Resenha: Vitorianas Macabras, de Marcia Heloisa (org.)

Tive a grande oportunidade de ler este livro antes do lançamento, então eu já estava agitando a obra por aí desde o anúncio da publicação. Esta coletânea traz 13 autoras vitorianas que escreveram, entre outras coisas, no gênero do terror. Algumas são bem conhecidas do público, outras ganharam sua primeira tradução no Brasil!



Parceria Momentum Saga e
editora DarkSide


O livro
Quando se fala de Era vitoriana, uma coisa que se costuma associar com o período é a intensa dedicação e admiração pelos rituais de morte. Fala-se também das inovações tecnológicas, da literatura, do pudor e do medo de um século novo que se avizinhava, do conservadorismo gritante e da repressão. Mas algumas coisas sempre ficam de fora nessas análises como o papel da Nova Mulher, o movimento sufragista, as intensas mudanças políticas e sociais que vinham acontecendo e, principalmente, o papel da mulher na literatura.

Resenha: Vitorianas Macabras, de Marcia Heloisa (org.)

Essas mulheres conseguiram um feito que hoje em dia poucas escritoras conseguem, que é o de viver de sua produção literária. Em muitos casos, elas eram o arrimo da família e foi na literatura, nas revistas literárias, nas editoras, que elas conseguiram um espaço, trabalhando em suas máquinas de escrever, martelando as teclas pelas madrugadas, enquanto cuidavam da casa, do marido, dos filhos.

Este volume busca reparar uma injustiça histórica, trazendo para os leitores brasileiros um pouco da vida e obra de treze mulheres que prestaram uma contribuição extraordinária à literatura. Mulheres que desafiaram as convenções, batalharam contra todo tipo de adversidade e combateram os mais arraigados preconceitos, ditames do patriarcado, lutaram por independência e autonomia e se dedicaram à arte - sim, a arte: viva, pulsante, necessária, insubstituível.

Página 20

A Era vitoriana tem esse nome por conta da figura poderosa da rainha Vitória, aquela que personifica a essência do período. Mergulhada no luto depois da morte do marido, Vitória acabou se tornando a própria era em que vivia. A sombra do marido lhe serviu como uma proteção contra as responsabilidades reais. Por mais que Vitória fosse uma mulher poderosa no comando de uma nação, ela também tinha sua própria parcela de conservadorismo, como ser contra o movimento sufragista e apoiar a separação de gêneros, achando abominável uma mulher se interessar pela política. Lugar de mulher, para a rainha, era em casa, com marido e filhos, levando uma vida doméstica, que a própria Vitória odiava.

Os contos acabam refletindo muito da mística do período. Em vários deles, o protagonista é um homem atormentado, sem fugir muito do que se lia e se pedia na época. Em outros, as autoras focam em um ambiente majoritariamente feminino, com mulheres desafiando as convenções da época e sendo protagonistas de suas próprias histórias. Mas uma coisa é inegável: elas quebraram convenções para a época em que viviam, escreveram contos de terror que se tornaram clássicos e mereciam essa edição de Vitorianas Macabras.

Como muitas dessas autoras são inéditas ao público brasileiro, no começo de cada conto há uma reprodução de uma imagem da autora com um toque macabro que é bem legal de procurar e observar. Há uma pequena biografia sobre ela e na página seguinte a apresentação do conto. Os contos possuem tamanhos variados, não vão agradar em sua totalidade, mas já tenho alguns preferidos, como Mortos em Mármore, de Edith Nesbit (conhecida por suas histórias infantis), O Mistério do Elevador, de Louisa Baldwin, O Conto da Velha Ama, de Elizabeth Gaskell e A Sombra da Morte, de Mary Braddon.

Mas não pense que acabou! A edição ainda conta com extras que a tornam muito mais especial. Depois de se deliciar com os contos, temos uma expansão da biografia da rainha Vitória, com peculiaridades de sua vida e comportamento. Em seguida temos um Guia Vitoriano de Londres, com as bizarrices da capital inglesa. Depois tem o Cine Macabra, com posteres de filmes que refletem ou que se passam no período vitoriano. Por fim, o Álbum de Família, com reproduções de fotos típicas da época, com um apanhado geral de seu significado. É um livro completo!

A edição vem em capa dura vermelha e macia ao toque, pintura preta trilateral e a famosa fitinha marcadora de páginas com o logo do selo Macabra. O trabalho gráfico interno está espetacular, com reproduções de imagens vitorianas, roupas, artes, marcas e padronagens. Está recheado de ilustrações bem caprichadas, abusando das cores. Os contos estão bem traduzidos por Marcia Heloisa e a edição está bem revisada.

Existem pessoas que não acreditam em fantasmas. A bem da verdade, existem pessoas que não acreditam em nada.

Página 43


Ficção e realidade
Apesar de conhecer algumas características da era vitoriana e saber sobre a rainha e tudo mais, admito que a edição me ensinou bastante sobre a mentalidade da época. Nunca foi uma era e um momento histórico que me cativassem, mas os contos e, principalmente, a introdução, me fizeram ter um novo olhar a respeito. Quem sabe não te cativa também??

Vitorianas Macabras

Marcia Heloisa é doutora em literatura, tradutora e pesquisadora do gênero de horror.


Pontos positivos
Autoras vitorianas
Extras
Trabalho gráfico
Pontos negativos

Preço


Título: Vitorianas Macabras
Autoras: Charlotte Brontë, Elizabeth Gaskell, Charlotte Riddell, Edith Nesbit, Violet Hunt, Vernon Lee, May Sinclair, Margaret Oliphant, Mary Elizabeth Braddon, H. D. Everett, Rhoda Broughton, Louisa Baldwin e Amelia Edwards
Tradutora e organizadora: Marcia Heloisa
Editora: DarkSide (selo Macabra)
Ano: 2020
Páginas: 384
Onde comprar: na Amazon ou na loja da DarkSide com brinde exclusivo!


Avaliação do MS?
Não só é uma coletânea de contos de terror como também é uma homenagem ao trabalho dessas mulheres, um reconhecimento histórico, já que muitos desses nomes caíram no esquecimento e no ostracismo após suas mortes. Agora elas estão eternizadas em uma edição definitiva e merecida. Espero que você curta tanto quanto eu curti! Cinco aliens para as vitorianas e uma forte recomendação para você ler também!


Até mais! ☠


Leia também:
Rainha Vitória: A mais macabra das vitorianas - DarkBlog


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.