Resenha: A Vida Compartilhada em uma Admirável Órbita Fechada, de Becky Chambers

Queria morar nas histórias da Becky Chambers. Nem sei explicar o efeito que estes livros têm em mim, pois amo tudo. Algumas pessoas disseram que este livro não era tão bom quanto o primeiro, mas discordo. O livro é fantástico. Com uma abordagem diferente do primeiro, menos personagens e mais introspectivo, Becky consegue manter o encanto enquanto cria uma nova narrativa, trazendo personagens secundários do primeiro livro como protagonistas neste segundo volume.



Parceria Momentum Saga e
editora DarkSide


O livro
O livro começa logo após o fim do primeiro, A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil. Então, você sabe do que se trata, certo? Lovelace está tentando se ajustar a tudo o que aconteceu naquela meia hora em que deixou a Andarilha junto de Sálvia, grande amiga da tripulação, e as duas partiram.


Lovelace e Sálvia começam uma jornada juntas: uma tentando entender seu presente e seu futuro, a outra lutando com seu passado. Vemos bem menos personagens aqui como o que vimos no primeiro livro, mas isso não é demérito algum. Becky aqui trabalhou com outras emoções, com outras situações que não estavam presentes na Andarilha, no primeiro livro. Temos personagens secundários maravilhosos, bem descritos e que atuam na trama de maneira significativa, como Tak, um amorzinho.

Mesmo com raças alienígenas ocupando uma parte central dentro da narrativa, os temas trabalhados nela são puramente humanos. Nossa solidão, nossa luta com nossa própria essência, o medo do futuro e do passado, a inconstância do presente e a eterna dúvida sobre quem somos. Becky consegue entender a alma humana e a usa em metáforas alienígenas e situações envolvendo tecnologia, inteligências artificiais e emoções.

Eu amo aprender. Amo história. Mas a história está em todo lugar. Cada edifício, cada pessoa com quem você fala. A história não se limita ao que há nas bibliotecas e nos museus.

Página 142

A história de Sálvia, que é recontada em vários flashbacks que datam de 20 anos, foi incrível de acompanhar. Não que a luta de Lovelace não fosse, mas Sálvia aparece pouco no primeiro livro para ganhar uma dimensão imensa neste livro. A CG, tão vasta, tão moderna e diversa, ainda tem seus cantos obscuros da galáxia onde crianças passam fome e são descartadas junto do lixo.

Becky trabalha com várias críticas nas entrelinhas. É possível ver traços de escravidão, exploração de trabalho infantil, de solidão no mundo moderno, questões de gênero e de sexualidade, questões sobre a humanidade e o que significa ser um indivíduo. Confesso que achei Lovelace apática em um primeiro momento, mas como ela poderia não ser? Era tudo muito novo, muito estranho e diferente da vida que ela sempre levou antes. E as discussões levantadas por isso foram excelentes. Becky, você é incrível.

A edição da DarkSide segue a lindeza do livro anterior, com uma capa brilhante e purpurinada de amor, páginas com estrelas, o universo e tudo mais no interior. Encontrei praticamente nenhum problema de revisão ou tradução neste livro. Senti que algumas situações foram corridas demais, como o resgate de Jane e Laurian que eu queria ter visto como foi. Tirando isso, foi uma leitura maravilhosa.

Ficção e realidade
A ficção científica sempre se valeu de metáforas para trabalhar diversos temas espinhosos. A metáfora transforma o assunto que a sociedade considera tabu em algo mais palatável, porém também pode camuflar o assunto para os leitores menos atentos. Star Trek fez isso lindamente em vários momentos. O que Becky faz é usar as metáforas e usar os temas espinhosos, tudo ao mesmo tempo e de maneira orgânica, natural, normalizando a existência das pessoas, sem tratar os temas como algo externo às nossas vidas.

Becky Chambers

Eu estou com tanto medo. Eu sempre tive medo. E estou cansada, tão cansada de estar sempre com medo. Eu só queria... eu só queria pessoas.

Página 201

Pontos positivos
Sálvia e Azul
Personagens bem construídos
Bem escrito e descrito
Pontos negativos

Final apressado

Título: A Vida Compartilhada em uma Admirável Órbita Fechada
Título original em inglês: A Closed and Common Orbit
Série Wayfarer
1. A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil
2. A Vida Compartilhada em uma Admirável Órbita Fechada
3. Record of a Spaceborn
Autora: Becky Chambers
Tradutora: Flora Pinheiro
Editora: DarkSide
Páginas: 416
Ano de lançamento: 2018
Onde comprar: Amazon

Avaliação do MS?
Terminei já com vontade de reler e aguardando ansiosamente o próximo volume. Como disse lá em cima, queria viver neste universo, queria conviver com estas pessoas. Ficção científica, de fato, é um gênero de espanto e de possibilidade ilimitada. Uma delícia de ler, uma pena que o livro acaba logo! Cinco aliens para ele e uma forte recomendação que você leia também.


Até mais! ♥️

Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

1 Comentário

  1. Ainda estou na metade do livro, mas acho que o pessoal vem dizendo que o primeiro é melhor porque esse demora a engrenar, principalmente a parte da Lovelace. Me lembrou Stephen King, que os livros só começam de verdade depois da página 100...rsrsrs
    Mas eu estou gostando bastante! Só queria que a faculdade me deixasse mais tempo de leitura. :)

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.