Resenha: Ascensão, de Stephen King

Admito que não sou uma grande leitora de Stephen King, apesar de gostar muito dos livros de um dos filhos dele, Joe Hill, que já tem algumas resenhas aqui pelo blog. Mas Ascensão é um livro que me enganou. Comecei lendo com certo desgosto, porque outros livros de King não funcionaram comigo e no fim foi uma leitura bastante agradável. Uma pena ele ser tão curtinho!



Parceria Momentum Saga e
Editora Suma


O livro
Scott Carey se divorciou não faz muito tempo. Trabalha em casa, tem um gato chamado Bill, mora na tranquila e pequena Castle Rock. Se você lê King, já sabe qual é, certo? Só que Scott está com um problema sério e por isso vai fazer uma visitinha a um velho amigo, o médico aposentado Dr. Ellis. Quando Ellis abre a porta, percebe que Scott está muito agitado. Conversa vai, conversa vem e Scott comenta que está perdendo peso, ainda que isso não pareça evidente. Mesmo depois de ir ao médico, fazer exames, tem algo acontecendo, algo inexplicável.

Resenha: Ascensão, de Stephen King

Mesmo usando 2kg de moedas nos bolsos, um casaco pesado, sapatos, calça jeans, a balança continua dizendo que ele está perdendo peso. Mas não parece. É como se seu corpo estivesse perdendo a substância, mantendo apenas uma casca leve por fora. Se continuar nesse ritmo, Scott vai ter sérios problemas. Ellis promete que vai tentar ajudá-lo, mas o que ele pode fazer?

Pode parecer um enredo semelhante a outro livro de King, A Maldição do Cigano, que inclusive ganhou uma versão para o cinema, mas a perda de peso e o teor da história são gritantemente diferentes. Aqui não há uma maldição cigana sobre o pobre coitado do Scott. Aliás, nem há explicação para a perda de peso dele. Sem contar que quem olhar para Scott não vai perceber nenhuma mudança em seu corpo, enquanto em A Maldição do Cigano (depois relançado como A Maldição), é bem visível que ele está emagrecendo.

Sem querer virar um rato de laboratório nas mãos dos médicos, Scott decide viver sua vida. Ele está com um problema com as vizinhas, pois os cachorros delas usam seu gramado como banheiro enquanto elas correm de manhã. Scott foi educado, tentou conversar, mas não obteve resultados. As vizinhas são um casal e obviamente que a vizinhança conservadora da pequena cidade olha torto para as duas e Scott acha tudo uma grande babaquice.

O que parece ser uma improvável amizade vai acabar girando ao redor da perda de peso de Scott. Em alguns dias ele perde mais, outras perde menos, mas ele está definhando. O que eu acho mais incrível da prosa de King é como ele é capaz de pegar pessoas e circunstância normais e colocar um evento extraordinário no meio. Se você tirar a surpreendente perda de peso do protagonista, é uma história sobre enfrentar as injustiças e o preconceito e sobre ser uma pessoa melhor para si e para os outros.

Uma reclamação que já fiz e vi outras pessoas fazendo ao King é que seus livros, em especial os mais antigos, têm sérios problemas com a representação feminina. Felizmente, neste aqui, as personagens que compõem o casal estão bem representadas, com suas virtudes, seus defeitos e o desejo de viver suas vidas sem chateação e perseguição. Podemos achar que há algum complexo de salvador da pátria em Scott, mas não é esse o teor da história.

A edição da Suma é caprichada, com capa dura e papel amarelinho. As ilustrações são de Mark Edward Geyer e estão no começo de cada capítulo. A tradução de Regiane Winarski está perfeita e o livro não tem problemas de revisão ou tradução. É realmente uma pena ele ser tão curtinho, mas está perfeito.

O ontem já foi, o amanhã talvez não venha.

Página 60


Ficção e realidade
Esse é um enredo sobre o significado de nossas vidas. O que nos mantém apegados ao que temos? Quais são nossos laços e quem está na outra ponta? Será que nossos problemas são tão grandes assim? Não é que nossos problemas não tenham importância, é que a gente precisa olhar para o lado de fez em quando e quem sabe, ao ajudar os outros com seus problemas, os nossos podem ser também solucionados. Acabou sendo uma leitura muito gostosa, por vezes melancólica e também bastante reflexiva.

Stephen King
Stephen King

Stephen King é o mestre do terror e do suspense.


Pontos positivos
Enredo
Scott
A corrida
Pontos negativos

Acaba rápido!

Título: Ascensão
Título original em inglês: Elevation
Autor: Stephen King
Ilustrações: Mark Edward Geyer
Tradutora: Regiane Winarski
Editora: Suma
Páginas: 144
Ano de lançamento: 2019
Onde comprar: Amazon

Avaliação do MS?
Fiquei muito feliz de ter gostado tanto desse livro. Foi uma leitura leve, mas ao mesmo tempo reflexiva, capaz de dar aquela marejada nos olhos. É um ótimo livro para quem quer começar a ler King, mas não sabe bem por onde e tem medo de enfrentar um calhamaço. Quatro aliens para o livro e uma forte recomendação para você ler também.

MUITO BOM!

Até mais!

Se é assim que é morrer, todo mundo deveria ficar feliz de partir.

Página 84

Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.