Resenha: Eu era um pastor alemão, de Murilo Martins

Nosso intrépido Pastor Alemão, o cão mais palestrinha dos pastos, está de volta! Depois do final bombástico do quadrinho anterior, nosso valente cão retorna em uma aventura mais robusta, enfrentando perigos ao redor da fazenda, fazendo novas amizades e aprendendo a viver sozinho na floresta.



Este livro foi uma cortesia da Editora Pólen


O livro
O valoroso Pastor Alemão está sozinho na floresta. Sempre tendo sido um cão doméstico, pastoreando suas ovelhas, ele agora terá que enfrentar perigos sombrios e ainda por cima precisará sobreviver neste ambiente desconhecido! Sem abandonar sua característica de falar difícil nos momentos mais inapropriados e o dom para o drama, o Pastor vai nos divertir novamente em sua jornada para descobrir quem armou para cima dele na fazenda.

Resenha: Eu era um pastor alemão, de Murilo Martins

Mantendo o traço minimalista e os grandes quadros, vemos bem mais personagens aqui do que vimos no primeiro volume. Assim que chega na floresta, o cão se depara com um lobo, Tom, que tenta mostrar ao cão desgarrado as maravilhas de se viver ao ar livre. Mas o cão não sabe uivar, nem caçar, então vai ter que aprender tudo na marra se quiser sobreviver.

O bom humor do quadrinho original volta com força neste aqui. O cão está ainda mais palestrinha do que antes e adota a postura de esquerdomachos que adoram dar lição de moral e gostam de mostrar que sabem mais do que os outros. Isso não quer dizer que ele não vai se estrepar várias vezes, é claro. Não só se estrepa como ainda rimos da situação do coitado.

Assim como no primeiro volume tivemos uma surpresa no final, neste aqui também temos uma. O quadrinho agora tem mais personagens, mas todos acompanham o belo traço minimalista do autor. Há mais cores nesta edição, bem aplicadas ou retiradas quando necessário. A forma como termina, com um epílogo, nos diz que o Pastor Alemão deverá voltar para uma nova aventura. Será? Tomara que sim!

detalhe do quadrinho

A edição segue o padrão da primeira, com a cola da brochura aparente, mas de novo, eu preferia que ela ficasse protegida. De tanto abrir e fechar ela acaba se desgastando.

Para que continuar vivendo se agora eu sou um pária, uma vergonha para a nobre linhagem dos Pastores Alemães?

Página 11


Ficção e realidade
Já pensou o que aconteceria com nossos bichinhos se a humanidade sumisse e eles precisassem voltar para o estado selvagem? Cães pequenos como yorkshires e malteses, por exemplo, seriam comida de cães maiores, certamente. Gatos domésticos até poderiam se virar com caça por algum tempo, mas os castrados poderiam enfrentar dificuldades. Nosso Pastor Alemão palestrinha conheceu essa realidade ao se ver na floresta sozinho e sem contato com humanos, precisando se virar e fazer alianças para sobreviver. Sem abandonar o drama, logicamente.

Murilo Martins

Murilo Martins é um artista gráfico, ilustrador e fazedor de zines e histórias em quadrinhos brasileiro.


Pontos positivos
Os lobos
Pastor Alemão
Bem escrito e ilustrado
Pontos negativos

Muito curto!

Título: Eu era um pastor alemão
1. Eu sou um pastor alemão
2. Eu era um pastor alemão
Autor: Murilo Martins
Editora: Pólen
Ano: 2015
Páginas: 64
Onde comprar: Amazon


Avaliação do MS?
Mantendo a qualidade e a ironia do quadrinho anterior, temos aqui mais uma grande obra de Murilo. O Pastor Alemão já figura entre meus personagens favoritos nas HQs e espero que Murilo traga mais uma nova aventura dele para nós. É fã de quadrinhos? Então se joga nesses dois quadrinhos nacionais. Cinco aliens para nosso intrépido pastor e uma forte recomendação para você ler também!

MARAVILHOSO!

Até mais! ♡


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.