Resenha: Wake Me After the Apocalypse, de Jordan Rivet

Esse é mais um daqueles casos de ebook que eu tinha há algum tempo no Kindle e de repente comecei a ler numa sala de espera e ele acabou me fisgando. Ainda é uma leitura do final do ano passado, mas a combinação distopia, fim do mundo e protagonista feminina sempre me cativa.



O livro
Joanna Murphy é uma típica adolescente que estuda, que se preocupa com o futuro, que tem amigos e família e que de repente acorda em um esconderijo, saindo da estase profunda onde estava, encontrando o local semi destruído. Joanna está sozinha em um abrigo subterrâneo. A sala onde as câmaras criogênicas estão está destruída. Sua câmara sobreviveu porque o bloco que desabou do teto caiu de lado e poupou a tampa e os equipamentos. Nenhuma câmara estava ligada, todas elas continham apenas corpos. Joanna é a única sobrevivente.

Resenha: Wake Me After the Apocalypse, de Jordan Rivet

Neste primeiro momento acompanhamos Joanna tentando lembrar do treinamento que recebeu e tentando sobreviver nesse lugar abandonado. Mas não era para ser assim. Eles deveriam acordar depois de 200 anos de criogenia para reconstruírem a Terra. É conforme avançamos na leitura que sabemos como Joanna foi parar lá e começamos a imaginar se ela é de fato a única pessoa viva no planeta.

Um cometa mortal estava a caminho da Terra. Assim os governos começaram a se organizar para criar abrigos protegidos e subterrâneos capazes de guardar sementes, equipamentos, roupas, suprimentos e pessoas. Com o avanço da tecnologia criogênica, eles poderiam criar lugares seguros para abrigar os futuros exploradores. Joanna acabou sendo escolhida entre tantos outros, sendo obrigada a deixar a família para trás. Ela fez questão de terminar o ensino médio, ainda que fosse uma das poucas alunas e isso acabou chamando a atenção das autoridades.

O momento em que Joanna acorda até o momento em que ela consegue sair do abrigo é extremamente angustiante, solitário e carregado de perigos. Acho apenas que a autora não soube utilizar bem a questão da queda de um cometa e o tempo em que se levaria para a Terra se recuperar do impacto. Duzentos anos é um tempo muito curto para a estabilização do clima. Mas OK, suspendi a descrença para acompanhar Joanna que, mesmo assustada e sozinha, resolve seguir com o planejado no início. Ela junta os suprimentos que consegue ter acesso e se estabelece na superfície, sabendo que no plano original existiam outros abrigos em vários pontos dos Estados Unidos.

Mas nem tudo são flores, obviamente. Já havia oposição ao projeto, gente tentando invadir os centros de treinamento, gente implorando para ser membro das equipes, gente morrendo pelas ruas. Dentro do projeto, as pessoas responsáveis pareciam esperar por uma guerra, pois Joanna e seu paquerinha, Garrett, notam a quantidade de armas sendo estocadas nos abrigos. Por que? Estavam esperando sobreviventes que tivessem voltado a um estado de barbarismo?

Seus músculos sem uso protestaram com o esforço, Joanna tentando ficar de pé, esquivando-se da grande laje de rocha que caiu atravessada sobre seu tanque. Isso deve tê-la protegido dos escombros, formando um triângulo seguro no qual ela pode continuar hibernando - independente do que quer que tenha acontecido ali.

(tradução livre)

Admito que no começo a história parecia seguir um roteiro bem estabelecido para romances adolescentes e jovem adultos. Mas há uma reviravolta bem impactante lá pela metade que me deixou surpresa, pois eu realmente não esperava e foi bem positivo o que a autora fez, não caindo em uma série de estereótipos que achei que inevitavelmente acabaria lendo.

A capa também chama a atenção, pois condiz com o enredo sem entregar nada de importante. Então se você lê em inglês e procura um livro único, aqui fica a dica. Não encontrei grandes problemas nele, apesar de sentir que o final ficou em aberto, o que pode sugerir que virá algo. Porém não encontrei nada pela internet que indique isso.


Ficção e realidade
Um evento capaz de alterar a vida na Terra para sempre é a queda de um cometa ou de um meteoro. Basta lembrar que o evento que culminou com o fim do domínio dos dinossauros veio dos céus e foi determinante para a ascensão dos mamíferos e, por consequência, o surgimento da nossa espécie. Gostaria que a autora tivesse dado mais detalhes sobre o cometa e que tivesse falado de ações tomadas por outros governos, além dos Estados Unidos, para tentar salvar seus modos de vida, mas houve um foco maior no depois, na reconstrução, na sobrevivência.


Jordan Rivet é escritora de livros para jovens adultos e adolescentes, residindo em Hong Kong com o marido, tendo escrito ao todo 14 livros, incluindo três séries de fantasia.


Pontos positivos
Protagonista feminina
Distopia
Criogenia
Pontos negativos
Não tem em português
Pode ser lento em algumas partes

Título: Wake Me After the Apocalypse
Autora: Jordan Rivet
Editora: autopublicação
Páginas: 314
Ano de lançamento: 2018
Onde comprar: Amazon


Avaliação do MS?
Fiquei surpresa do quanto gostei do livro, mesmo com alguns probleminhas que são apenas observações minhas. A leitura é bem satisfatória, a reviravolta era algo que eu, de fato, não esperava e no fim acabei lendo o livro bem rápido, porque não conseguia largar. Curti bastante mesmo e super indico para quem puder ler em inglês. Quatro aliens para o livro e uma recomendação para você ler também.


Até mais!

Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.