Muitas coisas mudaram em pouco tempo e a vida de Thora parece navegar seguindo os desejos dos outros. Ela é a rainha de um país invadido, expulsa de sua ilha e sem um exército para retomar o que é seu por direito. O que fazer? Para onde ir? Não é de se admirar que ela esteja desanimada.

Resenha: Dama da Névoa, de Laura Sebastian


Quando tinha 6 anos, Theodosia viu sua mãe, a Rainha do Fogo, ser morta pelo kaiser, soberano da Kalováxia, um país conquistador e invasor de várias terras. Ele a manteve prisioneira e manipulando-a por 10 anos, até que a corou como Princesa das Cinzas. O kaiser continua sendo uma força sobre sua vida, que agora corre perigo, já que ele a quer destruída e sem aliados. Sabendo que precisa reconquistar seu país, Thora dá ouvidos à sua tia, que sugeriu um casamento com um soberano rico, capaz de lhe conceder exércitos para reconquistar Astrea.

A esperança é contagiosa. Quando se tem o suficiente, ela se espalha naturalmente.


O meu grande problema com os livros da Laura Sebastian é que a autora parece nunca chegar onde realmente quer. Não sei se é uma característica da autora, do livro ou se foi o trabalho de edição que pediu que ela enchesse linguiça para preencher o espaço de três livros. Sem dúvida tem coisas muito bacanas em sua obra. Por exemplo, Astrea é um matriarcado. Não existem reis, apenas rainhas, que escolhe alguém para ser pai de sua filha, que será a futura soberana. A população de Astrea não é branca, tem menos preconceitos e se utilizam de magia, enquanto os kalovaxianos têm a pele e olhos claros, são bastante agressivos e querem utilizar a magia para seus próprios fins.

Muitos dos personagens estão bem construídos e são dignos de se acompanhar, como Artemísia, de longe a melhor do livro, melhor até que a protagonista, enquanto isso tem outros que me pareceram absolutamente iguais, pois a voz, o jeito de falar e os dilemas parecem os mesmos. Para que ter tantos personagens se eles serão todos iguais? A autora apostou em personagens diversos, poderosos, mas pecou na forma como eles falam e agem, pois me pareceram iguais. E a tentativa de fazer um triângulo amoroso ali simplesmente não funcionou. Está sem graça, insípido, mal construído e toda vez que surgia eu meio que fazia leitura dinâmica.

Nem vou entrar na discussão do quanto Thora é boba a ponto de ser infantil, como quando ela vê um elevador e acha que vai ser emboscada pelas forças do kaiser. Pelamor, sabe? A garota soube lidar com pessoas perigosas por 10 anos, tem uma família astuta e conseguiu escapar das forças do kaiser, mas vê um elevador e pira? Tudo bem ela ser inocente para uma série de coisas, mas foi demais. Acho que é mais um problema de edição do que da autora.

Ainda assim, o livro aborda temas interessantes, como a presença de campos de refugiados, tema urgente e presente na mídia e uma realidade para milhares de pessoas. Sta'Crivero, a nação que concordou em receber Thora, vive no luxo e na opulência exagerada, enquanto os refugiados não têm nem o que comer. Thora se compadece, mas também está de mãos atadas, sem poder para interferir. Ela vive um dilema: se casar e perder as características de sua terra natal, ou perder a chance de libertar seu povo da opressão?

O livro vai morno até bem perto do final quando, de repente, do nada, a autora resolve mostrar a que veio. Foi bem no finalzinho mesmo, dando uma reviravolta que vai acabar colocando Thora na presença de uma pessoa importante para sua vida e que tem destaque no primeiro livro. Isso me irritou muito, pois a autora tem poder de cativar e prender as leitoras, mas só escolheu fazer isso perto do final. Aí você fica naquela, leio ou não leio o próximo, Ember Queen?

Os segundos livros de trilogias costumam sofrer do mesmo problema: parecem uma grande encheção de linguiça. Esse aqui não foi muito diferente. O miolo, onde todos os eventos em Sta'Crivero acontecem, poderia ter sido muito, muito menor, mais sucinto, mais direto e o terceiro ato do livro, que de fato importa, poderia ter se estendido. Mas de novo, me parece a autora ou sua editora seguraram o enredo para jogar tudo no terceiro livro.

Li o ebook então não posso falar da edição física, mas o livro está bem traduzido por Raquel Zambil. Não encontrei problemas de revisão ou diagramação nele.

– Ela é tudo que você pensou que seria? A liberdade?



Ficção e realidade
É bem interessante tratar de guerra, ocupação e refugiados em um livro para jovens adultos. A autora conseguiu falar das desigualdades, das dificuldades dos sobreviventes, da destruição causada por forças invasoras e as consequências dessa invasão. Se no primeiro livro nós ficamos presas no palácio de Astrea junto de Thora, agora ela vai ver o mundo e perceber que a situação é bem mais grave do que achava antes.

Acho inclusive que a autora falou pouco sobre o assunto, ela poderia ter até explorado mais. Porém, a parte dos refugiados, foi bem elaborada. Ela fala das dificuldades do campo, de como pessoas de várias nações acabaram fazendo do campo um lar a contragosto, como a vida é difícil e insalubre em locais como esse. Espero que ela consiga expandir isso num próximo livro.

Laura Sebastian

Laura Sebastian é formada em Arte e Design. Nasceu na Flórida, mas mora em Nova York, onde trabalha, escreve e passeia com seu cachorro, Neville. Princesa das Cinzas é seu livro de estreia.

Pontos positivos
Universo
Prinz Søren

Pontos negativos
Mal desenvolvido
Personagens rasos
Final em aberto

Título: Dama da Névoa
Título original em inglês: Lady Smoke
Trilogia Princesa das Cinzas
1. Princesa das Cinzas
2. Dama da Névoa
3. Ember Queen
Autora: Laura Sebastian
Tradutora: Raquel Zambil
Editora: Arqueiro
Páginas: 400
Ano de lançamento: 2020
Onde comprar: Amazon


Avaliação do MS?
Não foi uma leitura de todo ruim. Fiquei compadecida da situação de Theodosia e acho que o final acabou deixando um gancho para o próximo livro. Já aconteceu de uma trilogia melhorar do segundo livro em diante, então é possível que eu dê uma chance à Laura e seu mundo, torcendo para as coisas se acertarem no próximo volume e que ela não cometa os mesmos erros deste aqui. Não vou ler em inglês, posso esperar pela tradução tranquilamente. Três aliens.


Até mais!


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.