Resenha: Changeling, de Victor LaValle

O multipremiado Changeling chegou ao Brasil pelas caprichosas mãos da Editora Morro Branco. Victor LaValle é um grande contador de histórias e neste novo livro ele traz uma história sobre magia, paternidade, insegurança, discussões sobre racismo e preconceito e a arte de contar histórias.



Parceria Momentum Saga e
Editora Morro Branco


O livro
Apollo Kagwa é nosso protagonista e encontrou na literatura um lugar seguro e, posteriormente, sua fonte de renda, negociando livros raros pela internet. Foi criado pela mãe depois que seu pai simplesmente desapareceu - que narrativa familiar né? - e depois de muita luta constituiu sua própria família com Emma. Algo que se deve dizer sobre o livro logo de cara é suas mulheres. Gostei da forma como foram construídas. São muito humanas, são pessoas que você certamente conhece por aí, podendo esbarrar com alguma no corredor. Até achei as mulheres mais bem construídas do que o próprio Apollo que por vezes me pareceu meio vazio.

Resenha: Changeling, de Victor LaValle

Resenhas anteriores desse livro, especialmente na gringa, o descrevem como sendo um conto de fadas urbano e moderno e é a descrição exata. É ainda mais elaborado do que um conto de fadas comum. Imigrantes, a família Kagwa vive em Manhattan. Lilian conhece Brian, eles se casam e um dia Brian desaparece sem qualquer explicação. Apollo cresceu sob a tutela da mãe que trabalha muito para manter a família e vivendo em meio a livros e revistas, Apollo começa um negócio de venda e compra de livros. Ele vasculha vendas de garagem, porões empoeirados, sempre em busca de raridades.

Esse começo sobre a família de Apollo, o nascimento de seu filho, constitui uma parte bem real e contemporânea do livro. A paternidade é sem dúvida um dos pontos altos da obra, afinal Apollo vem de um lar com pai ausente e seu medo de não estar presente para o seu próprio bebê, que vem ao mundo de maneira tão pouco convencional, é algo palpável.

Em meio à essa nova vida com um bebê em casa, sua esposa começa a ter comportamentos estranhos, condizentes com depressão pós-parto, mas há algo mais na situação de Emma e há algo mais pairando ao redor do casal. Achei bastante salutar o autor conversar com os homens e seus comportamentos referentes à paternidade. Enquanto na vida real muitos homens abandonam suas esposas e filhos, mesmo que nem estejam doentes, Apollo não os abandona e vai enfrentar seres fantásticos para estar com eles.

É também um livro sobre... bem, livros! Mais especificamente sobre contar histórias. Seja pelas páginas impressas, seja pelas histórias que os personagens têm para contar, cada um é como um livro em si. Nós somos livros vivos, não somos? Os personagens também são. Existe uma preocupação em manter as histórias vivas, de que elas não se percam no tempo. Emma, inclusive, esteve no Brasil e conta sua experiência a Apollo! Tecnologia, mídias sociais e seres fantásticos estão todos bem entrelaçados na trama de Changeling.

Acho que o problema é que eu não sou muito fã de realismo mágico ou livros que contenham muita magia e poucas explicações. O livro é certamente muito bem escrito e Victor é criativo e os prêmios são mais do que merecidos. A parte que mais me interessou no livro foi justamente aquela em que há explicações, a história da família de Apollo e um pé firme na realidade. Quando as coisas mágicas apareceram, confesso que deu uma certa preguicinha, até porque achei o livro desnecessariamente longo. Meu interesse acabou se perdendo no meio dos eventos fantásticos e chegou uma hora em que não aguentava mais virar as páginas.

O livro está muito bem traduzido pelo Petê Rissatti, bem diagramado e revisado, com alguns erros como letras não batidas, que não chegam a atrapalhar a leitura.


Ficção e realidade
Existem preocupações muito reais neste livro. Pais e mães que expõem demais seus filhos na internet, por exemplo, sem saber que tipo de gente pode estar do outro lado vendo e salvando fotos e informações. Questões raciais, afinal Apollo e sua família são negros e há momentos de racismo quando ele é proibido de entrar em determinados lugares ou é parado e questionado pela polícia apenas pela cor de sua pele. O livro trata de todos aqueles momentos mágicos e sombrios que passam por nós no dia a dia e que às vezes não damos atenção. E ninguém garante que no final teremos um "felizes para sempre".

Victor Lavalle

Victor Lavalle é escritor de contos, novelas e romances, escrevendo para várias revistas. Nascido e criado no Queens, em Nova York, hoje é professor da Universidade Columbia.

Pontos positivos
Protagonista
Paternidade

Pontos negativos
Pode ser meio lento
Demora a empolgar
Longo demais

Título: Changeling, Sombras de Nova York
Título original em inglês: Changeling
Autor: Victor Lavalle
Tradutores: Petê Rissatti
Editora: Morro Branco
Páginas: 560
Ano de lançamento: 2019
Onde comprar: na Amazon!


Avaliação do MS?
É um livro bom, sem dúvida. Só não consegui entrar de verdade na história, nem gostar tanto do enredo quanto achei que gostaria. É uma obra bem escrita e que trabalha com vários temas importantes, mas consegui gostar mesmo do livro só até perto da metade. Dali em diante comecei a ler no automático. Mas não quer dizer que o livro não vai funcionar para você. Três estrelas para Changeling.


Até mais!


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

1 Comentário

  1. Oi!
    Quando finalizei a leitura demorei um pouco pra absorver tudo, ao final conclui que realmente o livro é mais longo do que deveria, acredito que alguns atos nem deveriam existir, mas ao final, curti muito toda a "bagunça" que o autor fez. Mas a crítica que mais achei interessante além do racismo e o consumo exagerado da tecnologia e exposição. Achei fantástico!
    Beijos Joi

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.